Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Caso o novo governo corte o orçamento do Sistema S, os mais prejudicados serão os jovens e os trabalhadores de todo o Brasil. SESI e SENAI oferecem educação de qualidade e promovem inovação, saúde e segurança no trabalho

Em discurso nesta segunda-feira (17), no Rio de Janeiro, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que pretende cortar entre 30% e 50% dos recursos do Sistema S. 

As entidades que integram o Sistema S, como o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), são importantes aliadas do Brasil na promoção de educação básica e profissional, inovação, tecnologia, saúde e segurança no trabalho.

Será que o futuro ministro sabe a importância dessas instituições para o país? Será que ele tem noção do prejuízo que representaria um corte desse tamanho em entidades que têm utilizado, de maneira qualificada e transparente, os recursos destinados pelas empresas privadas para suas ações?

Preparamos uma lista para mostrar o impacto que o corte de 30% nos recursos do SESI e do SENAI representariam:  

1. Corte de 1,1 milhão de vagas em cursos profissionais oferecidos pelo SENAI por ano

Desde 1942, o SENAI já qualificou mais de 73 milhões de brasileiros. São profissionais bem preparados para trabalhar na indústria, setor que tanto precisa de mão de obra especializada. Os cursos oferecidos pelo SENAI têm currículos alinhados às necessidades das empresas brasileiras. Assim, quem procura o SENAI para aperfeiçoamento ou requalificação, em 28 áreas de conhecimento como Elétrica, Mecânica, Alimentos ou Construção, se destaca no mercado.

2. Fechamento de 162 escolas de formação profissional do SENAI no Brasil

A educação do SENAI é reconhecida internacionalmente - nas últimas edições da WorldSkills, a maior competição de educação profissional do mundo, o Brasil, representado em sua maioria por estudantes do SENAI, conquistou o 1º lugar (2015) e o 2º (2017). Além disso, a atuação do SENAI é reconhecida pela ONU.

3. Corte de 498 mil vagas para alunos do ensino básico ou na educação de jovens e adultos do SESI

Em todo o Brasil, o SESI recebe, por ano, mais de 1,7 milhão de matrículas em educação básica e continuada e ações educativas, oferecendo qualificação de qualidade e cidadania para os brasileiros.

4. Fechamento de 155 escolas do SESI no país

O ensino oferecido pelo SESI tem atestado de qualidade. Com foco em ciências, tecnologia, engenharia, matemática e artes, a abordagem das 505 escolas do SESI vem trazendo resultados positivos, como o bom desempenho em português e matemática dos alunos do 5º ano do ensino fundamental na Prova Brasil - as médias foram superiores a dos alunos da rede privada.

5. Demissão de 18,4 mil trabalhadores do SESI e do SENAI (a maioria educadores) em todo o país

Os profissionais que trabalham no SESI e no SENAI oferecem serviços de saúde, educação, inovação e tecnologia para diferentes públicos. Crianças, adolescentes, trabalhadores e indústrias serão prejudicados sem a atuação desses trabalhadores.

6.  Cancelamento de atendimentos em saúde para 1, 2 milhão de pessoas

O SESI beneficia, por ano, mais de 4 milhões de trabalhadores com serviços de SST e promoção da saúde. São cerca de 770 mil consultas, 2,5 milhões de exames ocupacionais e 1 milhão de vacinas.

7. SENAI pode fechar em alguns estados

Com o corte de recursos, o SENAI teria suas atividades seriamente comprometidas, podendo ser obrigado, inclusive, a encerrar suas ações em alguns estados. Seria o fim dos cursos de educação profissional e da atuação de determinados institutos de inovação e tecnologia, que tanto ajudam as empresas a se tornarem mais inovadoras e competitivas.

8. SESI pode encerrar atividades em certas localidades

Todas as atividades do SESI seriam seriamente comprometidas, podendo até fechar as portas em algumas cidades. Sem recursos, quem seriam mais prejudicados seriam jovens e trabalhadores de todo o Brasil.

https://noticias.portaldaindustria.com.br/listas/8-motivos-para-apo...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 263

Responder esta

Respostas a este tópico

A educação do SENAI é reconhecida internacionalmente - nas últimas edições da WorldSkills, a maior competição de educação profissional do mundo, o Brasil, representado em sua maioria por estudantes do SENAI, conquistou o 1º lugar (2015) e o 2º (2017). Além disso, a atuação do SENAI é reconhecida pela ONU.

E apenas o começo,em nenhum momento se falou em Empresario e Trabalhador.

O primeiro setor que vai sofrer e o setor de resinas.

Acho que você  está mal informado sobre as informações que o Ministro da Economia disse sobre meter a faca nos sistemas S. O sistema de ensino e as atividades de lazer para os empregados dos diversos Serviços sociais serão mantidos e intocados.

O que o ministro quer enfiar a faça são nos excesso. É sabido que grande parte da verba destinada aos serviços sociais, são utilizada para outros fins. Tais como manter lideres de sindicais às custas do sistema, pagar por pesquisas eleitorais direcionadas. Há desvios de verbas feitos sem nenhuma prestação e utilizados para propaganda aberta de dirigentes destas entidades, como a que assistimos neste ano e em outros quando o presidente da FIESP era candidatos às eleições, propaganda claramente eleitoreira.

Me explique a razão do SESI de SP ter efetuado o pagamento de R$ 68.000.00,00 ao advogado do Lula,  Cristiano Zanin, sem que o mesmo tivesse prestado qualquer serviço de ao SESI de SP, que justificasse tal montante dedinheiro?.

A Manutenção de cabide de emprego de sindicalistas desempregados, como é o caso do ex-ministro particular de Lula no Sesi de SP. e por ai vai....

Se informe melhor antes de expor suas opiniões. Um forte abraço  

Nunca vi preparar omeletes sem quebrar ovos.
Entendo que o futuro ministro esteja buscando reflexões sobre o Sistema S.
Escolas e Cursos já vem sendo fechados.
Por que não discutir/refletir junto com o Público Alvo dos Sistemas?

Desculpe a falha,

Não foi o SESi de SP, mas sim a FECORMÉCIO do RJ, que  utilizou R$ 68,2 milhões de verbas do Senac para pagar o escritorio do compadre de Lula onde atua o Cristiano Zanin e sua  esposa.

Acho importante fazer uma boa auditoria ou vou do sistema S acho que pode ter muito dinheiro escondido, hoje quase que todos os cursos são muito bem pagos pelo aluno

Com certeza, o índice técnico dos cursos oferecidos é bom, pouquíssimos são ótimos, mas mesmo aassim, precisam ser mantidos, e serão, se auditados pelo mantenedor, governo federal que arrecada nossas contribuições compulsórias. O que precisa ser "cortado", são as mordomias, tipo, ponte de feriado. Os funcionários internos, compensam trabalhando em sábados anteriores, mas como trabalham diretamente com as indústrias e estas não trabalham sábado, não é preciso comparecer, apenas aqueles ligados a escola. Os cabides de emprego, para cada instrutor em sala de aula, tem dois funcionários administrativos. Os antigos professores, transformados em consultores, sem demanda, ficam nas sedes das escolas aguardando o tempo para aposentadoria, e por aí vai. Tem muito  dinheiro para ser economizado. 

Se confirmada a decisão de cortar o orçamento do sistema S, será um erro grosseiro. Próprio de quem não vive a realidade do dia a dia brasileiro. Antes de pensar em qualquer coisa contra o sistema S, o novo governo deveria cortar forte na máquina pública direta, no judiciário e legislativo. Mas para isto, é necessário coragem de verdade e habilidade política. Então é "mais fácil" dar uma canetada no sistema S, destruindo algo que funciona bem sem resolver os problemas do Brasil. O ministro Paulo Guedes acha que basta copiar o modelo do Chile, um país cuja população é menor do que a da grande São Paulo. Ele já está sinalizando que não se importa com a indústria. No Chile, 16 milhões de bocas conseguem viver com o salmão, cobre, frutas e vinhos. Aqui no Brasil, será que 200 milhões de bocas conseguiram viver apenas com soja, algodão e minério de ferro? É provável que devesse haver uma fiscalização e auditoria mais forte sobre o sistema S, mas não feito pelo governo. Onde o governo coloca a mão a coisa só fica mais lenta e piora. Existem coisas erradas e gastos desnecessários no sistema S. Sabemos que muitos se utilizam do sistema S para fins políticos e outras coisas. Mas não é o governo que saberá resolver isto. 

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço