Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Juruaia produz anualmente 19,5 milhões de peças de lingerie e tem a terceira maior renda per capita do estado

 

A pequena cidade do sul de Minas Gerais hoje abriga mais de 200 empresas formais de lingerie, que juntas produzem mensalmente 1,6 milhão de peças. Tudo começou há 22 anos, quando uma empresária de São Paulo se mudou para Juruaia e montou uma fábrica de moda íntima. Após alguns anos, a empresa fechou e as costureiras decidiram montar suas próprias confecções, criando suas marcas. E como há males que vêm para o bem, a ideia deu tão certo que acabou incentivando a abertura de novas empresas, com o apoio do Sebrae, que auxiliou na gestão e profissionalização das marcas.

Cerca de 5 mil empregos são gerados pelas empresas locais, que anualmente produzem em média 19,5 milhões de peças, que em valores representam R$ 150 milhões. Em 2013, Juruaia ganhou destaque como o município com maior renda per capital do sul de Minas e a terceira maior do estado, atrás apenas de Nova Lima e Belo Horizonte, segundo dados do Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil 2013, divulgado no fim de julho de 2013 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). “O principal fator que contribui para esse resultado é o setor de moda íntima, já que mais de 60% de toda a renda da cidade vem das fábricas de lingerie. Além do lucro para os moradores e empresários locais, Juruaia é um lugar de oportunidades também para quem busca emprego ou uma renda a mais com a revenda de lingerie. Não é raro também ver pessoas de cidades vizinhas trabalhando nas confecções da cidade”, comenta Tânia Mara Rezende, presidente da Associação Comercial e Industrial de Juruaia (Aciju) e diretora de criação da marca Íntima Passion.

Criada após palestras, debates e análises, em setembro de 1997, a Aciju tem o objetivo de fortalecer a classe empresarial do município, procurando agregar um número cada vez maior de associados, para estruturar e dinamizar a economia local, facilitando o acesso a cursos, palestras e consultorias, viabilizando parcerias com o Sebrae, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o Senac e o governo do estado. Um dos destaques da associação foi a concepção da Felinju – Salão da Moda Íntima de Juruaia, que está em sua 17ª edição, apresentando os lançamentos das coleções das marcas da cidade, além de outros eventos anuais com o mesmo objetivo, como o Outlet Juruaia, com descontos de até 70%, e o Fest Lingerie, que lanças as coleções de primavera-verão. “Os empresários de Juruaia estão sempre se atualizando e realizando missões empresariais internacionais e locais, trazendo profissionais conceituados no setor para atualizar suas fábricas e lojas. O produto acaba se destacando pela qualidade e design diferenciados e, consequentemente, alavancando o polo”, revela Tânia.

 

Força produtiva

De acordo com dados da prefeitura, a taxa de desemprego praticamente não existe. A cidade incentiva os negócios, principalmente femininos, pois cerca de 95% das confecções locais são comandadas por mulheres. “Juruaia é um celeiro de empreendedorismo feminino e a cidade cresce a todo o vapor. É um verdadeiro canteiro de obras o ano todo, construções cada vez maiores e lojas cada vez mais bonitas são inauguradas a cada mês”, declara Tânia.

Fundada há 20 anos, a Ceci Piza Lingerie, além de atender o mercado do município, conta com representantes em outros estados. Todos os meses a grife, que oferece lingerie para o dia, pijamas, linha noite, plus size, e agora linha praia, lança uma nova coleção. “A empresa foi criada pela minha mãe, Cida, pela necessidade de ajudar a aumentar a renda familiar. Daí foi saindo da informalidade, e eu e minha irmã Alessandra fomos crescendo, nos aperfeiçoando no ramo, cada uma em uma área, e hoje não nos vemos fazendo outra coisa”, diz Silmara Piza Bardi, diretora de estilo da marca.

A Ceci Piza Lingerie desenvolve as coleções e cria as peças. A produção é terceirizada para sete oficinas de costura, todas em Juruaia. Em torno de 20 mil peças são confeccionadas por mês pela marca. “O desafio da empresa é sempre estar focada no mercado da moda, criando produtos inovadores e fazendo estudos de mercado para atender sempre às necessidades dos consumidores. Investimos muito em matéria-prima diferenciada para ter um produto que ofereça algo a mais para o cliente e justifique o valor”, conta Silmara.

Juruaia mostra a importância que a união de cidadãos de uma cidade tão pequena pode gerar para ela mesma. “Acredito que somos exemplos de superação e garra para muitas cidades do interior”, orgulha-se Silmara.

 

Com nove anos de existência, a Garota Veneno foi fundada por ex-cafeicultores e é uma empresa familiar, que produz cerca de 20 mil peças por mês, entre fantasias eróticas e lingeries. A marca produz 90% dos produtos e terceiriza 10% da produção em duas oficinas de Juruaia. “Percebo que a maior importância que Juruaia tem para o cenário nacional e em Minas, principalmente, além de ter uma lingerie bela, de muita qualidade, grande diversificação, atendendo muito bem as mulheres brasileiras, é poder ser fonte de inspiração para pequenas cidades. Acredito que a maioria das cidades tem uma vocação para determinado tipo de produto. Juruaia mostrou-se capaz de descobrir sua vocação e se uniu, por meio da Aciju, para se mostrar ao resto do país. As empresas daqui são dirigidas por pessoas que acreditam naquilo que fazem e buscam as informações, estejam elas onde estiverem, e as colocam em prática, esse é o diferencial”, afirma César Júnior e Silva, diretor da Garota Veneno.

Quando o assunto é a ameaça das importações chinesas, César acredita ser um problema para algumas empresas da região, mas que o segredo é inovar. “Além de os produtos prontos para ser comercializados chegarem ao Brasil com preço muito competitivo, vejo também grandes empresas brasileiras terceirizando, ou seja, fabricando na China para vender no mercado brasileiro, com preços inferiores ou com margem maior, contribuindo para uma concorrência injusta. Nos defendemos com produtos e serviços diferenciados, ou seja, com o cuidado na escolha da matéria-prima, o desenvolvimento de uma modelagem correta, a valorização e o treinamento dos colaboradores, e a busca por informações de tendências de moda e mercado, que são importantíssimos para que possamos ser diferentes e não concorrer diretamente com os produtos chineses.”

A Lindelucy Lingerie está há 20 anos no mercado e já se destacou no cenário nacional com o lançamento da lingerie de ouro e da lingerie com GPS. A trajetória de Lucia Iório tinha tudo para terminar nos primeiros dois anos de negócio, devido às dificuldades enfrentadas, como falta de conhecimento, de experiência e de capital. Com apenas dois salários mínimos e uma máquina emprestada, Lúcia resolveu empreender e concretizar seu sonho. Um ato de coragem para uma professora de educação infantil em uma pequena cidade. A empresária comprou 4 quilos de tecido e deu início à produção. “No início do negócio, eu mesma desenvolvia os modelos, cortava os tecidos, costurava as peças e ainda vendia”, explica a proprietária da Lindelucy Lingerie.

Focada na pronta-entrega, a empresa possui sede e centro de produção próprios e conta com 50 funcionários. Em 2014, a Lindelucy espera atingir um crescimento em torno de 10%. “A projeção que Juruaia ganhou não só em Minas Gerais, como no cenário nacional, proporcionou a todos nós alavancarmos nossas vendas, ampliarmos nossa atuação no mercado nacional, e ofereceu uma nova vitrine. Com isso, vêm também novas oportunidades de negócios”, comemora Lucia.

Com início modesto, a Del Laras produzia apenas linha noite, mas com diversos incentivos começou a fabricar também lingerie. Com o sucesso das peças trabalhadas e modelos diferenciados, a empresa cresceu e hoje conta com prédio próprio no centro de Juruaia, com loja ampla e escritórios, além de uma fábrica em outro endereço. Os principais produtos da Del Laras são calcinhas, sutiãs, camisolas, espartilhos, corselets e robes. “Decidimos apostar na fabricação de lingerie porque percebemos a cidade como um mercado próspero para a comercialização de moda íntima. A empresa possui 47 funcionários e a maioria das peças é produzida em fábrica própria, porém também contamos com dez facções, que fabricam o restante para darmos conta da demanda. São cerca de 30 mil peças produzidas por mês”, salienta Maria José Lara Terra, proprietária e estilista da grife.

Na opinião de Maria José, Juruaia é de extrema importância no cenário nacional, em especial na economia. “Temos clientes de praticamente todas as regiões do país, inclusive do exterior, que compram no município e revendem em suas cidades, o que gera renda para as famílias. No sul de Minas, Juruaia emprega grande parte da população da região, gera renda, conhecimento e prosperidade para si e para as cidades ao redor.”

No mercado desde 2007, a Linda Sedução tem sua sede no município e duas filiais, uma em Campo Mourão e outra em Umuarama, no Paraná. Com produtos voltados para a linha noite, com foco em espartilhos e camisolas, além de conjuntos rendados e detalhes em pedrarias e fitas de cetim, 40% da produção é realizada em fábrica própria e o restante é dividido entre três oficinas terceirizadas, que trabalham exclusivamente para a empresa. Para os homens, a Linda Sedução oferece cuecas que acompanham as lingeries, utilizando os mesmos tecidos e detalhes para a composição do look do casal. “Nosso foco não está exclusivamente na produção em escala, e sim em produtos especializados, com detalhes feitos manualmente, que demandam cuidado especial. Nossa capacidade produtiva é de 7 a 10 mil peças ao mês”, revela Márcio Del Vale Piza, gerente administrativo da grife.

Fundada pelos sócios Tânia Mara Rezende, Rodrigo Dias Silva e Cleusa Castro Rezende, a Íntima Passion surgiu em 2005 e distribui seus produtos para todo o Brasil e exterior. As peças são exclusivas, criadas com design que respeita a identidade da marca, e certificadas pelos mais exigentes padrões de produção. São quatro linhas de produtos que completam a coleção: Passion Nude, discreta para o dia a dia; Passion Lovely, desenvolvida com pesquisa de macrotendências; Passion Classic, com tecidos finos, acetinados e muita renda; e Passion Loungewear, linha de pijamas.

“Como idealizadora da marca, sempre estive muito ligada à história da lingerie em Juruaia. Fui costureira, depois modelista, e por fim trabalhava como estilista de algumas empresas do polo. Depois de anos trabalhando na área, resolvi, apoiada por meu marido e minha mãe, criar a Íntima Passion. Como já tinha muita experiência, pude imprimir na criação tudo que tinha aprendido, além de um estilo único, que ainda não era predominante no polo. Isso proporcionou um crescimento muito rápido, devido à excelente aceitação que tivemos no mercado”, conta Tânia. A Íntima Passion produz 70% de suas lingeries e conta com 50 colaboradores. Os outros 30% são terceirizados em sete oficinas localizadas na cidade, selecionadas rigorosamente de acordo com o padrão de qualidade interno. Recentemente foi inaugurada sua primeira loja-conceito, no shopping Iguatemi, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Construída de acordo com a identidade da grife, conta com trilha sonora e uma coleção que só é encontrada lá. Juruaia é o exemplo de que a união realmente faz a força!

 

 

FOTOS: Divulgação

 

LEGENDA: Juruaia tem a maior renda per capitã do sul de Minas

 

LEGENDA: Ceci Moda Íntima.

 

LEGENDA: César Júnior e Silva, diretor da Garota Veneno.

 

LEGENDA: Lucia Iório, proprietária da Lindelucy Lingerie.

 

LEGENDA: Del Laras.

 

LEGENDA: Linda Sedução.

 

LEGENDA: Tânia Mara Rezende, presidente da Aciju e diretora de criação da Íntima Passion.

http://www.costuraperfeita.com.br/edicao/27/materia/mercado.html

Por Renata Martorelli

 

Exibições: 943

Responder esta

Respostas a este tópico

De acordo com dados da prefeitura, a taxa de desemprego praticamente não existe.

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço