Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Por Roberto Piancó Consultor de empresas e especialista em CAD/CAM.

O arranjo físico industrial influencia diretamente nos resultados da gestão do processo de corte de tecidos, os quais refletem na produtividade e no custo do produto. No layout da sala de corte devemos prever e estudar quatro espaços:

•    Preparação de enfesto; •    Enfesto; •    Corte; •    Descarte e amarração dos pacotes.

A distribuição física do ambiente deve estar de acordo com a sequência operacional, para reduzir as perdas por deslocamento de materiais e de pessoal, além de contribuir com a gestão visual. 

O estudo do layout da sala de corte é de fundamental importância na otimização das condições de trabalho, para aumentar tanto o bem estar quanto o rendimento das pessoas. 

  Corte na Audaces Neocut

A disposição de mesas, prateleiras, equipamentos e maquinários de forma adequada resultam em uma maior eficiência de fluxos de trabalho e uma melhoria na aparência do ambiente. O projeto do layout da sala de corte busca minimizar custos de movimentação, reduzir o congestionamento de materiais e pessoas, aumentar a segurança e a comunicação, bem como elevar a eficiência das máquinas. 

A redução da fadiga também se insere no quadro de objetivos do arranjo físico, pois a existência de fadiga pode revelar uma disposição inadequada das condições de trabalho. Tal sensação pode ser provocada pelo esforço despendido e pelo mau uso do ambiente, que pode ser tanto muscular quanto mental.

Faz-se necessário, portanto, o estudo de um layout adequado devido aos seguintes fatores:  • Os materiais devem movimentar-se por entre as instalações em fluxos lineares, para diminuir idas e vindas ou recuos;  • Processos de produção relacionados devem ser organizados para proporcionar fluxos lineares de materiais;  • Localizações de armazenamento de materiais devem ser escolhidas a fim de que o esforço humano despendido seja minimizado; • Materiais pesados e volumosos devem ser movimentados na distância mais curta e, no caso de uso prateleiras, os tecidos devem ser posicionados nas mais baixas;  • O número de vezes que cada material é movimentado deve ser minimizado por meio de um bom planejamento da sequência de enfestos e cortes. 

Por Roberto Piancó
Consultor de empresas e especialista em CAD/CAM

Exibições: 566

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço