Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

A proposta patronal das confecções do Rio de Janeiro que foi rejeitada pelo SOACRJ

(Edital do Sindicato dos Oficiais Alfaiates e Costureiras do Rio de Janeiro)

Assembleia geral da categoria realizada ontem, dia 15 de julho, rejeitou a contraproposta dos patrões, que pretendiam dar 9% de aumento, mas só para salários até R$ 3.500,00. Quem recebesse acima disso, teria apenas 4% de reajuste salarial, propuseram os empresários de confecção do Rio e Baixada Fluminense.

A inflação oficial no período foi de 8,76%, medida pelo INPC do IBGE. O presidente do SOAC, Zé Baiano, afirmou em seu discurso que considera essa proposta de 4% “um arrocho salarial inaceitável, indecente, muito abaixo da inflação”.

A assembleia, formada em sua grande maioria por costureiras e alfaiates, debateu a proposta e considerou que ela divide a categoria e não deve ser aceita. Esse tipo de distinção salarial para estabelecer o índice de reajuste já trouxe prejuízos no passado e deve ser rechaçado. Se for aceito, amanhã os patrões poderão propor reajuste com algum ganho só para os pisos, arrochando todos os demais. É um precedente que devemos evitar ao máximo.

Ao rejeitar a contraproposta patronal, os trabalhadores delegaram ao Sindicato que continue negociando. Caso o objetivo não seja atingido pela via da negociação, nova assembleia será convocada e debateremos todas as formas de luta.

Exibições: 294

Responder esta

Respostas a este tópico

Já estamos quebrados , ou quebrando.
Quebrados, não dá para pagar nem as rescisões.
Lembrar que reajuste só faz realimentar a inflação.
É um jogo de perde perde.
Mas, no Brasil é assim.

Assim, chegamos aos 80% ao mes. Alguem lembra?

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço