Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Durante 8 anos trabalhei em uma indústria têxtil. Antes de entrar nesse universo não fazia ideia de quanta química há por trás de cada uma das etapas. Desde a extração das fibras até a confecção das peças, há muito trabalho para os químicos que trabalham nessa área. E mais, esse assunto pode ser abordado em disciplinas de Química Orgânica do Ensino Médio.


Hoje os materias têxteis podem ser classificados em
têxteis convencionais utilizados em nosso vestuário, cama, mesa e banho; ou têxteis técnicos (e-têxteis) que contém desde cosméticos em nanopartículas até células orgânicas que armazenam energia solar.

Mas vamos iniciar pela definição do componente fundamental. Fibra têxtil é a matéria-prima fundamental para a produção de artigos têxteis. É um termo genérico para vários tipos de material, naturais ou artificiais, que formam os elementos básicos para fins têxteis.


As primeiras fibras têxteis eram feitas de materiais muito grosseiros como gramíneas, junco e cana. Utilizadas desde os tempos pré-históricos para fazer telas, cestos, redes de pesca, tapetes e cordas. Posteriormente, foram desenvolvidas técnicas para utilizar materiais naturais considerados mais sofisticados como o linho, a juta e o pelo animal. Somente por volta do terceiro milênio antes de Cristo, fibras como o algodão, lã e seda passaram a ser exploradas.

Nesse anúncio de lingeries femininas publicado no ano de 1916 em Londres,  podemos observar que as fibras utilizadas eram pura lã (inclusive para o verão) algodão e seda. Imaginem usar uma lingerie de pura lã e ficar o dia inteiro com aquela sensação de roupa "pinicando"... Mas essa era a realidade.

Somente no  final do século XIX, surgiram as primeiras fibras manufaturadas, os “raions”, obtidos a partir da celulose natural. Na década de 30, desenvolveram-se as fibras sintéticas, baseadas em polímeros, como poliamidas, poliésteres e acrílicos.Quando a poliamida foi lançada em 1937, pela Dupont o fio invisível, resistente e   durável desencadeou uma revolução.  O sucesso foi confirmado com filas nas portas das lojas e mulheres brigando por um par de "meias invisíveis".

Atualmente as fibras têxteis são classificadas da seguinte forma:







As fibras têxteis possuem diferentes propriedades químicas, físicas e biológicas, e cada tipo de fibra também possui uma composição química distinta: As fibras animais (lã, seda, cashmere) são formadas por substâncias à base de proteínas, as fibras vegetais ( algodão, linho, juta, sisal) são formadas por substâncias à base de celulose. As fibras minerais (amianto) tem como base os silicatos e atualmente, são proibidas em vários países, por serem consideradas altamente tóxicas.  As fibras não naturais artificiais ( viscose, modal, liocel, acetato)  assim como fibras vegetais são formadas por substâncias à base de celulose, só que nesse caso são processadas quimicamente. Todas as fibras sintéticas ou "fibras químicas"  (poliéster, acrílico, poliamida) são formadas por substâncias à base de produtos petroquímicos.Ainda existem as superfibras sintéticas que são mais usadas em aplicações industriais do que em vestuário.

No site da ABRAFAS - Associação Brasileira de Produtores de Fibras Artificiais e Sintéticas, encontramos ilustrações que descrevem resumidamente a obtenção de fibras não naturais.
O primeiro esquema é sobre as fibras artificias acetato e viscose, obtidas a partir da celulose.
O segundo esquema mostra um resumo sobre a produção de fibras sintéticas.
Aguardem mais posts sobre o assunto!

Exibições: 4546

Responder esta

Respostas a este tópico

Muito legal, parabéns, bem resumido, compacto, mas muito ilustrativo.

Adorei!

Parabéns!

ESTOU TENDO AULA DISSO NO TÉCNICO EM VESTUÁRIO,NO CETIQT

Muito bom !!! Bem ilustrado, sucinto, muito didático, parabéns!!



raimunda maria sousa silveira disse:

ESTOU TENDO AULA DISSO NO TÉCNICO EM VESTUÁRIO,NO CETIQT



Eliseu Moraes Magalhães disse: 

Colega Raimunda Maria, quando iniciei meus estudos o curso era de 4 anos, tempo integral, formação equivalente ao que é hoje o tecnólogo e a instituição se chamava Escola Técnica de Indústria Química e Têxtil. Na verdade é impossível separar a indústria da química!



raimunda maria sousa silveira disse:

ESTOU TENDO AULA DISSO NO TÉCNICO EM VESTUÁRIO,NO CETIQT

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço