Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Análises revelam que roupas infantis feitas na China contêm produtos tóxicos

Foto tirada em maio de 2015 mostra trabalhador chinês fazendo calças jeans em uma fábrica de vestuário em Shishi, província de Fujian, no leste da China (STR/AFP/Getty Images)

Foto tirada em maio de 2015 mostra trabalhador chinês fazendo calças jeans em uma fábrica de vestuário em Shishi, província de Fujian, no leste da China (STR/AFP/Getty Images)

Pais querem o melhor para seus filhos e cuidam da sua saúde. Mas podem não estar cientes de um risco: as roupas infantis feitas na China podem estar contaminadas com produtos tóxicos.

Os efeitos podem não ser visíveis, muitas crianças não apresentam nenhuma reação aparente. No entanto, para algumas a exposição por longos períodos de tempo a grandes quantidades de produtos químicos perigosos, presentes em roupas contaminadas, resultam em reações alérgicas, erupções cutâneas, ou problemas de saúde mais graves.

Nos EUA, oficiais das aduanas ou a Consumer Product Safety Commission (Comissão de Segurança de Produtos ao Consumidor, CPSC), agência federal norte-americana que examina produtos como roupas infantis, em alguns casos conseguem pegar os produtos contaminados, mas outros embarques passam despercebidos. Os oficiais buscam por certas toxinas e a CPSC, devido a limitações orçamentais e de pessoal, inspeciona apenas uma pequena parte dos produtos que estão no mercado.

A China é o maior produtor têxtil mundial, mas os fabricantes chineses não são os únicos culpados. Para obter maior lucro, muitas empresas estrangeiras estão terceirizando a produção para países com baixos custos de produção e de salário. Muitas vezes as normas de saúde não são respeitadas nesses países, permitindo que as marcas internacionais, ao tingir e processar as roupas, usem produtos químicos perigosos.

Abaixo estão 5 produtos químicos potencialmente tóxicos encontrados em roupas fabricadas em países como a China:

1. Chumbo

Finalidade: Fabricantes usam o chumbo no preparo dos produtos têxteis. Os pigmentos à base de chumbo são mais frequentemente encontrados em objetos coloridos e brilhantes.

Efeitos na saúde: a exposição excessiva ao chumbo pode afetar quase todos os sistemas do  corpo humano, de acordo com o Center for Disease Control and Prevention (Centro de Controle e Prevenção de Doenças). Como não há sintomas evidentes, a exposição ao chumbo é muitas vezes ignorada. Para as crianças com idade inferior a 6 anos, o envenenamento por chumbo pode afetar gravemente o desenvolvimento físico e mental, de acordo com a Mayo Foundation for Medical Education and Research (Fundação Mayo para Educação Médica e Pesquisa).

Exemplo: Em abril deste ano, as autoridades federais dos EUA pararam um carregamento de roupas rosas de bebê importadas da China devido à contaminação por chumbo. De acordo com a Lei de Substâncias, foi ordenada a destruição dos produtos. Da mesma forma, em março, funcionários da alfândega apreenderam milhares de mochilas e lancheiras infantis, também vindas da China, devido a níveis inaceitáveis de chumbo contidos nos zíperes.

2. NPEs (Etoxilato de Nonilfenol ou Nonilfenóis)

Finalidade: os NPEs estão presentes nos detergentes industriais usados para lavar produtos têxteis.

Efeitos na saúde: os NPEs podem causar alteração hormonal, levando a efeitos reprodutivos e de desenvolvimento possivelmente negativos. Também podem se acumular nos tecidos do corpo, de acordo com a U.S. Environmental Protection Agency (Agência de Proteção Ambiental dos EUA).

Exemplo: Em 2013, o Greenpeace, uma organização não-governamental com sede nos Estados Unidos, divulgou estudo feito com os dois maiores centros de produção de roupas infantis  da China. Combinadas, essas duas regiões respondem por 40% da produção de roupas infantis deste país, grande parte das quais são exportados para países como os Estados Unidos. Os pesquisadores descobriram que mais da metade das peças de vestuário continha NPE.

3. Ftalatos

Finalidade: Muitas vezes chamado de plastificantes, eles são usados para fazer plásticos mais flexíveis e duráveis, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças. Estão presentes em objetos de uso doméstico: desde produtos de limpeza a embalagens de alimentos e também em cosméticos. Em têxteis, são comumente encontrados no plastisol, que é aquele material de borracha usado para criar gravuras ou logotipos em camisetas.

Efeitos na saúde: atua como desregulador endócrino. Os ftalatos podem perturbar os níveis hormonais e até mesmo contribuir para o câncer de mama.

Exemplo: No mesmo estudo do Greenpeace nos centros têxteis chineses, os pesquisadores descobriram altas concentrações de ftalatos em duas das amostras.

4. PFC (perfluorado e produtos químicos polifluorados)

Objetivo: Eles são usados para fazer tecidos impermeáveis e são encontrados principalmente em produtos como capas de chuva e sapatos.

Efeitos na saúde: Em estudos feitos com animais, alguns PFCs mostraram interromper a atividade endócrina normal, reduzir a função imunológica e afetar negativamente o fígado e o pâncreas, de acordo com o Instituto Nacional de Ciências de Saúde Ambiental. Não são conhecidos todos os efeitos na saúde dos seres humanos, mas as variações de PFCs como PFOS e PFOA têm sido associados com câncer e doença renal.

Exemplo: Outro relatório de 2014 do Greenpeace estudou 82 itens de vestuário para crianças e bebês, com um terço deles tendo sido fabricados na China. O estudo testou cinco tipos de produtos químicos usados regularmente na indústria têxtil, um dos quais o PFC, e encontrou o produto em vários itens. Um maiô Adidas continha níveis mais altos de PFC do que o permitido pela própria empresa fabricante.

5. Formaldeído

Objetivo: O formaldeído é encontrado em vários tipos de objeto de uma casa, tais como materiais de construção, móveis, xampus e cosméticos. É comumente usado na indústria têxtil para fazer roupas livres de pregas, com uma aparência de sempre passadas, bem como para evitar o mofo durante o transporte.

Efeitos na saúde: A exposição excessiva ao formaldeído pode causar náuseas, sensação de queimação nos olhos, nariz e garganta, tosse e irritação da pele, de acordo com o National Cancer Institute (Instituto Nacional do Câncer). Embora o produto químico tenha sido rotulado como agente cancerígeno, para a maioria das pessoas, o maior perigo do formaldeído é a dermatite alérgica.

Exemplo: Um estudo de 2010  realizado pelo Escritório de Prestação de Contas do Governo Americano descobriu que alguns tecidos vendidos nos EUA excederam os níveis permitidos de formaldeído, incluindo um chapéu para meninos fabricado na China que continha 206 partes por milhão do produto, mais de duas vezes o padrão. Para indivíduos sensíveis à dermatite de contato, 30 partes por milhão já podem causar uma reação alérgica.

Dicas para os pais:

1.  Evite aquelas roupas do tipo sem vinco, repelente de traças, resistente a manchas ou resistente ao fogo.
2. Opte por roupas feitas com fibras naturais (como o cânhamo, algodão orgânico, linho, seda ou lã) em vez das de fibras sintéticas, que podem causar reações alérgicas. Escolha o algodão orgânico e não o algodão comum, que é frequentemente cultivado com grandes quantidades de fertilizantes.
3. Troque com maior frequência as roupas que ficam próximas da pele.
4. Tente ficar longe de sandálias, botas ou capas de chuva feitas inteiramente de materiais de borracha ou de plástico.
5. Evite roupas com estampas de plastisol.
6.  Experimente comprar em lojas que possuem a garantia de não-toxicidade.
7.  Lave as roupas novas antes de usar.

https://www.epochtimes.com.br/analises-revelam-roupas-infantis-feit...

Exibições: 1477

Responder esta

Respostas a este tópico

Oque a china não tem tóxico?

Talvez esteja ai o motivo do aparecimento de vários sintomas ainda desconhecidos. Fiquemos alertas!

Loureiro, concordo com voce. Mas existe ainda a idoneidade do vendedor e no caso da China, não existe. Ainda com algumas excessoes, o produto é de qualidade, mas não há certificações ou exigencias em 80% dos casos de fornecimentos daquele pais. As empresas não podem deslocar sempre um tecnico pra seguir as exigencias e nem os embarques, assim a qualidade segurada deveria ser o tom do produto, tal qual se faz no Brasil, EUA, e alguns paises europeus(raras excessões). Vai dai que o Renato apesar de exagerar no conteudo, tem lá suas razões. Mesmo os tecidos importados da China a preços que não paga nem o transporte, se pegar para analise, 90% deveria ser devolvido, pois em tudo há problema na qualidade, ou é o fio, ou a metragem, ou largura, ou trama, ou vies, ou seja tudo é drama. O que devia ser feito é dispensar as compras daquele pais, sem contar com o aviltamento dos preços. Não tem como competir com o trabalho escravo nequele pais, mas aqui fecham-se empresas, o governo faz dois pesos e duas medidas e liberam o produto que de lá vem, mesmo sabendo te todos os problemas, assim a culpa continua sendo nossa.

Nós gostamos de reclamar desta situação, mas a verdade é que a China está melhor do que o Brasil!

Se fizéssemos este estudo no Brasil teríamos resultados iguais, senão piores!

Com a louvável exceção de 3 empresas de Denim certificadas pelo OEKO-TEX ® Standard 100 - que proíbem todas estas substâncias  nocivas - teríamos um desastre!

A China já tem lei que proíbe substâncias tóxicas para seu consumo interno enquanto o Brasil está trabalhando nisso desde 2014 mas ainda não tem!

Então os Chineses exportam para países como o Brasil! E o nosso varejo compra!

Quem quiser saber mais detalhes sobre a legislação chinesa e nosso trabalho no comitê ABNT/CB-17:100.05 – Comitê Brasileiro de Têxteis e do Vestuário – Comissão de Estudo de Acabamentos  – GT de Segurança Química  em Têxteis que me procure!

Loureiro, eu comprei na rua em Pequim um relogio rolex igual ao que eu portava, por 11 dolares.Exatamente igual, até com a numeração e identificação grafica/digital, isto é PIRATARIA. Fomos ao bairro de Gandsung, lá as empresas não tinhão nem portas, os galpões eram vasados e tinha pelo menos 200 pessoas em 150m² de area e nem banheiros vi! Acho que voce não esteve por lá, só comprou na confiança, isto é TRABALHO ESCRAVO. O Frits, tem razão "HOJE" existe certificações, 2014 foi ontem, a festa chinesa com o Brasil tem 10 anos. Estive por lá a 4 anos atraz. Logico que há empresas idoneas, como aqui tb. e trabalho escravo não é só no Brasil, a China ainda hoje é um mar de escravidão e podem me provar o contrario por favor, mas com fatos, não na conversa ou de ouvir falar. Tenho contatos por lá, por conta de um amigo que esta morando a 6 anos em Pequim e roda os maiores centros de compras da China. Eu comprei muito produto de qualidade por conta deste amigo, ele ia na sombra dos grandes que lá compravam. É um assunto extremamente controverso, bem sei, mas esfriem, a China vai continuar a deitar e rolar em cima de nos, não há duvidas.

Não vou alongar esta conversa, mas para sua orientação passei 6 meses revirando a China e tb HK , Filipinas e Marrocos. Não sou tão habilitado como voce esta propondo, respeito sua posição e a aceito, mas acredito que só passou pelos grandes centros, eu vi a periferia destes paises e o que vi não é bem o que voce viu, então é dificil continuar esta discusão.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço