Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Docente das áreas Têxtil e Vestuário, Mestre em Política Científica e Tecnológica e Sócio da Carlota Reis Camisaria Feminina

A fabricação do tecido denim é especialmente dependente do processo de tingimento dos fios destinados ao urdume, uma vez que o índigo não é o tipo de corante mais indicado para o algodão, sendo preciso repetir várias vezes o tingimento pelo processo de imersão e oxidação para se obter um azul intenso sobre as fibras. Existem três processos de tingimento do fio com corante índigo:

Figura: Corante Índigo


Máquinas em corda (rope dye): O processo de tingimento por máquinas em corda produz resultados mais uniformes no tingimento e apresenta ainda maior produtividade. No entanto, o processo em corda exige maior investimento em equipamentos para produção do tecido. Tingimento em corda consiste na alimentação de um conjunto de cabos produzidos no urdimento conhecido como ball warping, que pode conter de 300 a 450 fios de urdume. Esses cabos são dispostos de forma homogênea na máquina de tingimento e após a tintura são separados e reunidos em roletes de urdume num procedimento conhecido como re-beaming, especifico este processo a partir desta etapa seguem para a engomagem.

Máquinas multi-caixas (slasher dye): Possibilitam o tingimento de uma maior gama de cores e títulos de fios, numa instalação compacta que reduz custos. Nas máquinas multi-caixas, os rolos de urdume são agrupados em uma gaiola similar à do processo de engomagem. Os fios dos rolos de urdume seguem para o tingimento em diversas cubas ou caixas e no mesmo processo são engomados e reunidos formando os rolos para tecelagem.

Máquinas em uma única caixa (Loop-dye): Apresenta menor custo de instalação em relação aos outros tipos de máquinas, com possibilidade de tingimento de uma maior gama de cores e títulos de fios. Neste caso os rolos de urdume são agrupados em uma gaiola (similar a do processo de engomagem) e seguem para o tingimento, que é feito em uma única cuba ou caixa e no mesmo processo os rolos são engomados, ficando prontos para tecelagem.

Docente das áreas Têxtil e Vestuário, Mestre em Política Científica e Tecnológica e Sócio da Carlota Reis Camisaria Feminina

Exibições: 550

Responder esta

Respostas a este tópico

Ja comandei a produção destas maquina.

Cara Mestre ,

O corante Indigo não é nada mais nada menos que um corante de redução e se comporta como qualquer outro corante deste tipo(enxofre , indanthren ). Estes corantes se caracterizam por na sua forma normal(ou seja oxidada) não terem afinidade sobre a fibra de algodão, então precisam ser transformados na forma "Leuco" através de uma redução ácida ou alcalina para se tornarem afins a fibra e  penetrem e depois serem transformados através da oxidação na  cor original desejada.

O processo de tingimento de índigo  por impregnação e redução, oxidação, é o mais usual pelo efeito que dá após os diversos tipos de  lavagens , porém ele pode ser usado pelo processo de esgotamento (por pigmentação e posterior redução ou por pré redução).

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço