Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Brasil terá primeira Norma que limita uso de químicos danosos ao ser humano

Queridos, queridas

Eu acho de extrema importância divulgar notícias como esta, ainda que estas normas estejam diretamente ligadas a adaptação do Brasil com as normas implementadas ano passado pela União Européia para continuarem exportando.

Fiquei feliz! É mais um passo!

----------

Brasil terá primeira Norma que limita uso de químicos danosos ao ser humano

Com o objetivo de mudança, o Sinditêxtil-SP está participando de um Grupo de Estudo de Produtos Danosos, coordenado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), com o apoio da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) e da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), que está se reunindo para a constituição de uma Norma voluntária sobre o uso de produtos químicos tóxicos em artigos têxteis. Vale lembrar que, já existem dois comitês (CB–10/ química e CB-17/ têxteis), que trabalham com este assunto.

Vale lembrar que, a Norma ABNT é voluntária, e caso o INMETRO publique alguma Resolução ou Nota Técnica citando a norma, ela passará a ser fiscalizada. Assim, os produtos que não estiverem de acordo com norma  poderão sofrer sanções e penalidades descritas pelo INMETRO ou ANVISA, dependendo do órgão responsável. A Norma brasileira não pretende banir nenhuma substância, apenas estipular limites para o seu uso na indústria têxtil e de confecção.
 
Caso a Norma seja implantada, a produção interna e os produtos importados terão um prazo para se adequar aos limites das substâncias químicas citadas pela norma. Muitas empresas - principalmente os grandes varejistas - já estão adaptadas às normas e regulamentações internacionais, em especial, ao ZDHC (ZERO DISCHARGE OF HAZARDOUS CHEMICALS), que é um programa internacional que visa banir algumas substâncias consideradas nocivas ao meio ambiente.
  
Já na Europa, existe o REACH – 2008 (Evaluation, Authorisation and Restriction of Chemical substances), que tem como principal objetivo garantir uma elevação do  nível de proteção da saúde humana e do ambiente. Para isso, introduz a obrigação de realizar um registro de todas as substâncias químicas comercializadas dentro do território da União Europeia.

EUA, Japão e Europa já controlam a utilização de substâncias nocivas em têxteis. Nos EUA, por exemplo, é adotada a norma CPSIA (The Consumer Product Safety Improvement Act (CPSIA) – 2008, que fiscalizam dentre outros aspectos: aparência após a lavagem, solidez à fricção, flamabilidade, PH, pontas afiadas e  partes pequenas das roupas que podem se soltar.

Segundo Lourival Flor, diretor de Sustentabilidade do Sinditêxtil-SP e um dos coordenadores do grupo de estudo, muitos países já têm regras e leis em relação à toxicidade em produtos têxteis. “As importações na União Européia, por exemplo, são muito controladas e certificados são exigidos dos exportadores. Quando a Norma voluntária for aprovada e colocada em prática no Brasil, o principal beneficiado será o consumidor brasileiro”, explica o diretor.

 Os produtos nocivos ainda são usados, por serem mais baratos, mas a indústria química está bem avançada no desenvolvimento de itens substitutos para essas substâncias, lembrando que elas não serão banidas, apenas sua utilização será restrita. O Grupo de Estudo de Produtos Danosos já está pesquisando quais seriam esses substitutos e qual a viabilidade econômica da substituição de algumas substâncias, a intenção é não prejudicar a produção interna, mas estar de acordo com as legislações praticadas na Europa, EUA e outros países.

Dentre a lista de substâncias 10 danosas ao meio ambiente e à saúde, que serão monitoradas pela norma, estão:

Polifluorcarbonos 8C(PFC'S) PFOS e PFOAS,

Aminas aromáticas/corantes azo Listados,

Alquil Fenóis  e Nonil Fenol,

Corantes disperses alergênicos,

Metais Pesados (chumbo, cádmio, mercúrio, cromo e níquel),

Ftalatos,

Formaldeído,

Pesticidas,

Compostos organo estanosos  

Fenóis (Pentaclorofenol e Tetraclorofenol).
   

Exibições: 756

Responder esta

Respostas a este tópico

Realmente será um conjunto de normas de grande utilidade para a sociedade e permitirá também garantir a integridade do meio ambiente, pois não só durante sua produção e uso pode haver contaminação do usuário e do meio ambiente com substâncias danosas, mas também no momento do descarte dessa roupa. Precisaríamos gerar nos ecopontos a repartição de coleta para têxteis  , além das repartições de vidro, papel, metal e plástico , afinal apenas nos momentos de campanha de agasalho próximo ao  inverno que temos disponibilização de pontos para depositar têxteis e como diz a campanha, só roupa boa , pois bem e a roupa que não está boa onde se descarta? Se o poder público disponibiliza-se pontos de coleta a qualquer época do ano muito poderíamos avançar em relação a esse problema no meio ambiente.

Maria tem super razão...a ABIT tem um programa desde 2003 senao me engano para coletar os residuos texteis da região do Bom Retiro, por dia são mais de 1 tonelada de retalhos.
Está até agora em processo.

Mas existem sistemas de coletas com empresas recicladoras, a questão é que as roupas com costura não podem ser recicladas para virarem texteis novamente por conta das costuras por exemplo.

neste caso existe outro projeto para se criarem incineradores para roupas que sejam jogadas foras...

Eu por exemplo que tenho um filho de 7 anos preciso usar a criatividade com as roupas deles hahaha porque vão embora muito rápido.

A calça vira bermuda cortada, depois ela vira pano de chão hahaha As que não da pra fazer isto eu dou em comunidades pobres.

Mas estes projetos precisam ser ativados logo.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço