Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Calcinhas Menores Estão Fazendo a Cabeça, e o Corpo, das Mulheres

Opção pelo fio-dental está crescendo entre as consumidoras
Modelos estão diminuindo no corpo das mulheres
Do tempo em que Ana Maria, aquela, do biquíni de bolinha, ficava envergonhada por causa do tamanho da sua peça de vestuário, muita coisa mudou. Hoje, quanto menor a calcinha, mais na moda ela está. Além da sensualidade, a lingerie pequenininha também é um truque: por baixo da roupa, ela não fica aparente.

Disfarçar a presença da peça é um dos motivos pelos quais a mulherada está tão exigente em relação ao tamanho da roupa de baixo. Isto porque, para quem mais entende do assunto, a calcinha marcando, revelada sob a roupa, é brega! Marquinha no bumbum, só de biquíni mesmo – e, de preferência, um modelito bem atrevido.

A comerciante Mira Soni, proprietária da Deslize, loja de moda íntima, em Campinas, São José, confirma: o modelo fio-dental domina o mercado. Ela revela que, além de confortáveis, são as calcinhas que menos marcam. No ramo há 20 anos, Mira revela que os fabricantes vêm adaptando as calcinhas pequenas aos diferentes públicos.

– Não é porque a mulher é gordinha que ela precisa usar uma lingerie feia. Para quem está um pouco acima do peso, caso de grande parte da população brasileira, as laterais das calcinhas são um pouco mais largas, para disfarçar as gordurinhas – diz.

A ideia é que a marca da calcinha por baixo da roupa desapareça, segundo a lojista. Só que não basta ser sensual. A calcinha deve ser confortável.

Modelos de microfibra garantem conforto

Para Angélica Martins, da loja D’Mony, da Praia Comprida, as calcinhas fio-dental são procuradas por mulheres de todas as idades.

– Tem até senhorinha entrando na onda. E não é para uma noite especial, mas para o dia a dia – conta.

Aí é que entram os modelos de microfibra, mais confortáveis que as tradicionais rendinhas.

Além da sedução

Mesmo diminuindo, as calcinhas ganham funções diferentes. Algumas dão efeito de bumbum empinado, outras disfarçam a barriguinha, modelam a cintura ou são pura sedução.

A cor, o tecido, a modelagem e o tamanho são fundamentais na hora de escolher a peça. Isso tudo para dar conforto e atender às necessidades da mulher em qualquer ocasião. Na hora de comprar, é preciso ficar atenta aos detalhes. Dependendo do modelo e material, algumas peças podem até ficar imperceptíveis para quem olha, mas, se forem desconfortáveis, trarão aquela incômoda lembrança a todo momento para quem estiver usando.

De meninas a vovós

Na loja de Mariana Goulart da Luz, a Lulu’z Moda Íntima, no Centro da Capital, as calcinhas maiores vendem bem pouco em relação aos modelos da moda.

– Hoje, só quem procura as maiores são as senhoras idosas e algumas mulheres grávidas. Mesmo elas, em maioria, estão preferindo o tipo fio-dental – explica Mariana.

Na loja, até as pré-adolescentes, já a partir dos 12 anos, pedem os modelos que não marcam na calça.

Escolha a sua!

::: Babados, strass, renda, laços, fitas, correntes. Todos estes elementos podem estar presentes nas calcinhas e são aplicados dependendo da característica de cada uma. A moda é incrementar

::: A linha romântica é marcada por muito tecido, babados e renda. As calcinhas são mais sóbrias, têm um ar de glamour, mas sem perder a sensualidade

::: Para quem quer fazer a linha “mulher fatal”, as calcinhas sexies são as mais indicadas. Nelas, a criatividade não tem limites. As pedrarias e brilhos costumam substituir parte do tecido, em peças geralmente menores que o fio-dental comum

::: E não é porque o fio-dental está na moda que as velhas calçolas básicas serão extintas. Nada supera o conforto de uma calcinha feita de algodão e que cobre todo o bumbum. Afinal, gosto é gosto, e não se discute
Fonte:|http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/horadesantacatarina/19%2C0%2C...

Exibições: 519

Responder esta

Respostas a este tópico

No Brasil ainda existe um problema com este artigo, a parte de traz deveria ser mais alta para não ser um incomodo.

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço