Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

O presidente do Sindivest/MS (Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Vestuário, Tecelagem e Fiação de Mato Grosso do Sul), José Francisco Veloso Ribeiro, acompanhado pelo vice-presidente Antônio Breschigliari Filho e pelo diretor Cláudio Salomão, visitaram, no fim da tarde de ontem (28/03), a 1ª fábrica de fiação instalada em Campo Grande. Trata-se da GID Têxtil, que está localizada no polo industrial oeste da Capital, na saída para Terenos, e será inaugurada nesta sexta-feira (30/03) com capacidade inicial de produção de 164 toneladas de fios por mês.

Para Francisco Veloso, a presença da fábrica em Campo Grande pode despertar o interesse de outras empresas do segmento. “Essa indústria fábrica foi um ganho, pois atrás dela virão malharias, tinturarias e tecelagens interessadas em desenvolver suas atividades no Estado. Afinal de contas, além do benefício fiscal disponibilizado para o setor da indústria têxtil, Campo Grande também tem proximidade com o maior produtor de algodão, que é o Mato Grosso”, declarou.

Marco

Na avaliação do diretor-corporativo da Fiems, Jaime Verruck, a instalação da fábrica contribui muito para o desenvolvimento econômico do Estado. “A instalação dessa empresa é de extrema importância para o ciclo produtivo do algodão no Estado. A vinda dela representa o adensamento da cadeia algodoeira, pois passaremos a agregar valor a uma matéria-prima agropecuária”, destacou.

Já o vice-presidente do Sindivest/MS, Antônio Breschigliari Filho, considerou a instalação da fábrica um marco para segmento. “É um grande salto em relação ao setor produtivo do setor de confecção, podendo ajudar a atrair outras do mesmo segmento, gerando mais emprego e renda na região”, prometeu.

A fábrica

Segundo o diretor-executivo da GID Têxtil, Luís Eduardo Guedes, a instalação da fábrica no Estado deve-se ao fato da proximidade com outras regiões produtoras da matéria-prima necessária, a pluma de algodão, além dos incentivos fiscais. “A perspectiva é de estabilizarmos ao nível máximo de produção, que é de 160 toneladas por mês. O prédio da fábrica tem estrutura predial adequada para a ampliação da indústria e aumento da produção”, ressaltou.

Inicialmente, a GID Têxtil contará com 24 funcionários, atuando na produção dos fios 30/1 e 36/1OE, ambos 100% algodão. “Além do algodão de Mato Grosso, também vamos utilizar a produção aqui do Estado”, contou o diretor-executivo da fábrica, Luís Eduardo Guedes.

Fonte:|http://www.msnoticias.com.br/?p=ler&id=83263

Exibições: 1632

Responder esta

Respostas a este tópico

Que notícia boa!!! Pois ultimamente só se houve falar em fechamento de fábricas têxteis. Seria maravilhoso ver este seguimento da indústria brasileira ressurgir. Só aqui em Friburgo são três que já foram potências no passado e que hoje estão total ou parcialmente desativadas. Vou torcer para que a GID prospere pois confesso que sou um apaixonado pela indústria têxtil.

 

Meus Parabéns aos empresários visionários que estão investindo em um seguimento tão importante para a economia e continuidade dos postos de trabalho do pais. Com a agressividade chinesa estamos sem perceber gerando uma desindustrialização no nosso pais e vamos chegar ao ponto de ficar totalmente nas mãos deles se o governo não tomar uma medida que funcione de verdade. freqüentemente acompanhamos empresas do segmento têxtil fechando as portas e ou desfazendo dos seus ativos e ver alguém investindo no seguimento é uma vitoria para o setor.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço