Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Por Thais Beloso

Estilista e modelista autônoma (moda feminina casual e moda pet)

 

Toda confecção apresenta um setor de corte que é responsável pelo encaixe dos moldes, enfesto dos tecidos e a realização dos cortes. Esse processo envolve um estudo dos moldes a serem encaixados e a melhor disposição sobre o enfesto, tentando sempre descobrir como diminuir o custo do tecido, encaixando o maior número de moldes possíveis em uma determinada metragem.

 

Porém, após o corte é possível observar sobras de tecidos que não foram aproveitados no encaixe, e que devido ao seu pequeno tamanho não servirão futuramente em outros cortes.

 

É justamente por causa dessas sobras que o setor de corte é um dos que gera o maior descarte de matéria-prima, sendo o principal responsável pela elevação de custos da produção, pois se o cortador não souber realizar um encaixe eficiente e capaz de obter o maior rendimento possível, o consumo de tecido será maior e automaticamente aumentará o custo da produção.

 

Veja nas imagens alguns exemplos de encaixe e entenda como diminuir os custos de tecido no setor de corte é imprescindível para a economia da sua confecção.

 

Exemplo de encaixe utilizando a inteligência no sistema Audaces Encaixe.

 

Além da necessidade de aproveitamento dos tecidos, é necessário ter muita atenção com relação à posição dos moldes, pois um encaixe fora do fio, incompleto ou posicionado do lado errado pode comprometer todo o corte, gerando defeitos na costura e necessitando de reposição das partes defeituosas.

 

Observe que erros não acarretam apenas perdas de matéria-prima, mas também exigem um retrabalho da equipe, tendo-se o tempo e o custo da mão de obra ainda para se somar. Porém, esse prejuízo pode ser pequeno se a empresa ainda possuir tecido do mesmo lote utilizado no primeiro enfesto para repor tais peças, caso contrário, corre-se um grande risco de se obter um lote de tecido que apresente nuances (diferentes tonalidades), o que não permite apenas a reposição das peças, mas sim a perda total ou parcial do corte realizado e a necessidade de se fazer um novo enfesto, agravando ainda mais os prejuízos.

 

Erro comum 1

Exemplo de encaixe realizado com peças incompletas. Observe que faltam as golas da camisete para completar o modelo de camisete básica.

 

Erro comum 2

Exemplo de encaixe realizado com peças posicionadas no mesmo lado. Observe que a frente deveria apresentar lado direito e esquerdo, mas estão todas posicionadas no lado direito.

 

Quando o encaixe é feito manualmente, cometer esses erros torna-se muito mais comum. Porém, se ele é feito através de um sistema automático, a precisão é maior e o cálculo é preciso.

 

Ficou mais fácil saber como diminuir o custo do tecido no setor de corte? Aprenda mais sobre este assunto baixando gratuitamente o e-book Encaixe Automático para Confecções.

Por Thais Beloso

Estilista e modelista autônoma (moda feminina casual e moda pet)

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 1163

Responder esta

Respostas a este tópico

Os Retalhos/Aparas resultantes do Corte devem seguir a Política Reversa, ou seja, os Fabricantes dos Tecidos devem recolhê-los, desfibra-los, promoverem a mistura com Matérias Primas Virgens para o aproveitamento.
Com certeza atingirão uma redução no Custo do tecido para a Confecção.

Julio Caetano

Concordo plenamente com você Júlio Caetano, mesmo com todo cuidado para otimizar o desperdício, os resíduos têxteis da indústria de confecção ainda é um grande poluidor.
Aqui na região Agreste de Pernambuco a grande maioria desses resíduos acabam nos lixões públicos.
Se realmente houvessem políticas para o rastreio responsáveis desses resíduos, com certeza a natureza iria agradecer.
Heloiza, a política e leis existem. Há Municípios no Brasil que aplicam multas pesadíssimas para as Empresas que não aplicam a Política Reversa de Resíduos Sólidos Têxteis. O triste é que muitos Profissionais da Cadeia Têxtil não praticam a Sustentabilidade.
Julio Caetano

Faltam politicas publicas para a coleta, reciclagem e reaproveitamento dos resíduos têxteis, em São Paulo muito se tentou, pouco se aprofundou no processo, sei que o Senai batalha na questão da reciclagem dos resíduos, mas dificuldades enormes encontram desde coleta, armazenamento e processamento.

Existem leis que inúmeros Municípios fazem valer e aplicam multas aos infratores.
As Empresas e os Profissionais necessitam estudar o tema e efetuar cálculos de redução de custo total de Matéria Prima com o uso de uma percentagem de Materiais Reciclados misturados com Matéria Prima Virgem.
Entendo não ser problema de Política Pública, mas sim de Custo de Matéria Prima, portanto tema eminentemente empresarial/profissional.

Julio Caetano

 

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço