Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Conheça a trajetória azul e sustentável de Savio Drew na moda nacional

Com a Obi, Savio Drew tem conquistado cada vez mais espaço com trabalho ancestral que busca referenciar o “Brasil bagaceiro" na moda.

Campanha da marca ObiObi/Divulgação

Com um território continental, o Brasil abriga trajetórias das mais diversificadas. Por isso, não é nada incomum que muito dos que vivem aqui não conheçam o país profundamente; ainda mais quando se trata das regiões Norte e Nordeste. Na indústria da moda, não é muito diferente. O debate para descentralizar o cenário das grandes capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, tem proporcionado o surgimento de novos olhares e questionamentos para o seguimento.

É a partir dessa vontade que o piauiense Savio Drew tem alcançados voos com a sua arte. O jovem de 26 anos é o idealizador e diretor criativo da marca Obi, que nasceu com o propósito de criar novas narrativas sustentáveis e de valorização do que é feito à mão. Vem conhecer mais!

Giphy/Obi/Divulgação

As principais referências e inspirações para o trabalho de Savio Drew vêm do interior sul do Piauí. O jovem nasceu e cresceu em um povoado que, descrito por ele, tinha “uns 15 habitantes”. O contexto social em que vivia com a família era de muito trabalho em troca de um lugar para morar. “Eu comparo o lugar ao sistema feudal, vivíamos fora do sistema. Tudo o que tínhamos era da natureza, produzimos tudo”, explica em entrevista à coluna.

Apesar do contato forte com a natureza e a região, Savio conta que sempre se enxergou diferente daquela realidade. “Falo que lá é um paraíso maldito porque tem toda essa coisa de estar no interior, mas tem os problemas sociais que essas cidades mais isoladas enfrentam, como machismo, homofobia e violência doméstica”.

Com o apoio da mãe, mudou-se para Brasília no intuito de tentar encontrar oportunidades para além do povoado. A mudança para a capital do país, em 2011, não foi fácil, mas o foco que o jovem tinha era muito maior que qualquer adversidade. “Fui para fazer o ensino médio porque tinha na cabeça que queria dar uma vida melhor para minha família, algo que não conseguiria se continuasse lá, muito em função da falta de oportunidades”, destaca.

Savio revela que tinha uma ótima relação com os professores pois achava que poderia aprender algo a mais. O contato com uma específica, Neide, o proporcionou reavaliar a sua origem. “Ela me ajudou a questionar e pensar de maneira mais crítica. Em valorizar quem eu sou e onde eu vim”.

obi - marca de moda
Obi significa azul em tupi-guarani

Obi/Divulgação
obi - marca de moda
O jovem piauiense tem conquistado a todos com seu trabalho ancestral e sustentável

obi - marca de moda
Ele acredita que cada peça tem um propósito

Savio Drew não apenas concluiu o ensino médio como entrou para ensino superior em uma faculdade particular da cidade por meio do Programa Financiamento Estudantil (Fies). A ideia inicial era fazer um curso de desenho industrial, porém, a falta de opções – na época só havia na Universidade de Brasília (UnB) – o levou para a cursar moda no Centro Universitário Iesb.

“Era um pessoal fora da minha realidade. Foi superdifícil porque tinha os gastos com materiais e trabalhos. Peguei o meu conhecimento que era diferente das pessoas e apliquei nos meus projetos. Foi aí que comecei a ir nesse caminho da moda sustentável e economia circular, pois nessa época não se falava como hoje em dia”, relembra, sobre a experiência na graduação.

Conduto, foi na faculdade o lugar em que o piauiense pôde viver na prática os sonhos que tinha enquanto vivia no interior. “Eu não tinha tempo a perder. Participei do Dragão Fashion, em Fortaleza, e me inscrevi no concurso de jovens talentos da GQ. Fiquei entre os 10 melhores do Brasil. A minha marca nasce com o meu TCC [Trabalho de Conclusão de Curso]”, comemora.

Obi/Divulgaçãooobi - marca de moda
O trabalho busca respeitar todas as partes envolvidas
obi - marca de moda
Savio desenvolve as coleções por meio de colaborações 

A Drew

A antiga Drew, hoje Obi, nasceu com camisas feitas de materiais reaproveitados, com manchinhas, porque a ideia de Savio era criar uma marca sustentável. O conceito seria desenvolvê-las a partir das imperfeições, com aproveitamento de tecidos e manchas dentro do designer. “Sempre tive muito claro que queria viver de moda. O que me faz feliz é criar novas narrativas”, conta.

Foi a partir da Drew que o jovem começou a viver o que era ser dono de uma própria marca, principalmente os desafios iniciais. Ele evidencia que precisou ter outros trabalhos para conseguir manter o negócio. “Eu sou da cultura urgente; a gente faz na bagaceira. O início foi muito no modo gambiarra… Eu vendia a camiseta de manhã para fazer a coleção à tarde”, lembra.

A experiência de ser professor em um projeto social do Governo do Distrito Federal foi crucial para a sua formação. Savio ensinava todo o processo de produção de moda para pessoas em vulnerabilidade social. Além disso, trabalhou em uma produtora audiovisual, o que despertou para tudo o que envolve esse universo.

Obi/Divulgaçãoobi - marca de moda
A antiga Drew, hoje Obi, nasceu com camisas feitas de materiais reaproveitados, com manchinhas

Obi/Divulgação
obi - marca de moda
Savio Drew sempre quis viver de moda

Obi/Divulgaçãoobi - marca de moda
O trabalho tem sido reconhecido por grandes nomes da moda nacional

Brasil R$ 1,99

Em parceria com o amigo Pedro Hermano, Savio Drew criou o documentário Brazil R$ 1,99. O projeto provocava quem procura e quem consome a cultura brasileira.

Trechos do curta-metragem foram capturados em Alexânia, em Goiás, para registrar as vendas de um ambulante que oferece caju na beira da estrada. Outra realidade mostrada foi a Feira do Produtor, localizada em Ceilândia, no Distrito Federal. Depois, o olhar se voltou à Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF).

O vídeo está disponível no IGTV do Instagram do Brazil R$ 1,99. Como uma conversa acelerada, o documentário fala sobre economia, venda e consumo, como se o telespectador estivesse presencialmente em uma feira.

@brazil1.99/Instagram/Reprodução

O documentário Brazil R$ 1,99 foi lançado em 2021

@brazil1.99/Instagram/Reprodução
A ideia era questionar o quanto se paga pelo “Brazil”

@brazil1.99/Instagram/Reprodução

O material visual aborda a temática das feiras populares

O azul tupi-guarani

Com o sucesso do documentário e da marca, vários nomes da moda nacional passaram a conhecer o trabalho desenvolvido por Savio Drew. Paralelamente, o jovem concretizou uma vontade que há muito tempo o cercava: a mudança de nome da marca. O projeto passaria a ser chamado de Obi.

Meu trabalho é muito sobre falar do Brasil, por isso troquei para Obi, que significa azul em tupi-guarani, além de ser uma cor que está associada à segurança é, também, a minha por excelência! Azul é tudo para mim”, expôs.

A Obi tem como o seu principal proposito falar da cultura brasileira sem ser pelo “olhar miserável”. “Quero oferecer um serviço e não um produto. A ideia é ter um usuário e não consumidor ou cliente. Uma pessoa que vá na minha marca e se inspire e descubra novas histórias. Levar uma mensagem de transformação”, orgulha-se.

@casa.obi/Instagram/Reproduçãoobi - marca de moda
A figura ancestral da avó é uma das inspirações de Savio Drew

@casa.obi/Instagram/Reprodução
obi - marca de moda
O jovem é apaixonado por aquilo que pode ser feito com a mão, como o crochê

@saviodrew/Instagram/ReproduçãoEstilista Savio Drew
Atualmente, Savio Drew faz mestrado em design de moda e sustentabilidade

Novos projetos

Desde 2o21, Savio mora na Espanha, na cidade de Valência, para concluir um mestrado em design de moda e sustentabilidade. Ele revela que a experiência tem sido enriquecedora. “Estou estudando para poder fazer o meu trabalho da forma como eu acredito”.

Em paralelo ao curso, ele desenvolve uma nova coleção para Obi. “É uma colaboração com algumas pessoas do Brasil. Serão acessórios. Hoje, produzir uma peça tem que ter sentido por causa do contexto sócio, político e econômico que a gente vive”, afirma.

Com o Brasil R$ 1,99, os planos para 2022 são o lançamento de um site com e-commerce. Savio explica que o site será dedicado às pesquisas e que terá uma parte de quitanda. “Será como uma feira, vamos vender produtos em colaboração com vários artistas brasileiros com a ideia de preservar a nossa cultura, assim como valorizar as pessoas que estão fora do itinerário. Colocar sol nesses trabalhos isolados”, deseja.

Savio Drew sustenta a defesa do que é feito no Brasil é de qualidade e merece o reconhecimento por nós mesmos. “Acho que quando você compra um produto nacional, valorizando cada ponto dele, a gente caminha para um lugar melhor como cultura. Quero criar um romance com o que é nosso. Romances ensolarados”, finaliza.

Colaborou Luiz Maza

https://www.metropoles.com/colunas/ilca-maria-estevao/conheca-a-tra...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI






Exibições: 130

Responder esta

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço