Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Coronavírus: Fabricante de travesseiros e artigos de cama de Blumenau demite 200 funcionários

Fábrica da Altenburg em Blumenau
Altenburg é a maior produtora de travesseiros do Brasil (Foto: Patrick Rodrigues, BD)

O desaquecimento da economia provocado pelo novo coronavírus continua atingindo em cheio a indústria têxtil do Vale. Depois de empresas como Haco e Brandili, foi a vez da Altenburg, maior fabricante de travesseiros do Brasil, fazer cortes na operação.

A quase centenária empresa confirmou a demissão, na última semana, de 150 funcionários. Outros 50 colaboradores temporários, totalizando 200, também foram desligados – o sindicato que representa a categoria divulgou que teriam sido 70 contratos sazonais encerrados. Com isso, o terceiro turno de produção foi extinto.

Em entrevista ao blog na última semana, o presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (Sintex), José Altino Comper, projetou que o setor têxtil da região pode perder até 10 mil empregos por causa dos impactos do novo coronavírus.

A Altenburg alega que teve forte redução na produção e no faturamento por causa do fechamento do varejo – embora o comércio tenha sido reaberto em Santa Catarina nesta semana, em outros estados do Brasil ele continua suspenso.

Sobre as demissões dos temporários, a companhia justificou que há um volume maior de contratações no início do ano para atender a demanda do inverno. São contratos normalmente encerrados em junho e julho. O cenário atual, no entanto, forçou a antecipação desses desligamentos.

“Em breve retomaremos e restabelecemos nossas atividades continuando a contribuir com a nossa comunidade, cada vez mais forte no nosso propósito: de gerar bem-estar para as pessoas”, disse a empresa em resposta enviada à coluna sobre a situação.

A Altenburg tem unidades em Blumenau, São Soque (SP) e em Nossa Senhora do Socorro (SE), além de uma fábrica no Paraguai. A companhia também tem uma rede de 11 lojas.

Por Pedro Machado

https://www.nsctotal.com.br/colunistas/pedro-machado/coronavirus-fa...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 832

Responder esta

Respostas a este tópico

Boa tarde.

Como disse hoje, 15 de abril, pela manhã, um respeitavel economista e professor da USP, só funcionários públicos tem garantia de cargos e salários, e quem garante é a iniciativa privada, onde me incluo. Está muito dificil manter a quarentena em tempo integral e sou obrigado a me arriscar para manter compromissos. E como ainda argumentou o professor, até agora o silêncio criminoso das autoridades mantém a neutralidade dessa categoria e dos politicos em geral, quanto à redução de salários. Demissão, nem pensar!

A Haco Etiquetas, em Blumenau, também demitiu na semana passada em torno de 300 funcionários.

Enquanto isso, a provincia chinesa de Hu Bei, berço do covid-19 já retomou as atividades e toda pauta de exportação. Podemos confiar nos seus produtos?

  “Em breve retomaremos e restabelecemos nossas atividades continuando a contribuir com a nossa comunidade, cada vez mais forte no nosso propósito: de gerar bem-estar para as pessoas”, disse a empresa em resposta enviada à coluna sobre a situação.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço