Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Coteminas Tem Prejuízo de R$ 51,5 Milhões no Trimestre

SÃO PAULO - A Coteminas, do setor têxtil, apresentou prejuízo de R$ 51,5 milhões no primeiro trimestre, contra lucro de R$ 10,5 milhões registrado no mesmo período do ano passado.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou em R$ 32,9 milhões, recuo de 53,5%. A receita líquida da companhia no período somou R$ 367,1 milhões, praticamente estável frente a um ano antes.

Os resultados foram pressionados pelas operações descontinuadas, que somaram R$ 39,6 milhões, e pelas despesas com vendas, gerais e administrativas, no montante de R$ 99,6 milhões.

“Importante ressaltar que a operação de varejo com a bandeira Artex se encontra em fase inicial de implantação, já incorrendo nas despesas de vendas mas com um faturamento abaixo do seu potencial total devido ao período de maturação”, explicou a empresa, em nota.

A empresa destacou que o faturamento total da rede de varejo totalizou R$ 51,4 milhões, alta de 15,8%.

Foram inauguradas três novas lojas MMartan no primeiro trimestre de 2012. A empresa prevê que serão inauguradas cerca de 32 lojas ao longo de 2012. Da marca Artex, também foram inauguradas três lojas, sendo que está planejada a abertura de cerca de 40 novas.

As vendas por meio do canal multimarcas, por sua vez, totalizaram R$ 164,9 milhões no período, crescimento de 13,4%.

A empresa fechou o ano passado em um dos maiores prejuízos de sua história - de R$ 259,7 milhões, ante lucro de R$ 2,2 milhões em 2010. Diante dos resultados e das perspectivas para o cenário global, a Coteminas anunciou no início do ano que está em negociações avançadas para a venda de ativos nos EUA. Os negócios referentes às linhas de produtos “fashion bedding” e “banho” com as marcas próprias e de terceiros estão sendo colocadas à venda.

Além disso, a holding do setor têxtil anunciou uma reestruturação acionária para simplificar sua estrutura societária. Ao fim do processo, a empresa pretende aderir ao Novo Mercado, nível mais elevado de governança corporativa da BM&FBovespa.

Fonte:|http://www.valor.com.br/empresas/2660902/coteminas-tem-prejuizo-de-...

Tags: 5, 51, Coteminas, Milhões, Prejuízo, R$, Tem, Trimestre, de, no

Exibições: 845

Responder esta

Respostas a este tópico

 

MENTIRA. Não pode ser e não creio! Considerando-se a simplificação de sua estrutura societária e o nível mais elevado de governança coorporativa da BM&FB Bovespa, acho simplesmente impossível que a LEI DA PERVERSIDADE possa influir nas moléculas ergotinas, das oscilações quânticas inerentes as divagações Einsteinianas das explicações barométricas e pendulares, da prestigiosa e venerável indústria em período pos-BNDS. É-me impossível crer em tal disparate. SdM

RISIVEL, para dizer o mínimo.

Mas, na verdade, é lamentável que uma companhia deste tamanho ainda tenha um modelo de governança tão antiquado e rudimentar. É óbvio que o seu maior problema está na confusão de interesses da sociedade com os interesses privados dos sócios.

Será muito dificil a adesão ao Novo Mercado, porque não é uam simples reestruturação societária ou organizacional que terá que ser feita - a CULTURA CORPORATIVA terá que ser revista e este é um trabalho dificil e penoso.

Infelizmente, alguns empresários ainda têm a mentalidade de que, sendo dono, pode tudo na empresa. E aí começam os chamados conflitos de agência, dentre outros.   

JS: Acertastes o prego NA CABECA!

Eu diria CHORAVEL. Muita centralizacao de poder. Ser um matematico pode ate conotar - mas nao e sinonimo de ser um bom Lider, um bom gestor.

Mas deixarei a ultima palavra com o Dalberto.

SdM

Quanto maior,... maior o tombo,

Quem financia uma perda dessas, num trimestre?

Papai morreu, e a coisa ficou preta.

Sem ajuda do BNDES vai ser dificil sair dessa ! Muitas besteiras eram elogiadas pelos puxa sacos que colocavam em dúvida outras lideranças que não tinham as mesmas facilidades financeiras de AGF(S) via BNDES, financiamentos de giro a juros baixos ... e outras facilidades não possíveis para outros grupos, parecem que acabaram ! ou não ! O mercado da bolsa de valores, nunca foi bom para nenhuma indústria têxtil. Todas que conheci, iam muito bem, até conhecerem o buraco negro da bolsa, que nunca acreditou na nossa indútria têxtil. Até grandes e fortes aplicadores da bolsa que investiram em empresas têxteis, se deram mal ! Até hoje, brigam na justiça... para recuperar não sei o que! Prejuiso !!!  O mercado interno (Brasil) de produtos manufaturados têxteis é muito grande e forte, mas as industrias têxteis são fracas e desunidas. Procuram sempre ferrar uma as outras e celebram quando uma se ferra e quebra. Está na hora de se unirem e exigirem maior respeito a esse governo de corruptos, e, deixarem de apoiar esse partido de ladrões e  enganadores, de idéias comu-facistas,  que se intalou em nosso País, graças ao apoio recebidos de grandes empresas, bancos e grandes fundos de pensões que esses ladrões administram e tomam conta, como se fossem deles. 

E vai perder mais. Vejo esse grupo, futuramente como uma Tosse do Grupo X, o qual anda em altas. Muito em breve sera ANUNCIADO PELA GRANDE MIDIA o que esta acontecendo na Siderurgica desse grupo no Nordeste. A KAKA sera imensa. Lembrem-se bem que AQUI EM NOSSO BLOG, saiu a noticia de PRIMEIRA MAO.

Quanto ao Luiz Barbosa: Me irrito em ve-lo  quase que aposentado... Aposentado em lideranca. Qual seriam seus projetos de luta para em prol da classe? Velho, ainda precisamos de seu dinamismo. SdM.

 

BARBOSA,

Não quero ofender a ninguém, pq, na verdade, não é este o nosso objetivo.

Aqui, é como se fosse o CORNER do HYDE PARK - manifestação livre de opiniões. De preferência, de modo saudável e inteligente.

Mas um dos grandes problemas que vejo no setor têxtil brasileiro, em geral, é a INFORMALIDADE. É público e notório o quanto foi usada a meia NF (ou, algumas vezes, nenhuma...) no setor, desde as indústrias até o ponto de venda ao consumidor.

Muitos dirão qyue isto era necessário para fazer frente ao custo tributáriio exacerbado...

Não vou discutir ESTE mérito, mas estou há bastante tempo alertando de que esta prática destruiria o setor tal como o não pagamento de IR pelo Al Capone foi a arma usada para a sua prisão.

O Brasil, hoje, possui um dos sistemas mais evoluidos de administração tributária. Hoje, qualquer Auditor Fiscal tem acesso a um mundo de informações que, anos atrás, eles nunca conseguiruiam obter. E tudo está ON LINE. A contabilidade das empresas, hoje, está aberta paar a Receita Federal e para os Fiscos Estaduais.

Daí a evolução da arrecadação - fruto desta eficiência.

Mas, infelizmente, as empresa do setor têxtil, assim como de outros, não se atualizaram no modelo de gestão e, agora, não há mais como fazer os "jeitinhos" de antigamente...

O que me impressioané que muitos ainda insistem neste modelo falido...

No casio da COTEMINAS, o grupo não se adequou às melhores práticas da Governança Corporativa, em especial em 3 pontos fundamentais: transparência, prestação de contas e responsabilidade corporativa.

O mercado continua em busca de explicações apropriadas para a operação CHINA / URUGUAI / BRASIL, em que o produto semi-acabado era importado em regime de "draw back" para uma "indústria" no Uruguai, e esta, depois de uma "industrialização" vendia toda a a produção para a COTEMINAS no BRASIL, SEM pagar tributos, benefuiciando-se das regras do MERCOSUL. São fumaças que ainda estão no ar...

Da mesma forma, ainda há muita fumaça em torno da estadunidense SPRINGS, que "aparenta" ser uma gigante do setorm, tem um belo "site" na iNTERNET mas que, na realidade, estaria mais para "GHOST" no mundo real... 

E onde há fumaça, dizem, há FOGO!

E agora se vê que o CREDIT SUISSE já detem 17% da Companhia..

Porque será que as torneiras do BNDES já não jorram mais como dantes? Bom, talvez falte FIADOR...

Mas há outros fatores que justificam o "abandono" da ex-afilhada...

Enfim, há muito o que ser explicado pela COTEMINAS!  

 
Luiz Barbosa Lima disse:

Sem ajuda do BNDES vai ser dificil sair dessa ! Muitas besteiras eram elogiadas pelos puxa sacos que colocavam em dúvida outras lideranças que não tinham as mesmas facilidades financeiras de AGF(S) via BNDES, financiamentos de giro a juros baixos ... e outras facilidades não possíveis para outros grupos, parecem que acabaram ! ou não ! O mercado da bolsa de valores, nunca foi bom para nenhuma indústria têxtil. Todas que conheci, iam muito bem, até conhecerem o buraco negro da bolsa, que nunca acreditou na nossa indútria têxtil. Até grandes e fortes aplicadores da bolsa que investiram em empresas têxteis, se deram mal ! Até hoje, brigam na justiça... para recuperar não sei o que! Prejuiso !!!  O mercado interno (Brasil) de produtos manufaturados têxteis é muito grande e forte, mas as industrias têxteis são fracas e desunidas. Procuram sempre ferrar uma as outras e celebram quando uma se ferra e quebra. Está na hora de se unirem e exigirem maior respeito a esse governo de corruptos, e, deixarem de apoiar esse partido de ladrões e  enganadores, de idéias comu-facistas,  que se intalou em nosso País, graças ao apoio recebidos de grandes empresas, bancos e grandes fundos de pensões que esses ladrões administram e tomam conta, como se fossem deles. 

O Amigo Jonatan Schmidt é muito educado e politicamente correto. Isso é uma VIRTUDE que eu não tenho. Dai explicarei para os leigos uma parte de seu texto (rsrsrs):

"O mercado continua em busca de explicações apropriadas para a operação CHINA / URUGUAI / BRASIL, em que o produto semiacabado era importado em regime de "draw back" para uma "indústria" no Uruguai, e esta, depois de uma "industrialização" vendia toda a a produção para a COTEMINAS no BRASIL, SEM pagar tributos, beneficiando-se das regras do MERCOSUL. São fumaças que ainda estão no ar..."

ESPECIFICAMENTE o Jonatan infere a "Nacionalizações" de COBERTORES SEMI-ACABADOS CHINESES, um pouquinho "MAQUILLADO” no URUGUAI, e por / e de lá vendido ao Brasil como produto do MERCOSUL.

ISSO E SACANAGEM? Sabiam? Estavam mordendo a língua, digo os meus tres dedos digitadores, para não por isso no blog, mas não me aguentei.

 

Esse homem eh um suposto defensor da INDÚSTRIA  textil Brasileiro e futuro Senador pelo RGN. Para ele a famosa oração do Rei George da Inglaterra:

"Senhor Deus! Livrai-me dos meus Falsos Amigos, pois dos inimigos me livro eu!" - SdM

Responder à discussão

RSS

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço