Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Em evento do Sebrae, Paulo Borges enfatiza a importância da integração da cadeia produtiva e a criação de políticas públicas para o desenvolvimento do setor

A cadeia produtiva da moda no Brasil está desconectada e trabalhando de forma independente, adverte o criador da São Paulo Fashion Week (SPFW), Paulo Borges. "A falta de diálogo entre as indústrias têxteis e de calçados, das confecções, estilistas e comerciantes prejudica o crescimento do mercado brasileiro da moda", detacou.

Em palestra para cerca de 80 empresários e gestores do Sebrae na manhã desta quinta-feira (14), na SPFW, Borges falou sobre os desafios da moda no país e as perspectivas de mercado. Segundo ele, o Brasil está na lista dos 10 principais mercados mundiais da indústria têxtil. É o segundo maior fornecedor de índigo e o terceiro de malharia.

Apesar dos números favoráveis e do crescimento da economia nacional nos últimos anos, a indústria têxtil brasileira reclama da concorrência de empresas internacionais e da flutuação do câmbio. Entidades do setor vêm articulando com o governo federal medidas protecionistas.

"A indústria têxtil não inovou nos últimos anos, não se transformou e agora, defende o fechamento de mercado. No entanto, ela deveria estar associada à moda brasileira. Com as restrições de importação de matérias-primas, o setor perde competitividade e inovação", disse Paulo Borges. Ele também defendeu mudanças no calendário da moda para que as empresas possam organizar com melhor a produção. "Todo mundo sabe que o mercado brasileiro da moda tem problemas com os prazos curtos de entrega. Isso é histórico. Queremos mudar não apenas as datas, mas fazer uma transformação na moda", destacou.

Para o idealizador da maior semana de moda da América Latina, o governo também deveria articular políticas públicas para fomentar novos investimentos no setor. "Há 30 mil empresas vivendo da moda hoje, que faturam US$ 50 bilhões e empregam mais de 2 milhões de pessoas. Não temos uma política de governo articulada e transversal para ajudar a desenvolver este mercado".

A Semana de Moda em São Paulo, que começou na última segunda-feira (11) e termina no próximo sábado (16) , trouxe à cidade cerca de 2 mil compradores nacionais e 30 internacionais. Segundo Borges, a cada edição, a SPFW impulsiona mais de R$ 1,3 milhão em negócios.

Fonte:|http://www.administradores.com.br/informe-se/administracao-e-negoci...

Exibições: 352

Responder esta

Respostas a este tópico

Mandou muito bem Rita Ferreira Troncoso, concordo plenamente com vc.

Rita Ferreira Troncoso disse:

Eu concordo com a aplicação de medidas protecionistas em relação a produtos já manufaturados especialmente os produtos chineses que vêm invadindo o mercado. Além de baixo preço eles apelam quebrando patentes.

Também deveria ter alguma regra para qualidade. Tem produtos quem têm vida útil de uma semana, por exemplo: metal dourado que logo se desbota, descasca ou pior ainda se quebram. Imitações de couro que racham e descascam descobrindo o tecido por baixo.

Não se trata de um problema do consumidor que não se certificou da qualidade, validade, garantia do fornecedor  na hora da compra se. A população é leiga, não se preocupa com isso ou até confia e/ou arrisca. O grande problema é que estes produtos "fakes" (falsos) logo ficam inutilizáveis e acabam virando lixo ?(!).

Quem não se preocupa com isso deveria assistir a um vídeo chamado "A história das coisas". Existe online e legendado.

Segue o link:

 

http://www.youtube.com/v/3c88_Z0FF4k&fs=1&source=uds&au...

e para completar um video de alerta produzido por mim:

http://www.youtube.com/watch?v=hNBUMQlrpNo&feature=youtu.be

 

ATT.

Rita

 

 Eu só tenho a lamentar sobre o comortamento dos profissionias de moda sem nenhuma independencia de criatividade, passando uma visão de imcapasidade total; O nosso algodão é retirado daqui e devolvido em produtos para nós, com preço super -autos, é de extremo mau gosto que estar havendo com o nosso produto.Diálogo?? !!! nunca houve , em um mundo tão globalisado estamos mil luz anos em atrazos, em comunicação, criação e valorização de nosso produtos e dos nossos profissioinais.'

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço