Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Empresa Têxtil do Vale do Itajaí Passa por Reestruturação e Reduz Quadro de Funcionários

A indústria têxtil Teka demitiu cerca de 170 funcionários em Blumenau e Indaial, no Vale do Itajaí, na segunda-feira, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Têxteis de Blumenau, Gaspar e Indaial (Sintrafite). As demissões foram confirmadas pelo diretor de Relações com Investidores da companhia, Marcello Stewers. Porém, Stewers não confirmou o número de dispensados e informou que não se pronunciaria pelo fato da empresa ter capital aberto.

A Teka ainda não entrou em contato com o Sintrafite, afirma a diretora do sindicato, Maria Roseli Ronchi. De acordo com ela, a empresa tem até 16 de agosto para fazer as homologações das rescisões no sindicato. As dispensas foram informadas apenas pelos trabalhadores, que já foram convocados para duas reuniões com a entidade. A intenção é de que eles estejam cientes do que devem receber.

— Acredito que o mercado está com capacidade para absorver esses trabalhadores. Quanto às demissões, a empresa não é obrigada a manter ninguém, mas todos têm de receber o que é de direito deles — explica Maria Roseli.

Empresa opera com restrições econômico-financeiras

Esta é a segunda dispensa coletiva do ano. De acordo com documentos disponíveis no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em 15 de junho, a Teka demitiu 370 funcionários e fechou a unidade de Itapira (SP). No comunicado, consta que a unidade foi fechada “em decorrência do processo de reestruturação pelo qual vem passando, visando manter competitividade no mercado nacional e internacional”.

De acordo com um plano de negócios disponibilizado no site da CVM em março, a “operação Teka está marcada por grande restrição econômico-financeira”. Com uma receita líquida de R$ 264 milhões em 2011, queda de 19,3% em relação ao ano anterior, a empresa tem um endividamento bruto superior a R$ 1 bilhão. Conforme o documento, a empresa encerrou 2011 com um prejuízo de R$ 195 milhões.

Segundo o plano, para reverter a situação no decorrer do ano serão adotadas estratégias de reposicionar as operações, otimizar estrutura e capital, além de ampliar padrões de governança corporativa. No comunicado de junho, a companhia informou que contava com cerca de 3 mil colaboradores em três unidades: Blumenau, Indaial e Arthur Nogueira (SP), além de um centro de distribuição em Sumaré (SP).

Fonte:|http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/economia/noticia/2012/08...

Exibições: 813

Responder esta

Respostas a este tópico

É uma pena...pois sabemos o quanto é importante o trabalho no sustento digno das familias.

Estamos torcendo pela recuperação financeira e de mercado das  indutrias Brasileiras Éticas.

Concordo plenamente com seu ponto de vista Ao Deus sabe o futuro doa empresários éticos ...

Bom dia,Fernando....

Eu creio que Deus sempre ajuda de todas as formas.

O que é preciso também é uma politica interna favoravel aos produtos internos.

Maior valorização do que produzimos com impostos justos,já que somos o país que mais paga imposto de tudo que se produz.

Isto ajudaria a levantar os lucros e assim quem sabe os empresários tem uma chance de recuperação.

Precisamos mentalizar coisas boas neste setor..e elas virão. Com certeza.

Abraço.

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço