Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Empresários da Área Têxtil Temem Fim do Setor no Brasil

Um estudo que apontou que a carga tributária que incide sobre o produto nacional frente ao chinês é quase três vezes maior

A indústria têxtil da região de Campinas teme que em quatro ou cinco anos o setor praticamente desapareça no País. A previsão, um tanto quanto fatalista se baseia nas diferenças competitivas entre a produção nacional e as peças importadas da China.

O Sindicato das Indústrias de Tecelagens de Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara d'Oeste e Sumaré (Sinditec) realizou um estudo que apontou que a carga tributária que incide sobre o produto nacional frente ao chinês é quase três vezes maior. O resultado desse descompasso se traduz em fechamento de fábricas e confecções e perda de empregos.

A direção do Sinditec estimou que o setor encerrará o ano com um total de 3 mil demissões na área do polo têxtil de Americana. O aumento do volume de importação de tecidos e peças prontas influência o desempenho de toda a cadeia.

Vários elos sofrem com a concorrência direta dos chineses e outros com a queda das encomendas dos clientes brasileiros. A região tem mais de 600 empresas na cadeia têxtil e o Brasil é o 4º maior produtor da indústria de confecção e 5º na área têxtil no mundo.

O estudo do Sinditec mostrou que a carga tributária representa 59,8% da produção, por exemplo, de uma camisa. Os dados são referentes ao período de 2005 a 2009. “Isso quer dizer que, se a camisa custa R$ 100,00, só de impostos são pagos quase R$ 60,00”, comentou o diretor de Assuntos Econômicos da entidade, Leonardo José de Sant'Ana.

Ele disse que os dados se baseiam em fontes oficiais como a Receita Federal e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O representante do setor afirmou que na produção chinesa os impostos equivalem a R$ 20,50. “Os produtos chineses custam para os importadores brasileiros R$ 54,67. Por absurdo que pareça, o valor fica abaixo do que pagamos de impostos”, comparou.

Sant'Ana salientou que o setor prevê que daque a quatro ou cinco anos a cadeia produtiva pode ficar muito reduzida e corre o risco de se transformar em apenas um traço na produção nacional.

“A cadeia com os empregos diretos e indiretos soma 8 milhões de pessoas no Brasil. Todos esses empregos estão ameaçados pela concorrência desleal e pela demora do governo em agir para evitar o esfacelamento da indústria têxtil brasileira”, criticou.

Ele afirmou que a guerra fiscal dos portos piora a situação da diferença de custo entre as importações e a produção nacional. “Os cálculos da nossa pesquisa tomam por base as importações pelo Porto de Santos. Há outros portos cujo ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) cobrado sobre as importações é de apenas 3%”, comentou.

Ele defendeu que o governo estabeleça medidas que protejam a indústria nacional. “O governo poderia elevar o imposto de importação. Outra sugestão seria definir que sobre as importações incida 35% de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Essas propostas poderiam equalizar a carga tributária e tornar a concorrência mais justa”, disse.

Sant'Ana comentou que a China também tem agido de forma a fomentar a guerra cambial que a beneficia nas exportações de seus produtos. “O Brasil precisa agir, caso contrário sofreremos como os Estados Unidos que perderam a indústria têxtil. A velocidade da redução do número de indústrias e empregos é muito rápida”, disse.

Fonte:|http://www.rac.com.br/noticias/campinas-e-rmc/105526/2011/11/12/emp...

 

 

Eccotêxtil – Consultoria Têxtil
Erivaldo José Cavalcanti
Estamos habilitados a examinar seu sistema de custos, promover otimizição, ou desenvolver um específico para sua empresa.
erivaldo@gestaotextil.com

11 – 64460647
11 - 77846336

Exibições: 1617

Responder esta

Respostas a este tópico

Nós brasileiros, ficamos indignados com toda essa situação e nada acontece. Tenho visto movimentos aqui e acolá, sem expressão!. Falta unidade! Luciane Braga acima comenta com propriedade sobre nossos políticos que estão muito bem, obrigado! Estamos caminhando a passos largos para o fim de todo segmento têxtil.Acho que grande parte se foi! Os que ainda lutam, como eu, estamos esperando o quê? Não temos com quem se abraçar! 

Luciane Braga disse:

Muito deprimente essa nossa realidade e reafirmando o conteúdo do artigo o BR precisa de medidas urgentes.  Não só a Indústria Têxtil como vários outros segmentos estão no perigo.

Esses dias andando pelo centro de Curitiba entrei naquelas lojas grandes que tem de tudo. Vi uma pulseira linda e quase cai de costas  e enfartei  ( juro ) quando a vendedora me deu o preço de R$ 3,00 ( três reais ) fiquei muda, pois a pulseira era de CRISTAL  e  STRASS.  Tinha 12 Strass . Gente cada strass daquele  custa pra mim R$ 1,30. Em gde quantidade fica por R$ 1,00. Como pode ¿ O custo que eu teria sem minha mão de obra pra fazer uma pulseira semelhante seria de R$ 25,00 (só de material, sem contar o restante.... ).  Como que da pra competir com a China ¿ Resultado, não abrirei mais minha loja virtual pq não tenho mão de obra e não compensa fabricar pois revender da  China sai mais barato. Infelizmente não vou poder gerar empregos, ajudar arrimo de família ter uma vida mais digna, pq não compensa para os governantes do Brasil que ele cresça e tenha inteligência suficiente pra NÃO mais votar nessa corja de bandidos e egoístas. O jeito é rezar pra TODO mundo morrer, antes que a gente morra de desgosto de Fome de Justiça, Auto Estima, Coragem.

 

Obrigada

Luciane Braga

 

sempre estamos batendo na mesma tecla....já há mais de 20 anos!!!! o que acontece na realidade, é que o governo faz jogo de cintura para ficar com boa visão perante outros paises...diferente da Argentina...ja vimos aqui inclusive depoimenmtos de um colega italiano, que alerta a todos : a rota de colisão é a mesma que os paises europeus, inclusive da propria Italia.

por outro lado, somente os empresarios que nao importam, é que tem real preocupação!!!! os demais simplesmente nao dão bola !!!!!todos querem simplesmente auferir lucros, sem limites e nao interessa a forma!!! todos estão cientes que estão dando tiro no proprio pé.....mas por enquanto levam no oba-oba ......somente haverá procupação no momento que nao conseguirem mais lucros, e diminuerem a venda, pois os preços já cairam, e para manter custos acabam tb queimando as suas importaçoes!!!apesar da margem ainda ser alta!!!

 

a idiotice de nosso governo/receita/siscomex continua a mesma....1 kgs de popeline custa o mesmo preço que um kg de cambraia com fio 50, 60 e até 220 !!!!!!as taxas são as mesmas!!!!! incompetencia total!!!

 

portanto a destruição da industria textil é geometrica!!! alias de todos os setores!!! nao há governo que tenha capacidade de "'peitar"'  uma situação adversa!!! e tentar virar radicalmente o jogo!!! nem ministro ....nao há comprometimento com o país, simplesmente por ser pessimamente mal administrado por elementos de baixa indole e que nao conhecem economia !!!! basta ver o curriculum de nossos politicos, em todas as escalas....e já sabemos no que vai dar!!!! é tao simples, pois vc nao pode colocar para administrar uma empresa, um médico por exemplo....e vice verso...cada macaco no seu galho!!!! o povo em geral é dotado de pouca capacidade de discernimento , nao sabendo votar, e consequentemente temos estas porcarias em nossa administração..( ainda se fossem honestos....) e assim vai!!!! o que me incomoda nesta reportagem, é que quem mais grita, são os empresarios que mais importam, e boa parte deles trazem subfaturados ( veja a tabela de preços minimos aduaneiros...ridicula!!!) ...fora o esquema de trazer ainda mais subfaturado e ""dar um jeitinho"" na classificação fiscal para pagar menos impostos, ou mesmo cnt que constam no terminal e vao para perdimento, mas que na realidade já foram liberados...graças à corrupção em ambito geral!!!!veja qtas empresas de nossa região já tem montado ""escritorios"" e fabricam na china!!!! e empresas de grande nome, tal como PH , entre outras.....e todos tem a mesma desculpa : equilibrar o custo com as importaçoes....ridicula esta argumentação!!!! em outras regioes temos tb a Linhas Circulo, Paramount Lansul  ...etc...etc....que importam a preço de banana e oferecem produtos diferenciados a preços exorbitantes!!!!!

temos tb inumeros comerciantes de fios, por exemplo de jacutinga/monte sião, que antes compravam fios para malharia no mercado interno....mas agora tb importam!!!!! o palacio das lãs, por exemplo, tem disponivel 100 ton de fio de chenille em poliester em titulo Nm4 e Nm 6 .....disponivel para venda imediata , inferior ao preço de banana....( R$ 11,00o a R$ 14,00 ) simplesmente pelo fato de que muitos comerciantes/fabricantes de malhas trouxeram produtos acabados, ou seja : já confeccionados!!!!

 

na semana passada , foi postado uma repostagem, na qual o governo ""sugeria"' que procurasse ""nichos de mercado""....leiam a repostagem por favor!!! pois nem uma criança no grupo escolar é tão imbecil ou burro para fazer tal declaração desmedida!!!

 

pessoal....sabemos claramente que nao serão tomadas medidas, nem de importadores e nem do governo , o qual poderia regulamentar normas para que fossemos mais competitivos e em pé de igualdade, pois temos 2 pesos e 2 medidas!!! resta apenas, em minha ignorante opinião , atitude radical de nós mesmos!!!!mesmo que para isto tivermos que usar a força bruta!!!! é a única maneira que vejo de ""encostar"" e pressionar o governo!!!!! que tal fazermos um movimento e brecarmos os cnt que sobem de Santos???? e se for o caso botar fogo literalmente em produtos texteis!!! pois nao é um crime que vai dar cadeia para ninguem!!!! apenas cestas basicas....etc..etc...vejo que se nao tomarmos estas tipos de atitudes, nada acontecerá.....como nos ultimos 20 anos nada aconteceu, apesar das diversas manifestaçoes e tentativas que ja foram feitas....vejo alguns empresarios, que se dedicam na tentativa de reverter ou estancar esta situação......mas são poucos que realmente participam e se envolvem!!!!!os demais nao tem interesse!!!!

adalberto 

Caros amigos,

Estive em visita a empresas têxteis na China e Tailândia, e acreditem, a coisa é muito pior do que se imagina. Além da carga tributária muito alta no Brasil, os benefícios oferecidos a nossos colaboradores são muito maiores do que as empresas asiáticas oferecem. Quando perguntamos ao empresário tailandês sobre férias, DSR e férias, ele disse desconhecer isso e ainda riu: "Aqui o colaborador só recebe pelas horas trabalhadas". Os encargos totais sobre a folha de pagamento na Tailândia chegam no máximo a 10%. Aqui chega-se até 127%. Neste cenário, não existe forma de competir com os asiáticos. Se esta é sua estratégia, pode se preparar para fechar sua empresa.

Só existe uma saída: DIFERENCIAÇÃO. O seu produto tem que ser diferenciado, aquele que os asiáticos não conseguem fazer em escalas de produção menores, nem tem como entregar rapidamente. Temos que fugir do feijão-com-arroz. Conheço várias empresas têxteis brasileiras que estão bem colocadas no mercado e já se prepararam anos atrás para este novo cenário do mercado brasileiro. Mudaram sua cultura de criação de novos produtos, sua plataforma de produção, deixando-a totalmente flexível e o mais importante: mudando toda uma cultura interna de seus colaboradores. A diferenciação exige muito mais que mudanças de paradigmas, exige acima de tudo CRIATIVIDADE. Criatividade para enxergar os novos e muitos nichos de mercado que estão surgindo no Brasil a cada dia. Criatividade para adequar rapidamente seu port-fólio de produtos para aquilo que surpreenda seu cliente.

Infelizmente não adianta chorar, temos que nos adaptar às novas perspectivas de mercado, ou seja, com criatividade e diferenciação.

Forte abraço a todos!

Robson Camargo.

Será que podemos recorrer ao TIRIRICA???

Esqueci! Temos o ROMÁRIO!!!!

Ah não gente!!! Temos o POPÓ!!!

 

ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ....

 

PREZADA LUCIANE,

 

QUANDO O LULA FOI ELEITO NA PRIMEIRA VEZ,  SUA PRIMEIRA VIAGEM FOI PARA A CHINA.  NA SEGUNDA TAMBEM.

NOS ENTREMEIOS DAS VIAGENS ELE FOI A RECIFE INAUGURAR A CITEPE (EMPRESA TEXTIL CRIADA PELO LULA PARA "VAZAR" DINHEIRO PARA PAGAR AS CONTAS DO PT.

A DILMA JA ESTEVE LÁ TAMBEM, FAZENDO A RE-RE-RE INAUGURAÇÃO DE UMA EMPRESA QUE NÃO EXISTE E NÃO VAI EXISTIR.....

O QUE ESPERAR PARA AS DEMAIS EMPRESAS TEXTEIS ??????  QUE NÃO PAGAM A CONTA DO PT ????

EU NÃO TENHO ESPERANÇA......ESTOU ATÉ PROCURANDO OUTRA ATIVIDADE....FORA DA INDUSTRIA TEXTIL....

 

MAS...............EU ADMIRO A SUA POSTURA.....CONTINUE ASSIM.....O BRASIL PRECISA DE VOCE...

 

Por Nelson Ginetti

http://textileindustry.ning.com/profile/nelsonginetti?xg_source=act...

 

O setor textil foi a primeira vitima  da globalização e ingenuidade(será) dos nossos governantes. Temos que ser competitivos sim, mas como se as situações são desiguais?

Temos impostos demais e infraestrura de menos. Criamos a mais complexa legislação

trabalhista de todo o planeta terra. Carregamos ha mais de vinte anos juros acima (muito)

da media mundial. Nas principais  vertices  que compoem os custos industriais, somos

os campeões de custos : impostos, encargos trablahistas, juros, cambio.....só o cambio sozinho dá uma margem que varia de 20% a 70%  de vantagem para os importados, depende

do produto e de onde é produzido.......então só vamos concorrer em areas onde não existe

possibilidade de produção externa, ao menos não em quantidades volumosas...ferro, soja,

celulose, carne....acuçar......Mas onde vamos gerar empregos?  E se continuarmos com a

lambança dos importados e dependentes dos produtos primarios,  nossa balança de pagamentos (o que entra e sai em dolares de um pais) vai para o brejo. Somos deficitarios

anualmente variando de 40 a 60 bilhoes de dolares e isso é coberto com dinheiro que  vem

do exterior...qualquer zebra que interrompa esse fluxo....bom, li que os produtores de bananas estão começando a coçar suas barbas.....dado o cambio, daqui a pouco vai começar

a chegar bananas.....a preços de banana......do exterior. ACORDA BRASIL.

cAROS COLEGAS, COMPANHEIROS E AMIGOS,

A industria textil nacional esta sendo dizimada pela desleal concorrencia chinesa, pela incuria, burrice e miopia dos legisladores brasileiros, e por essa tributação impraticável.

A Colori é uma fabrica de sonhos estampados, genuinamente carioca, há 25 anos no mercado, decorando as mais lindas roupas fabricadas no Rio e São Paulo, por BRASILEIROS.

Mas a recessão afeta à todos indiscriminadamente. 

 

Só lendo para crer:

Empresários da Área Têxtil Temem Fim do Setor no Brasil

 Socorro!!!! Tenho uma Indústria Têxtil

 

Repassem para seus contatos

QUANDO VÍ UMA REPORTAGEM,SOBRE O DESEMPREGO NOS E.U.A.,E ENTREVISTARAM PESSOAS DESEMPREGADAS MORANDO EM BARRACAS,UMA DELAS CHAMOU ATENÇÃO,DESENHISTA GRÁFICA DE CONFECÇÃO...COMO NÃO HÁ MAIS ESTE RAMO,ELA NÃO CONSEGUIU MAIS TRABALHO, PORQUE NÃO EXISTE MAIS FABRICAS DE CONFECÇÃO NOS E.U.A.,TUDO É IMPORTADO DOS PAÍSES ASIÁTICOS...E ESTÁ SE CRIANDO NOS E.U.A., AS FAVELAS / BARRACAS...COM PESSOAS CAPACITADAS QUE NÃO CONSEGUEM MAIS TRABALHO EM SEUS SETORES...NO BRASIL NÃO SERÁ DIFERENTE COM O SETOR TEXTIL...COM UMA DIFERENÇA, AQUÍ O GOVERNO NÃO FORNECE AS BARRACAS...

 

GEORGES LOUIS

Jorge Medeiros disse:

cAROS COLEGAS, COMPANHEIROS E AMIGOS,

A industria textil nacional esta sendo dizimada pela desleal concorrencia chinesa, pela incuria, burrice e miopia dos legisladores brasileiros, e por essa tributação impraticável.

A Colori é uma fabrica de sonhos estampados, genuinamente carioca, há 25 anos no mercado, decorando as mais lindas roupas fabricadas no Rio e São Paulo, por BRASILEIROS.

Mas a recessão afeta à todos indiscriminadamente. 

 

Só lendo para crer:

Empresários da Área Têxtil Temem Fim do Setor no Brasil

 Socorro!!!! Tenho uma Indústria Têxtil

 

Repassem para seus contatos

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço