Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Empresas brasileiras comemoram bons negócios na Colombiatex 2022

Com mais de 23 empresas brasileiras presentes, a Colombiatex de las Américas 2022, realizada entre os dias 25 e 27 de janeiro, comemora sucesso de público e de negócios após a volta ao formato presencial (a última edição foi realizada em 2020). Só o primeiro dia de evento bateu o recorde histórico com mais de 10 mil visitantes.

Com foco em fibras mais sustentáveis e novas tecnologias em máquinas, destacamos o cânhamo, lançamento de algumas tecelagens brasileiras, uma fibra natural mais durável, onde utiliza-se menos água, além de ser hipoalergênico, não absorve odores e é termorregulador. Há a valorização também do denim produzido com algodão que ganham selos e certificados amigos da natureza.

Durante o evento aconteceu ainda o famoso Denim Day, com apoio da Levi´s, onde foram apresentadas tendências em sustentabilidade e tecnologia. Nesse dia, os visitantes são convidados a usar jeans. E uma curiosidade desta edição: 80% deles estavam com skinny.

Confira as novidades apresentadas na feira:

VICUNHA

A têxtil apresentou artigos específicos LATAM, de acordo com as macrotendências lançadas pela empresa. Segundo Maria Angélica Rodriguez, gerente de marketing para a América Latina, eles analisam o mercado e os clientes e, fazem uma pesquisa dentro do portfólio para decidir quais os produtos ideais a serem expostos na Colombiatex.

Dentro do tema Inside Hub, onde o conforto de nossas casas torna-se essencial, entram o Zara, sarja 2×1, em algodão e liocel e Zéfiro, sarja 3×1, em 100% algodão, peso de 7oz, super leves.

Open Air traz um olhar para fora, natureza e bem-estar ao ar livre onde entram tecidos em denim e sarja, com foco na sustentabilidade, produzidos a partir do cânhamo, mesma espécie da maconha, a Cannabis sativa. São o Hemp e Hemp Light (no denim) e Itacaré e Maragogi (na sarja). Já o Be Icconic renova a energia com muito brilho e tecidos com alto power como o Lila no denim, com peso de 9oz e o Marvel, sarja 3×1, peso de 8,6oz.

Lorena Botti, coolhunter da Vicunha comemora o retorno e sucesso da feira. “Estamos vendo o brilho no olho de cada um, as pessoas estão animadas e buscam por novidades. Apesar de tempos desafiadores, tivemos recorde de visitação, nosso stand esteve cheio”.

E continua: “É uma feira muito importante para a Vicunha, participamos há muito tempo. Temos visto um ar de renovação, isso está bem forte e sentimos essa energia, novas oportunidades. Estamos passando por um momento onde as marcas e os próprios consumidores estão querendo momentos disruptivos, os negócios estão se remodelando, se reinventando e tudo isso é muito importante para toda a indústria da moda e a Vicunha está sempre acompanhando toda a cadeia e apostando nessa reinvenção com responsabilidade e cuidado”.

SANTANENSE

Sair do convencional e explorar tecidos clássicos da melhor forma. Essa é a proposta da têxtil que apresentou artigos de linha de uma maneira renovada, destacando suas versatilidades. Um produto utilizado para bermuda masculina, por exemplo, pode ser trabalhado no feminino, na alfaiataria. Os super powers não precisam necessariamente vir somente nas peças ajustadas, mas também em formas soltas, como a saia evasê apresentada pela Santanense.

“Apostamos em peças comerciais para poder mostrar o diferencial do artigo com o mesmo tecido. Para você fazer um estilo inovador, uma roupa bem cortada, antenada com todas as tendências, você nem sempre precisa de um produto diferente. Os clássicos são clássicos mas não quer dizer que eles sejam básicos, que só possam fazer coisas tradicionais”, aponta Eleonora França, gerente de marketing da Santanense que se reestruturou durante a pandemia, investindo no workwear.

“Uniforme não precisa ser aquela coisa padrão. Os tecidos profissionais podem ser elaborados em peças interessantes para quem trabalha, por exemplo, na parte administrativa, para quem precisa participar de um jantar no final do dia”, comenta Eleonora.

E continua: “Os tecidos profissionais podem ter toda a funcionalidade que o uniforme precisa mas trazem também esse outro lado fashion, para a pessoa se sentir bem com o que está usando. Deixando de ser sem graça ou padrão, trabalhando modelagem e detalhes”.

Destaque para o glamour do brilho nos canutilhos falhadas da peça desgastada e o conjunto no amarelo flúo, tecido de alta visibilidade, usado para se identificar, na calça e camisa da proposta do estilista Luiz Claudio, da Apartamento 03.

A empresa levou ainda peças de seu acervo como a saia camelo com desbote e costura em zigue zague, de Ronaldo Fraga, produzida há 20 anos, porém, super atual. Entre as peças com extreme power surgem calças com marcações de costuras, detalhes nos bolsos, fit clochard e a wide leg sem costura lateral, super clean, além da fuseau.

CAPRICÓRNIO

Pela primeira vez na feira, a Capricórnio se surpreendeu com o ambiente otimista, superando as expectativas da empresa que levou sua linha completa com tecidos rígidos ou no algodão e elastano.

Destaque para os artigos produzidos a partir do Cânhamo: Timbó com 7oz, 1,70 metros de largura, composição 3×1 e o Cajá com 6 oz, 2×1 e 1,68 metros de largura. Eles trazem na composição, algodão, cânhamo e algodão orgânico e surgem com aspecto marcado e mais rústico.

Já dentro da linha Comfort Denim com 98% algodão e 2% elastano, surgem o Bosco Sky Blue com 11 oz, 1,63 metros de largura, no intense blue, com alta elasticidade e diferentes possibilidades em lavanderia, inclusive puídos e o Ítalo com peso de 10,5 oz, construção 3×1 e 1,63 metros de largura.

CANATIBA

A têxtil levou para a feira a “Casa Canatiba”, espaço aconchegante em madeira apresentando seus lançamentos com destaque para os utilitários – tecidos para o trabalho destinados à um mercado que vem crescendo bastante tanto no Brasil quanto na América Latina.

“Estamos trabalhando esses produtos há três meses mas vamos apresentar a linha completa em maio, no Brasil. Para nós é um aprendizado muito grande, investir nos artigos profissionais que vêm com tecnologias diferentes. Ampliamos ainda a linha Special Fabrics, que inclui PT, color e estampados”, afirma Fabio Covolan, diretor de marketing da Canatiba. Destaque para os estampados, sucesso de vendas, que podem ser somente amaciados ou envelhecidos e que surgem com uma técnica inovadora de sublimação que permite a personalização de estampas.

Surgem ainda novas bases Megaflex em PT como o Carangola, em algodão e elastano e peso de 10 oz, Moratta Denim, com 9 oz, Mustang Stretch Collor, também com peso de 9oz, em algodão, poliéster e elastano, o New Santa Fé Megaflex, peso de 10,5 oz, Modesto Denim, em algodão e elastano e peso de 8,5 oz e o Sabinópolis com 10 oz.

“Participamos da feira há quase 20 anos. É um evento que nos ajuda a ter contato com o mercado latino americano, com clientes novos. Temos representantes em diferentes países da região, Colômbia, Equador, Peru, Argentina, Chile, Uruguai e, Paraguai. E temos uma grande expectativa de crescimento para esse ano”, comenta Fabio.

COVOLAN

“Esse ano viemos com muitas expectativas esperando algo extraordinário. E realmente foi o que aconteceu. O primeiro dia, foi um dos melhores dos últimos anos, tivemos um movimento gigante, pessoas do Equador, México, Peru, Bolívia e os colombianos também. Recebemos muitos elogios sobre o stand, os produtos e conseguimos retornar ao contato presencial, além de atender novos clientes”, comenta o gerente de exportação, Alan dos Anjos.

A têxtil que exporta para o Paraguai, Argentina, Uruguai e Colômbia, apresentou seus lançamentos com destaque para o tecido Blackout, com tingimento preto na trama e urdume, em um tom intenso, em algodão, poliéster e elastano, com peso de 8,9 oz e 1,60 metros de largura.

Cotelê EX traz a tendência de tecidos mais aveludados com suas canaletas e trama branca, peso de 10oz. O Medalha, no azul intenso, bem marcado, com 7oz e 1,62m de largura, Olimpia que vem na construção cetim com peso de 8,4 oz e largura de 1,56 metros. E o New Prime, na sarja 3×1, tingimento intenso, trama branca que pode ser estonada.

SANTANA TEXTILES

Pelo segundo ano na Colombiatex, a empresa comemora o movimento intenso no evento, com uma projeção alta de vendas e crescimento. “Levamos a mesma coleção do Brasil, selecionando 37 artigos que mais se adequam ao mercado e que são vendidos à pronta-entrega, dentre eles tecidos que variam entre 10 e 12oz “, afirma Martin Medina, diretor comercial e internacional LATAM.

Dentro da linha Sustentare que visa a sustentabilidade, surgem o Aruba Sky, em 100% algodão, com 10oz, sarja 3×1, em versão mais clara e diferentes possibilidades em lavanderia.

Tulum Sky vem no 100% algodão, com peso de 11oz, na sarja 3×1 e largura de 1,72m, também no tingimento baby blue. O Cancum Sky é elastizado, em algodão, poliéster e 2% de elastano, com peso de 8,5oz, 32% de power e 1,52m de largura. O Grace Sky surge com 9,5oz, no baby blue, sarja 3×1, 1,50m de largura.

SANTISTA JEANSWEAR

Segundo a gerente de exportação da Santista, Monica Garcia, a equipe ficou surpresa de uma maneira positiva com essa edição. “Ninguém sabia o que poderia acontecer e tivemos muito movimento, muitos clientes visitaram a feira”, comenta.

A têxtil apresentou os lançamentos de seu portfólio que se comportam melhor no mercado LATAM e atende países como Colômbia, Peru, Bolívia.

Destaque para o Perry na cor Lazuli, peso de 9,3 oz e largura de 1,48 metros, utiliza fio importado e surge em algodão, poliéster, modal e elastano, com excelente toque. Dentro da linha TriBlend que utiliza o fio T400, surgem duas novas cores, o Taylor no índigo blue, com peso de 8,8 oz e power de 53% e o Taylor Lazuli Triblend, no azul intenso, 8,8 oz e tb power de 53%.

Há ainda o Push Up Light, em algodão e elastano com power de 65% e construção cetim, no índigo blue, o Slime em algodão e elastano, na cor soft blue, peso de 9,1oz, power de 58% e o Like, com 8,8 oz, também no soft blue e power de 46%.

CEDRO

A têxtil levou para a Colombiatex tecidos com tingimentos em azuis diferenciados, além de artigos mais pesados, acima de 9,5oz que é uma demanda da América Latina, segundo a gerente de marketing Joanna Carrara. Destaque para a linha Workwear que traz toda a tecnologia em produtos para exército, contra fogo, entre outros. “São tecidos já consolidados no mercado que trazem conforto e proteção ao usuário e que têm uma força muito grande na nossa exportação”, destaca Joanna que enfatiza ainda que tanto os 100% algodão quanto os elastizados, fazem sucesso no mercado LATAM e no Brasil.

Entre os lançamentos superelastic – de strech entre 50-60%, o Veneto chega como uma nova opção de azul, com tingimento Blue Gum, tendo largura de 1,54 metros, enquanto o Nigata tem a tonalidade intermediária do Maxi Blue e largura acima de 1,55 metros. Já o Grant tem um tingimento Blue Black, com peso de 9,8 ox e potencial de strech acima de 40%.

Há ainda o Cárter, um tecido de composição algodão, elastano e poliéster preto, pensado para trazer uma opção de cor escura e o Radall vem com strech 25-30% e largura acima de 1,50 metros. O tecido possibilita um visual rústico sofisticado para as peças.

Com foco na sustentabilidade a Cedro apresenta o corante “anilina-free”. O tingimento é inofensivo e seguro para o meio ambiente, já que a água utilizada na lavagem não passa pelo processo de salinização presente em outros corantes.

LYCRA®

A empresa apresentou suas tecnologias como o fio LYCRA® ADAPTIV™, que conta com uma fórmula desenvolvida para esticar, se acomodar e se adaptar a diferentes formatos de corpos como uma segunda pele, graças a um polímero revolucionário, o LYCRA® EcoMade, fio com elastano produzido com 20% material reciclado pré-consumo e com certificação GRS (Global Recycled Standard), mantendo o mesmo desempenho, porém com mais sustentabilidade.

A tecnologia LYCRA® DualFx (feitos com fio LYCRA® T400 e o fio LYCRA® original) que proporcionam um alto recovery, retenção da forma, excelente ajuste, conforto e durabilidade.

Ha ainda a tecnologia LYCRA® Anti X Slip. Com o aumento do uso de poliéster, rayon e outras misturas de fibra em denim, o deslizamento da costura se tornou um desafio para fabricantes, marcas, varejistas e, finalmente, para o consumidor final. O fio reduz o enrugamento causado pelo deslizamento de costura e melhora a qualidade da peça.

Fonte: Vanessa de Castro | Fotos: Equipe Guia JeansWear e Reprodução

https://guiajeanswear.com.br/noticias/empresas-brasileiras-comemora...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 455

Responder esta

Respostas a este tópico

A expansão  da linha têxtil Brasileira pelo o mundo é uma recuperação da própria história textil no Brasil, inclusiva trazida pelos Matarazzo.

Essa junção com tecnologia trazem muitos frutos a setor.

Duran

www.fitasdobonfim.com

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço