Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Empresas se Unem para Medir o Impacto Ambiental do Vestuário


 

 O que gera mais impacto em termos ambientais, uma peça de roupa feita com polipropileno ou uma produzida com algodão? E entre o poliéster e a lã? Sim, como em todas as perguntas cuja resposta soa óbvia, a correta é a opção que “parece absurda”: a de algodão e a de lã, nas comparações acima. Pelo menos é o que afirma um levantamento feito pelo Sustainable Apparel Coalition (SAC), um grupo de empresas ligadas ao ramo calçadista e de vestuário que se associou a organizações sem fins lucrativos para criar e implementar um índice do desempenho ambiental e social de roupas e calçados. Trata-se de uma iniciativa espontânea, financiada pelas próprias empresas, que conta com mais de sessenta membros, dentre os quais estão grandes fabricantes e varejistas, como Adidas, DuPont, Coca-Cola, Levi´s, Nike e Walmart.

Lançada em julho de 2012, essa versão 1.0 do Índice Higg é focada nos aspectos ambientais, com avaliação das seguintes categorias: uso da água, energia e gases do efeito estufa, resíduos sólidos e toxicidade química. Na versão de 2013 serão incorporadas medidas dos impactos sociais e trabalhistas. O indicador tem por objetivo:

  • Compreender e quantificar os impactos, em termos de sustentabilidade, da indústria de roupas e calçados.
  • Reduzir fortemente a redundância nos cálculos de sustentabilidade nesses setores.
  • Agregar valor aos negócios pela redução do risco e resgate da eficiência.
  • Criar canais comuns para comunicação do tema da sustentabilidade entre as partes interessadas (“stakeholders”)

Ainda que os dados sejam públicos, basta preencher um cadastro simples para recebê-los, o índice vai servir neste primeiro momento sobretudo às empresas ligadas à cadeia de produção e distribuição, que podem usá-lo para como ferramenta para identificar oportunidades de melhora e inovação. Uma medida de fácil compreensão para os consumidores—como a adotada para os aparelhos elétricos, que trazem uma tabela classificadora do gasto de energia— está nos planos da SAC, embora a data de lançamento ainda não tenha sido estabelecida. “Esta ferramenta permite que nossas equipes percebam como melhorar nossa cadeia de produção e, ainda mais importante, como reduzir nosso impacto ambiental”, afirma Scott Lecel, diretor de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da varejista Target no comunicado de lançamento do Higg.

Veja abaixo a pontuação de alguns itens.

Índice Higg (Quanto maior a pontuação total, mais sustentável é o produto)
Material (1) Pontuação química (2) Gasto de energia/emissão de gases de efeito estufa Intensidade de uso de terra/ água Resíduos sólidos Pontuação total
Tecido de polipropileno 6,0 6,2 7,9 12,5 32,6
Tecido de seda 6,7 1,7 6,9 15,4 30,7
Tecido de algodão 3,4 6,3 3,4 13,7 26,8
Tecido de liocel 4,7 5,0 5,6 10,0 25,3
Tecido de cânhamo 5,9 3,4 3,8 11,9 25,1
Tecido de linho 2,8 3,5 4,0 13,4 23,7
Tecido de poliéster 3,2 4,3 5,2 10,6 23,3
Tecido de rami 2,2 2,9 5,9 11,9 23,0
Tecido de modal 3,7 5,9 4,5 7,2 21,3
Tecido acrílico 2,8 2,9 4,2 9,7 19,7
Tecido de juta 2,1 3,1 2,6 11,9 19,6
Tecido de lã 1,9 1,7 3,1 12,5 19,3
Tecido de aramida 2,8 2,5 1,4 10,9 17,6
Tecido de nylon-6 3,2 3,0 4,0 6,2 16,3
Tecido de elastano 3,1 2,8 2,6 5,3 13,7

(1) A análise dos materiais é feita com base no inventário do ciclo de vida, que compreende o processo desde a produção da matéria prima, até a chegada do item pronto para uso na manufatura.

2) Mede a carcinogenicidade e a toxicidade do processo produtivo.

Fonte:|http://www.bmfbovespa.com.br/novo-valor/pt-br/na-sua-vida/2012/Empr...

Exibições: 464

Responder esta

Respostas a este tópico

ADOREI,NÃO TINHA DIMENSÃO EXATA DO PROCESSO.

CLENIR

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço