Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

AMSTERDÃ — Quem duvida que Amsterdã seja uma estrela maior no mundo do denim deveria ter perambulado em julho pela seção “Blueprint” da Modefabriek, a feira de moda que acontece duas vezes por ano na capital holandesa. Ali, em meio ao público jovem, descolado e tatuado, várias dezenas de expositores mostraram quanta moda em denim a Holanda cria e vende.

 

“Todo o mundo na Holanda possui um bom jeans”, disse um dos expositores, Lennaert Nijgh. “Além disso, o clima econômico é favorável para as grifes terem suas sedes aqui.”

 

Amsterdã fica no centro do mundo do jeans na Europa. A Pepe Jeans e a Levi’s Vintage possuem escritórios de desenvolvimento de produtos na Holanda. G-Star, Scotch & Soda, Hilfiger Denim, Kuyichi, Blueblood, Kings of Indigo e vários ateliês menores de denim têm suas sedes aqui. A maioria dos ateliês de denim holandeses enfatiza o tecido, que pode ser completamente cru —não tratado e deixado para amassar quando é usado— ou submetido a tratamentos complexos.

 

Em pouco tempo, a House of Denim Jean School, na cidade, vai começar a oferecer diplomas de denim. Neste mês, um grupo de estudantes vai iniciar um programa técnico de três anos em desenvolvimento de denim na Faculdade Pública Regional de Amsterdã. De acordo com Mariette Hoitink, nome conhecido no mundo da moda de Amsterdã e uma das fundadoras da escola, os alunos vão se formar possuindo os conhecimentos e os contatos necessários para atuarem na indústria europeia do denim.

 

Os fundadores vêem a escola como estando na encruzilhada do trabalho artesanal à moda antiga e dos novos conceitos de sustentabilidade no design. Quando os alunos se formarem, vão dominar o ofício convencional —incluindo habilidades como corte, costura, dar pontos e fazer a lavagem do denim— e também vão levar elementos novos para o negócio, disse James Veenhoff, um dos fundadores da escola e ex-diretor da Semana Internacional de Moda de Amsterdã.

 

A turma que começa neste mês terá 17 alunos, de origens diversas e idade média de 23 anos. Graças ao financiamento do governameno, o curso é gratuito para alunos holandeses. Hoitink e Veenhoff também visualizam criar uma rede profissional, um arquivo e um laboratório de denim, tudo sob o nome de House of Denim.

 

Veenhoff está contando com especialistas em denim para dar aulas e  treinamentos curtos como convidados e oferecer estágios a seus alunos. Quando grandes nomes do denim como Adriano Goldschmied, um dos fundadores da Diesel, vierem a Amsterdã a negócios, disse Veenhoff, “vou pedir que passem aqui para dar uma aula”.

 

Fora do país, a rede House of Denim vai procurar fontes e fabricantes novos. Em outubro, uma “embaixada” do denim vai visitar Déli e Istambul.

 

Em 2011, uma turma pioneira de 20 alunos seguiu um programa de mestrado de dez semanas. Na primeira semana, cada aluno usou as máquinas de costura pesadas empregadas para trabalhos com denim para criar um avental de trabalho no tecido, simbolizando seu status de aprendizes.

 

Muitos aspectos da House of Denim ainda não saíram do papel, mas os primeiros alunos regulares da Jean School vão costurar seus aventais neste mês.

Fonte:|http://www.opovo.com.br/app/opovo/thenewyorktimes/2012/09/10/notici...

Exibições: 341

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço