Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

  Consultora Gloria Kalil defende que desdobramento econômico foi responsável pelo surgimento de três semanas de moda diferentes no país

Gisele Bündchen desfila pela Colcci no São Paulo Fashion Week

Gisele Bündchen desfila no São Paulo Fashion Week: Gloria Kalil diz que seria interessante juntar as três diferentes necessidades de moda em apenas uma semana

Rio de Janeiro - Embora a São Paulo Fashion Week, que aconteceu na semana passada, tenha surgido três anos antes do Fashion Rio, que foi criado em 2009, o evento já conquistou seu espaço no cenário internacional da moda e vem criando debates sobre a importância e a necessidade da existência de duas plataformas de moda no mesmo país - ou até três, com o surgimento do "Minas Trend" em 2007.

A consultora de moda Gloria Kalil defende que o desdobramento econômico foi responsável pelo surgimento de três semanas de moda diferentes no Brasil. "O perfil das indústrias das regiões são bem diferentes: São Paulo tem uma moda mais autoral, o Rio é mais fast-fashion e Minas é mais festa", explicou.

A jornalista disse que seria interessante juntar as três diferentes necessidades de moda em apenas uma semana, porém "são três caras diferentes, três necessidades comerciais diferentes, cada uma delas com o seu salão de business, o que dificulta bastante."

Sergio Mattos, da agência de modelos "40 Graus", que tem em seu casting modelos consagradas como Ana Beatriz Barros, concorda com a existência de mais de uma importante semanas de moda no Brasil. Para ele, como são cidades com realidades completamente diferentes, existe a necessidade de representar cada uma delas em diferentes plataformas de moda.

Atuando como caça talentos desde o final dos anos 80, Mattos considera que o Fashion Rio é "uma vitrine do lifestyle carioca, exatamente o que as marcas estrangeiras procuram", e São Paulo "o coração business do Brasil".

De fato, a moda carioca é essencialmente representada pela praia e por seu estilo de vida mais "informal". O fotógrafo de moda Paulo Pellon já trabalhou em diversas edições de ambas as semanas de moda e acredita que as marcas que desfilam no Fashion Rio representam uma moda mais litorânea, sem "muita novidade".

Para o fotógrafo, São Paulo, com sua conotação mais industrial e econômica, se baseia em uma da moda mais "autoral", onde "facilmente são lançadas tendências", embora considere muito importante a existência de, pelo menos, duas semanas de moda no Brasil, "pois enquanto uma nos traz novidades mais conceituais, outra dá continuidade a uma tendência tipicamente brasileira que é a moda praia".

Nos Estados Unidos, também existem três semanas de moda: a Semana de Moda de Nova York, a de Miami e a de Los Angeles. Baseado neste exemplo, o modelo e ator Lucas Malvacini - atualmente na novela "Amor a Vida" - defende a importância da existência não somente das semanas de moda já conhecidas, como o surgimento de outras "por exemplo, no nordeste".

O modelo acredita que em países grandes e com muitas diferenças culturais, como o Brasil, há uma necessidade de, em eventos como esses, levar informação, cultura, tendência e comportamento através da moda, para assim tentar simbolizar tudo o que há de novo e diferente.

http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/especialistas-def...

Exibições: 193

Responder esta

Respostas a este tópico

Concordo com Lucas Malvacini: - Não há como regionalizar um país continental como o nosso em apenas Moda Praia ou Moda Executiva.

Existem variáveis comportamentais, sócio-economicas, de biotipo e oustras que OBRIGAM a ter mais que trës semanas de semana no Brasil.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço