Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

      Gostaria de deixar aqui meu depoimento de algo conjuntural que está ocorrendo neste setor.

       Metro quedrado caro em SP vs Chineses .

       Tenho 100 metros de mesa na estamparia, ou seja necessito no mínimo de um galpão de 450 m2 na Zona Leste, onde me localizo hoje. O empresário gosta de falar que está bem , que está tudo jóia mas isto é hipocrisia e não é meu objetivo hoje.

       As confecções pagam miséria por peça, uma peça que fazemos a Daslu vendida a 1.000 reais pagam para nós R$5,00, nós temos a qualidade e exigência desta grife , e uma produção para 100 metros de mesa. Agora Quantas peças terei de fazer para pagar o aluguel de 450m2 mais um escritório de 250m2 no carrão!!! E tem os funcionários ainda!!!! E meus clientes pagam para 30 e 60 , quando pagam.

 

    Sr´s, o que está acontecendo é uma ação conjuntural prostituída comparativa aos Chinêses, mas lá o ganha-se com pouco .

 

    Resumindo , a inviabilidade operacional de qualquer estamparia de ponta de alta produção se agravou, logicamente a crise em que vivemos se exponenciou.

    A única forma de reagir é quando as marcas não terem mais com quem estampar suas coleções, então é tarde demais. A mas dá para estampar na China . OK as grandes marcas com certeza montarão escritórios por lá mas elas ficarão nas mãos de Mandarin.

    Já minha tia que veio de Roma década de 60 me avisou, perderemos as cores do verão para o incolor do inverno.

    Atenciosamente

 

    Carlos

   

      

       

 

   

Exibições: 972

Responder esta

Respostas a este tópico

Carlos, é utopia iniciarmos um grito geral no setor serigrafico?
Será que alguem tem idéia de quantos somos, quantos empregos geramos, qual é a nossa participação na economia?
Aproveitando as eleições será que tem algum politico querendo abraçar uma manifestação geral?

Estou falando somente de SILK SCREEN, somente estamparias.
Estou sonhando alto, ou vc acha que na dificuldade encontraremos eco em nossas reclamações.

Tá ai uma estampa nova para criarmos " GRITO DE ALERTA, SILK ".

O que vc acha?

Amigo pode contar comigo.

Meus Caros

Estive na China 3 vezes. A primeira em 1988 após Mao. Mais recentemente em 2009. É espantosa a capacidade chinesa de superação de dificuldades com estoicismo e determinaçao de sobrevivencia. Lembremos que eles já tem barreiras comerciais gigantescas na Europa por exemplo e continuam a buscar alternativas pois não lhes resta outras.Trata-se de um governo centralizador e de um povo que aceita determinações visando o futuro que ja veio para 300 milhoes de chineses. Faltam 1.000.000 de chineses ainda para sair da pobreza e eles tem planos para os proximos 50 anos. Porque nós brasileiros, empresarios, profissionais cidadãos em geral, não nos unimos e partilhamos nossos recursos, atuemos pro-ativamente para dar o melhor possivel aos nossos funcionarios e também envolve-los nessa empreitada para que todos contribuam para um projeto de país? Não devemos esperar politicos e autoridades. Temos que agir e ao mesmo tempo continuar cuidando de nossas atividades de sobrevivenvia. Porque não?     Milton ex empresario

   Milton, enquanto houver novelas, futebol, programas de baixaria ( tipo Big Brother , A fazenda e outros na tv ), carnaval e dêsemprego em baixa o povão não ligar para mais nada,

 abraços Romildo.

      Milton e Rinaldo, muito bom dia.

      A linha de discução de nosso mercado está envolvida em primeiro, uma péssima mão de obra brasileira, falta de responsabilidade com horários, não gostam de ser cobrados etc etc, se eu marco um horário com alguém o mínimo de minha obrigação é cumpri-lo, se não considero-me um estelionatário pois estou tomando o tempo do outro etc. E no fim , quem aguenta são os chineses doutrinados por milhões de anos de existência e nós engatinhando na EDUCAÇÃO. Pelo pouco que entendo deste nosso mercado é que se existe uma pressão colateral paradoxa direta ao empresário ele não aguenta, pois seu funcionário não aguentará , perderá vendas , perderá as contas e o empresário brasileiro entra sim em depressão . Temos que ter uma primeira reação pessoal no próprio negócio e os que ganham são os mais criativos ,por isto somos considerados o povo mais criativo do planeta, usamos os proprios recursos para desenvolver e implantar sem incentivos de projetos governamentais . O que estou tentando entender a agindo é qual o perfil do empresário do ramo de confexão, e qual atitude está tomando para não fechar as portas, é assustador o número de desempregados no ramo de estamparias Silk Screen. Existe o fator da fábrica têxtil já enviar os tecidos estampados, o fator transfer que confundiu toda a população e popularizou-se a estampa de balcão. Quando falo o valor de meu trabalho em alto relevo, craquelado com gel etc vs transfer os clientes ficam de boca aberta, mais barato e fantasticamente melhor ninguém acredita. Pois o que dá dinheiro é a instantaniedade, a compra por impulso, o silk virou produto final , o mercado se transformou pela crise. Tenho vários casos de colegas meus do brás, um deles tinha 300m de mesa e 40 máquinas de bordado, fechou as portas por causa de nossos clientes grandes. Não se formou uma bolha , mas sim a individualidade e a guerra de preços , óbviamente em um mercado deste tamanho todos fecham. Salvar o Silk é uma necessidade, mas o brasileiro o transformou em brinde. Pode ter certeza, o Chines já está invadindo o mercado automotivo no Brasil , existe uma colônia de trabalhadores em Jundiaí, ele cumprem horário, são esforçados, adoram nosso país, e que saber é a lei da sobrevivência,no mercado de empilhadeiras os chineses acabaram de montar uma fábrica aqui no Brasil , estão fugindo de lá, estão exportando para cá , mais como nunca. Na Espanha meu colega procurando emprego mostrou o passaporte Brasileiro e o empregador mandou ele voltar ao Brasil. Aqui é farra,quanto mais o mercado noes exige que tenhamos de ser criativos , mais gera lucro ao governo, mais gera mercado,mais gera interesse de estrangeiros em nosso país, mais gera lucro ao governo e é o que nosso governo quer , poder , e não resolver uma situação do povo brasileiro , do nosso trabalhador,, A, mas isto tem cara de conspiração... `Para nós pedras empilhadas por baixo da pirâmide temos de agir infelizmente sozinhos ,para vencer por nossa competência , é isto que nosso governo incentiva , e não a evolução de uma nação.

    

  

Romildo

Na China não é permitido esse tipo de comunicação. Criticamos os chineses quando censuram a Internet mas nossa libertinagem no Brasil expões nossa familia a atentados pessoais e morais. A questão é não permitir mais esse descaminho. Pergunto a aqueles que questionam, como eu, na pratica, o que fazer?
 
romildo de paula leite disse:

   Milton, enquanto houver novelas, futebol, programas de baixaria ( tipo Big Brother , A fazenda e outros na tv ), carnaval e dêsemprego em baixa o povão não ligar para mais nada,

 abraços Romildo.

MILTON

Misericórdia, lendo os textos acima realmente da impressão de puro preconceito.
ESCLARECENDO:
Quando falo de um GRITO DE ALERTA, não é contra a China, mesmo pq não mencionei no meu texto a palavra CHINA. 
O que eu quero dizer é que o nosso setor tem sido prejudicado a muitos anos por enumeros fatores, o mais recente e mais prejudicial de todos os tempos, é uma avalanche de importados de tudo que é lugar, não só do bloco asiatico, mas estamos perdendo até mesmo para pequenas economias da america latina.
Indiferente se é capacitade deles ou incopetencia nossa, não importa, algo tem que ser feito, deixar as estamparias fecharem para depois reclamarmos nos botecos não tem logica.
Resumindo, tenho muitos amigos chineses, e são pessoas realmente supreendetes, mais o meu GRITO DE ALERTA é a respeito dos 2 ultimos anos que o setor de serigrafica têxtil vem enfrentando, COMPLICADO, conclamo uma discussão saudavel entre empresarios para ver o que é possivel reivindicar, indiferente de quem é a culpa.
Se o empresario brasileiro que vive no Brasil, cria empregos para brasileiros e compra e vende entre brasileiros, gerando impostos no Brasil para brasileiros, não parar e GRITAR SOCORRO, ai companheiros fica complicadissimo.

Rinaldo. Concordo com suas queixas. Elas são reais. Mas acho que não se trata de Gritar Socorro. Ninguém ouvira e se ouvir fugirá. Como alguem se defende de ameaças a não ser lutando, mas empresarialmente é preciso um plano e principalmente de for um projeto deinteresse de uma coletividade ou setor empresarial. Entretanto a simples manifestação da inconformidade com tudo isso ja é um passo. Quais seria as açoes que vc poderia liderar por exemplo? Está posto um desafio ABS Milton
 
Rinaldo Luiz Lopes disse:

MILTON

Misericórdia, lendo os textos acima realmente da impressão de puro preconceito.
ESCLARECENDO:
Quando falo de um GRITO DE ALERTA, não é contra a China, mesmo pq não mencionei no meu texto a palavra CHINA. 
O que eu quero dizer é que o nosso setor tem sido prejudicado a muitos anos por enumeros fatores, o mais recente e mais prejudicial de todos os tempos, é uma avalanche de importados de tudo que é lugar, não só do bloco asiatico, mas estamos perdendo até mesmo para pequenas economias da america latina.
Indiferente se é capacitade deles ou incopetencia nossa, não importa, algo tem que ser feito, deixar as estamparias fecharem para depois reclamarmos nos botecos não tem logica.
Resumindo, tenho muitos amigos chineses, e são pessoas realmente supreendetes, mais o meu GRITO DE ALERTA é a respeito dos 2 ultimos anos que o setor de serigrafica têxtil vem enfrentando, COMPLICADO, conclamo uma discussão saudavel entre empresarios para ver o que é possivel reivindicar, indiferente de quem é a culpa.
Se o empresario brasileiro que vive no Brasil, cria empregos para brasileiros e compra e vende entre brasileiros, gerando impostos no Brasil para brasileiros, não parar e GRITAR SOCORRO, ai companheiros fica complicadissimo.

      Sim, trata-se de um plano de ação, a Daslu está vendendo na Renner por exemplo , imaginem uma top marca  ter de fazer isto, alguma coisa aconteceu, crescer em fase de crise é heroísmo, claro . O empresário brasileiro é individual , simples nacional enfaticamente caiu como uma luva. EX: O governo brasileiro possui alguns incentivos , mas apenas para empresas até a classificação de core E, isto significa que se algum de vocês aqui baixarem sua classificação para F feche as portas pois nem o governo lhe ajudará com o tal do fomento paulista.  E se já estiver como E, nem terá como pagar a recisão de seus funcionários. O setor Têxtil foi o segundo maior capex de crédito do Brasil este mês, para exportar . Um primeiro caminho seria assim como o automotivo, a nacionalização de no mínimo 65% de peças de vesturário em geral , moda , com crédito direto de icms e ipi, e abrindo portas legais aqui dentro e facilitação para abertura de micro e pequenas empresas no ramo de moda. Quantas pessoas por semana recebo na fábrica querendo montar uma marca , coisas fantásticas ,. Creio que um Bench Marking do setor automotivo seria um grande começo, também temos o direito.

Se a Daslu consegue pagar apenas R$ 5,00 por uma estampa, é porque deve estar cheio de gente aceitando.

Não seria a hora de dizer 'não' para esses clientes?  Que tal os empresários do setor se unirem e formarem uma tabela mínima de valores?

qto a grandes empresas abrem escritórios na china para fazer sua produção,e dar emprego na china,tudo bem mas também venda seu produto lá mesmo não traga para o brasil, Porque trazendo para o Brasil vai acabando com os empregos e desvalorizandos os produtos nacional que é muito melhor que o improtado.

onde que estão esses grandes empresários, que não se unem e relmente vista a camisa do Brasil e de valor nos produtos brasileiros e pare com essa importação, que são produtos descartavéis qto que o nacional é muito melhor. vamos dar valor em nos Brasileiros. eu também tenho  uma estamparia e estou passando uma grande dificuldade  de sobrevivência. eu participei da feira de silk green que aconteceu em São Paulo no dia 18/19/20/ de julho. Gente so tem coisa importada. como que um serigrafista vai poder inverstir numa maquina de 980.000,00 sendo que os grandes empresários esta abrindo enscritóri na china. Vamos por a mão na consiencia e pensar nos Brasileiros.

Amigo Ney, no caso o preço em SP por estampa é de R$0,30 a R$ 2,00 o básico, cindo reais trata-se de um trabalho em alto relevo, craquelado com foil dourado , gliter + casca de ovo etc.

 

Existem diversas tecnicas e cada uma tem um valor de acordo com o nível de dificuldade e técnica aplicada, é como um carro, você quer com câmbio automático ou manual, com ar , com direção , vidro etc .

 

Um grande abraço Carlos.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço