Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

O preço de uma blusa em tecido plano ficará em torno de R$ 55 no atacado, mas em torno de R$ 99 para o consumidor.

Se a intenção é ficar na moda, a dica é começar a preparar o bolso antes de setembro chegar. A coleção primavera-verão tende a ser mais elaborada, por agregar matéria-prima diferenciada (sarja, tricoline ou algodão 100%) a cortes com técnicas próximas ao que se faz na alfaiataria, visto que a tendência serão os tecidos planos no lugar das malhas. Para o bolso, isso representará pelo menos o dobro do valor com as compras da mesma temporada em 2010.

Na prática, o preço de uma blusa em tecido plano, segundo o Sindicato da Indústria do Vestuário de Maringá (Sindvest), ficará em torno de R$ 55 no atacado. Como a formação de preço para o consumidor final costuma incluir ao valor pago no atacado algo entre 80% e 100%, a mesma blusa não sairá da loja por menos de R$ 99. “Nosso polo não vende preço e, sim, moda. Isso em um momento onde a consumidora brasileira está disposta a pagar mais, porque consegue perceber o quanto a roupa que veste é determinante para se posicionar em nossa sociedade, é muito positivo para o desenvolvimento do setor”, avalia o presidente do Sindvest, Cássio Murilo de Almeida.

É baseado nisso e na ampliação do mix de lojas dos shoppings atacadistas de Maringá, que o Sindvest projeta um crescimento entre 20% e 30% nas vendas em relação ao mesmo período de 2010. “Essa moda vem com valor agregado. A consumidora perceberá no corte e no tecido uma diferenciação que está em sintonia com o bom momento econômico e o aumento no poder aquisitivo dos brasileiros”, aposta Almeida.

De acordo com o acompanhamento do sindicato – que congrega empresas de 70 municípios da região, que já é o segundo maior polo confeccionista do país, atrás apenas de São Paulo – só a matéria-prima da coleção representou um incremento na ordem de 30% no custo de produção.

O otimismo do setor em relação às vendas das estações mais quentes do ano terá um bom medidor nos dias seguintes ao lançamento das coleções primavera-verão 2012 para pronta-entrega, marcado para às 20h30, do próximo dia 31, no Centro de Eventos Excellence, em Maringá.

O evento promovido pelo Sindivest em parceria com quatro shoppings atacadistas da cidade – Avenida Fashion (175 lojas); VestSul (com 130 lojas); Mercosul (com 120 lojas) e Portal da Moda (com 55 lojas) – projeta que na primeira semana de agosto sejam comercializados pelo menos o dobro do que, normalmente, é vendido, ou seja, um montante aproximado de R$ 50 milhões.

“No mês, a diferença em relação a julho deve aumentar entre 40% e 50%”, aponta. Vale destacar que, além do incremento de negócios por conta dos desfiles no dia 31, o crescimento nas vendas em agosto é decorrente da própria sazonalidade do setor. “Em geral, 60% do nosso faturamento ocorre no segundo semestre”.

Estão sendo aguardados para a semana do lançamento das coleções primavera-verão cerca de cinco mil lojistas vindos de todo o país, sobretudo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. “Mas a moda produzida pelo polo de Maringá vai além das fronteiras da nação. Os lojistas de Foz, por exemplo, costumam revender para consumidores dos países vizinhos como Argentina e Paraguai”.

Infraestrutura

Alguns diferenciais como o Aeroporto de Maringá, aberto 24 horas, o franqueamento de passagens como estratégia de alguns shoppings atacadistas de Maringá e a própria oferta de uma infraestrutura de acomodações e restaurantes para receber os compradores têm consolidado o polo como um importante endereço de moda entre os lojistas de todo o País. “Desenvolvemos toda uma logística capaz de receber confortavelmente de 800 a mil lojistas por dia. Além disso, para públicos maiores como durante este evento, acionamos a estrutura hoteleira da região”, aponta.

Além da comodidade, que hoje faz com que o comprador de Campinas, por exemplo, opte em se deslocar até Maringá ao invés de ir para São Paulo, Maringá também investe em inovação, qualidade e agilidade na produção. “Os lojistas já assimilaram a necessidade de lançar novidades toda semana para não frustrar quem vem até Maringá para comprar. Essa versatilidade na criação também se dá na capacidade de modificar em curto espaço de tempo a linha de produção para dar conta, prontamente, dos pedidos”, assegura Almeida.

Fonte:|http://oestadodoparana.pron.com.br/economia/noticias/35676/?noticia...

Exibições: 98

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço