Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Célula e conscientização como ferramentas

 

As indústrias de vestuário brasileiras, para serem mais competitivas frente aos concorrentes externos, necessitam trabalhar várias frentes, sendo a primeira alternativa trabalhar o próprio custo Brasil. Esse é um tema de conhecimento de todos, inclusive do governo, mas pouquíssimo podemos agir em curto prazo nessa questão. Outra frente de trabalho mais acessível ao empresário é realizar a engenharia de produção. Neste artigo, vamos trabalhar as várias formas para tratarmos da engenharia de produção aplicada à indústria do vestuário.

Primeiro, a partir do estudo da criação do produto em reavaliar os métodos produtivos sem, contudo, comprometer a criação original da equipe de desenvolvimento. Nesse momento, é fundamental a sinergia, ou seja, o trabalho de equipe entre criação, engenharia de produção/planejamento e controle da produção (PCP) e a produção em si, zelando pelo faturamento e pela sustentabilidade da empresa no mercado, ou seja, com foco na obtenção do produto pelo menor custo.

A engenharia de produção tem como responsabilidade manter as características dos produtos desenvolvidos pela criação, aplicar métodos produtivos mais econômicos e eficientes, por meio da implantação de tempos e métodos de trabalho. Isso tem impacto direto no melhor uso da capacidade da mão de obra e na redução do custo final da produção, o que se traduz em maior lucratividade para a empresa. Outra prática importante da engenharia de produção é a padronização da velocidade das máquinas, feita com o uso do tacômetro. Isso permite utilizar o máximo da eficiência da máquina sem prejudicar o equipamento, pois é a garantia de que ela estará funcionando na velocidade certa prevista pelo fabricante.

A produção deve ter um forte sistema de comunicação com o departamento de criação e engenharia de produção/PCP para garantir que as especificações de produto, método, operações, sequência operacional, tempos, coordenação das equipes de trabalho para respeitar a carga que cada operador deverá ter na célula (linha de produção) sejam respeitadas.

Na comunicação da produção com o planejamento, a velocidade do apontamento da produção deve ser a mais rápida possível, pois eventuais problemas devem ser notificados e tratados de forma estratégica (online) para garantir a máxima produtividade. Os sistemas informatizados existentes no mercado hoje permitem rapidez, precisão, economia e segurança nos apontamentos e controles em geral dentro da indústria (PCP, estoque, corte, confecção e facções), pois têm custo baixo, utilizando sistema 100% web.

A aplicação da tecnologia adequada permite na indústria do jeans uma produtividade por funcionário acima de 40 peças/pessoa/dia, muito além do habitual do mercado, que é em torno de 18 a 20 peças/pessoa/dia. Esse cálculo é baseado na soma da quantidade de pessoas envolvidas diretamente na produção, como costureiras, ajudantes e distribuidores, dividida pela quantidade de peças produzidas por dia.

A automação da produção passa pela aquisição de máquinas com tecnologia que permita alta produtividade, qualidade e acabamento dos produtos. Com a falta de mão de obra e profissionais no mercado, o uso da automação torna-se muito interessante, pois é substituído(a) o(a) costureiro(a) por um(a) operador(a), que é mais fácil de treinar e adaptar nas operações.

Com essa visão, segue planilha de tempos para produção de calça jeans básica cinco bolsos, com a sequência operacional. Os tempos de cada operação podem sofrer variações devido ao sistema de layout, formas de montagem, cronometragem, velocidade da máquina e grau de automatização das máquinas.

Leve em consideração que essa lista de tempos pode ter alteração em sua fábrica, devido à velocidade das máquinas, ao modo operacional do operador e à marca da máquina de costura.

Quanto ao layout, apresentamos uma célula com 19 máquinas, sendo que duas máquinas de duas agulhas são destinadas a pregar bolso traseiro (reserva), caso ocorra algum problema com a máquina de pregar bolso automática. A produção é de 700 peças/dia com 22 pessoas, o que dá uma produtividade de 30 peças/pessoa/dia. Para maiores detalhes, entre em contato.

 

ALCIO PITTOL É ADMINISTRADOR NA ÁREA INDUSTRIAL DE CONFECÇÃO, JEANS, PRÊT-À-PORTER, MODINHA, CAMISARIA & MALHARIA. CONSULTOR EM DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO, PRODUÇÃO, TEMPOS & MÉTODOS E REDUÇÃO DE CUSTOS.

ALCIOCONSULTEX@HOTMAIL.COM

 

EDUARDO BLATT É ENGENHEIRO TÊXTIL E PROFESSOR DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NA UNISA, CONSULTOR DE PRODUÇÃO E CONFECÇÃO E SÓCIO DA EMPRESA PRACTICALTEX (SISTEMA DE CONTROLE DE PRODUÇÃO PARA CONFECÇÕES DE ROUPAS MODA & MODINHA – 100% WEB).

EDUARDO@PRACTICALTEX.COM

WWW.PRACTICALTEX.COM

http://www.costuraperfeita.com.br/edicao/23/materia/producao.html

Exibições: 1058

Responder esta

Respostas a este tópico

Sempre lembrando que todo ganho de produtividade não terá sentido sem um sincronismo com a área de marketing e comercial, sob risco de ter o estoque muito alto de produtos baratos, ou seja, investir na ociosidade.

Tudo isto só se faz possível quando temos mão de obra ! No RJ já não existe mais costureiras! Abri espaço para montar escola de formação na área de produção em confecção e não tem candidatas!

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço