Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

A família real do Catar comprou as marcas italianas de luxo Valentino e Missoni por € 700 milhões, na esperança de transformá-las numa "potência mundial de produtos de luxo".

A marca Valentino, conhecida por seus vestidos de coquetel (para ocasiões formais que não exijam vestidos de gala) e pelos requintados vestidos de noiva, passou a ser controlada pela firma de "private equity" Permira em 2007, quando esta assumiu participação majoritária na Hugo Boss, a marca alemã controlada na época pela Valentino, num negócio de € 2,6 bilhões.

Nos últimos cinco anos, a casa sediada em Milão teve de enfrentar não apenas as oscilações registradas pelo mercado de produtos de luxo como também a aposentadoria de seu fundador e expoente, Valentino Garavani.

A Permira quer mostrar a seus investidores que é capaz de lucrar com seus ativos, num momento em que tenta captar € 6,5 bilhões para um novo fundo de cinco anos. No início da semana, a empresa descartou a venda de sua participação na empresa de comida congelada Birds Eye Iglo, após as ofertas se situarem abaixo de sua avaliação de € 2,8 bilhões.

Mas o dinheiro gerado pela venda da Valentino não voltará aos investidores, como normalmente ocorre depois da saída de uma empresa de participações. Em vez disso, a mantenedora da Permira, que detém sua participação na Hugo Boss, empregará o dinheiro para quitar dívidas. O negócio avalia a Valentino e a Missoni juntas em cerca de 32 vezes os lucros do ano passado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de € 22,4 milhões - soma muito maior que a movimentada em aquisições equiparáveis do setor.

A venda não inclui a MCS Marlboro Classics de Valentino, que será desmembrada do grupo antes da operação.

Exibições: 160

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço