Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Por Eduardo Vilas Bôas
Professor de Moda do Senac SP

Para determinar o preço de venda, você deve pensar no processo que vamos explicar a seguir. Primeiro, você precisa obter o custo total de cada modelo a ser produzido, o que se consegue por meio da Ficha de Custo. Em seguida, deve obter o Markup a ser adicionado sobre o custo do produto, para se efetuar o cálculo de preço de venda. Por fim, você terá que comparar o preço final com a concorrência e fazer ajustes necessários.
    
O Markup, então, é o “número mágico” que deve garantir um preço final de venda suficientemente alto para pagar todas as despesas da empresa – e ainda sobrar o lucro – e suficientemente baixo para ser competitivo e interessante para o consumidor.

Para chegarmos ao número do Markup ideal devemos conhecer todos os custos e despesas necessários à operacionalização da venda, bem como o valor do lucro esperado. O Markup, por regra, é composto de três elementos: Custos Variáveis, Custos Fixos e Lucro.

O Custo Variável de Produção refere-se às despesas que incidem diretamente sobre o preço de venda do produto, como impostos sobre vendas (ICMS, PIS, COFINS), comissões de representantes comerciais, frete e despesas com marketing. Podem ainda incidir taxas como royalty ou variações de tributação, conforme o regime tributário adotado, como o Simples Nacional. 

Os Custos Fixos são custos e despesas que teoricamente não dependem do volume das vendas ou da produção, tais como salários, pró-labore, encargos, água, luz, aluguel, telefone, internet, IPTU, IPVA, seguros, terceiros, como limpeza e contabilidade, ou seja, vendendo mais ou menos, esses valores não se alteram ou alteram de forma pouco significativa. 

Já o lucro é o que sobra das vendas, menos o custo da mercadoria, menos as despesas variáveis e as fixas, inclusive o pró-labore, que é o salário dos sócios. Logo, lucro não é salário. O lucro destina-se a remunerar o capital investido na empresa. É desejável que esse capital seja remunerado no mínimo por volta de 2% a 4% ao mês para o varejo de moda e que seja, durante os dois primeiros anos, reinvestido na própria empresa. 

Assim, entendemos que Markup é um número em porcentagem sobre o faturamento. Esse número será a margem financeira disponível, após ser coberto o custo do produto, da qual devem sair os valores para pagar despesas fixas, variáveis e o lucro, conforme a evidencia a tabela a seguir.


Existem dois tipos de Markup. Temos a Margem Bruta ou Margem de Contribuição, que é referenciada pelo preço de venda, isto é, um percentual do preço final. E a Margem de Markup ou Markup que é referenciada pelo custo do produto, ou seja, um percentual sobre o custo das mercadorias. 

As duas formas são utilizadas pelo mercado e, por isso, é importante evidenciar qual método é utilizado, pois ambas refletem valores percentuais diferentes. 

Por exemplo, na situação hipotética dada na empresa acima, a soma – em percentual – dos três elementos que compõe o Markup é de 52,75%. Para calcular a Margem de Markup usamos a fórmula a seguir que vai nos retornar um número (2,1164), o qual deve ser multiplicado no preço de custo de cada mercadoria para se obter o preço de venda ao consumidor. 

Já a Margem Bruta é calculada pela fórmula que apresentamos na sequência. Note que os 52,75% são utilizados, na forma decimal, e o preço de venda já é sabido, afinal é só multiplicar 2,1164 pelo custo do produto, que nesse exemplo é de R$25,00. A Margem Bruta, então, demonstra qual o valor deve ser acrescido sobre o custo do produto para pagar toda a operacionalização da empresa. 

Resumindo, para essa empresa, com uma Margem Bruta de 52,75% (soma dos Custos Fixos, Variáveis e Lucro em percentual) um produto com custo de R$25,00 deve ser vendido a R$52,91, ou seja, ele carrega uma carga de R$27,91, que serão utilizados para contribuir no pagamento da operacionalização da empresa. 

Mas que tipo de implicação existe se um varejista utilizar apenas a Margem de Markup? Pode-se pensar que a margem efetiva do produto é igual ao Markup, o que não é verdade, já que não temos 111,64% de gordura para conceder descontos.

Por Eduardo Vilas Bôas
Professor de Moda do Senac SP

Exibições: 1178

Responder esta

Respostas a este tópico

MUito bom . Parabéns !!!!!!!!!!

  Mas que tipo de implicação existe se um varejista utilizar apenas a Margem de Markup?

Pot enquanto é um modelo simples, que vou testar com o proximo custo. Se for bom lhe informo.

Abração, Don Romildo de La Mancha.

   Pode-se pensar que a margem efetiva do produto é igual ao Markup, o que não é verdade, já que não temos 111,64% de gordura para conceder descontos.

Pelo que eu entendi,com esse preço de R$52,91 tenho somente R$4,23 que é o meu lucro de 8% para dar descontos, sem comprometer o pagamento dos fixos,variáveis e pagar tudo que foi gasto na formação do custo do produto?

 

Eduardo, parabéns pelo artigo.

Claro que no dia-a-dia fica difícil fazer as contas, cada vez que temos de reduzir preço para girar a mercadoria. Mas... é importante sabermos quanto estamos ganhando, ou deixando de ganhar ou mesmo perdendo, para melhorarmos nosso processo de compra, planejamento de coleções, escolha de terceiros, treinamento de gerentes e equipe de vendedores.

Será fundamental que nossas associações de classe informem - e pressionem -  nosso querido, amado, idolatrado governo das perdas da indústria e de toda a cadeia para essa realidade que, após as contas feitas mostra um cenário aterrador. (menos para chineses, vietnamitas, turcos, etc..)

Parabéns!!

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ,Alfredinho.



alfredo cardoso Neto disse:

Pot enquanto é um modelo simples, que vou testar com o proximo custo. Se for bom lhe informo.

Abração, Don Romildo de La Mancha.

Desculpe, ainda meio obscuro p/ mim. Se não sei quantas peças irei vender, como dividir o custo de aluguel, telefone, internet etc pelo número de peças vendidas?

Outra: remunerar o capital por volta de 2 a 4% ao mês quer dizer recuperar 2 a 4% ao mês do capital investido?

Outra: onde entram despesas como o custo do designer que bolou o nome da empresa, criou o logo etc?

Obrigado

Já o lucro é o que sobra das vendas, menos o custo da mercadoria, menos as despesas variáveis e as fixas, inclusive o pró-labore, que é o salário dos sócios. Logo, lucro não é salário. O lucro destina-se a remunerar o capital investido na empresa. É desejável que esse capital seja remunerado no mínimo por volta de 2% a 4% ao mês para o varejo de moda e que seja, durante os dois primeiros anos, reinvestido na própria empresa.

Heitor Vasconcelos disse:

Desculpe, ainda meio obscuro p/ mim. Se não sei quantas peças irei vender, como dividir o custo de aluguel, telefone, internet etc pelo número de peças vendidas?

Outra: remunerar o capital por volta de 2 a 4% ao mês quer dizer recuperar 2 a 4% ao mês do capital investido?

Outra: onde entram despesas como o custo do designer que bolou o nome da empresa, criou o logo etc?

Obrigado

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço