Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

História da Moda: Origem e processo de produção da fibra do Linho

Por Bruna Marques de Oliveira

Professora universitária, educadora e técnica em modelagem

Segundo historiadores, a fibra do linho foi descoberta aproximadamente de 8000 a.C. Não se tem a data exata de quando a fibra começou a ser usada como tecido pelo homem. Porém há registro que comprovam o seu cultivo em 2500 a.C. Também encontramos a história do linho usada como tecido nobre e símbolo de poder e riqueza no Egito antigo, os faraós eram embalsamados com esse tecido. O linho também é considerado uma planta ecologicamente correta, pois o seu cultivo não é prejudicial ao solo Ele possui uma durabilidade grande e tem alto potencial de absorção do calor.

fibra do linho de origem das plantas herbáceas é extraída do talo, o linho é arrancado pela raiz, a fim de se aproveitar todo o comprimento dos caules. Seu nome científico é linum usitatissimum. A estrutura da fibra é composta pela casca e pelo lenho, onde se encontra a zona de filaça, formada por feixes de filaças (Os feixes consistem em um grande número de fibras individuais).

Fonte: http://www.publicdomainpictures.net/hledej.php?hleda=linho&x=0&...

 

Atualmente, a fibra do linho é encontrada em ambientes com temperaturas mais frias e boa parte da produção é feita na Europa. Dentre os países produtores estão a Polônia, a Bélgica e os Países Baixos. Quanto ao Brasil o cultivo é bastante restrito a pequenas áreas com possibilidades de comercialização e extração da fibra.

 França,

Existem três tipos de linho e eles estão divididos de acordo com a sua finalidade: linho extraído da semente – é utilizado na produção do óleo de linhaça, o linho de fibra ou linho para debulhar – ideal para obtenção das fibras têxteis, e o linho de cruzamento – empregado para dar rendimento suficiente de fibras e óleo.

Fluxograma da obtenção da fibra de  linho

 

Para o plantio da cultura do linho é necessário uma preparação da terra, geralmente acontece no período de junho. Após a colheita o material é colocado para secar (fenação) e obtendo-se a cápsula bem seca. Depois a fibra passa pelo processo de ripagem, em que serão separados o caule e a semente. Por fim, a fibra de linho passa para o processo de produção do fio.

Obtenção do fio do linho

Para produção do fio é necessário passar por um processo de extração das filaças do caule. O processo de saída da fibra de linho é feito por meio da marceração, encontra-se três técnicas:

  • Maceração por orvalho: O orvalho e a chuva fazem com que se formem cogumelos de tamanho microscópico que irão decompor a cola vegetal.
  • Maceração com água fria: as bactérias da maceração encarregam-se da destruição da cola vegetal.
  • Maceração em água quente: Aquece-se a água a 28° a 30°, pois essa temperatura é propícia para o desenvolvimento de bactérias de maceração

O próximo processo é a secagem, em seguida acontece o processo de espadelagem que consiste na separação completa das fibras do linho. Depois, as fibras são separadas no processo de assedagem. Por fim, obtém-se o fio e posteriormente são realizados acabamentos e a fabricação do tecido.

Referência bibliográfica

CASTRO. C; SEQUEIRA. M. O linho e a sua cultura. Vila real UTAD, 1995.

O linho. Disponível em: http://pt.slideshare.net/ManuelaAlves1/o-linho-42449054

PEZZOLO, Dinah Bueno. Tecidos: história, tramas, tipos e usos. São Paulo: Senac São Paulo, 2007.

 Jorge Fernandes Alves, O Trabalho do Linho. In MENDES, José Amado; FERNANDES, Isabel (Coord.) - Património e Indústria no Vale do Ave. Vila Nova de Famalicão: Adrave, 2002, p. 292-299.

Por Bruna Marques de Oliveira

Professora universitária, educadora e técnica em modelagem

Exibições: 4017

Responder esta

Respostas a este tópico

PORQUE SERÁ QUE O BRASIL NAO TEM LINHO, NAO TEM RAMI, A SEDA E VENDIDA EM FORMA DE FIO, COM BAIXO VALOR AGREGADO, DEPOIS VOLTA DO JAPAO DA ITALIA CUSTANDO UMA FORTUNA, PORQUE SERÁ QUE NOSSO EMPRESARIADO TEXTIL SO PENSA EM COMPRAR POLIESTER E FAZER LIXO QUE NINGUEM QUER MAIS?

Muito interessante este trabalho sobre o linho. Poucos brasileiros sabiam do processo e cultura sobre o linho. Já foi muito usado para camisas e roupas femininas, sendo um dos tecidos mais caros e elegantes. Acho que faltou mais detalhes na produção do fio....maquinários etc.
Parabéns pelo trabalho. Esperamos mais artigos sobre outras fibras, inclusive as sintéticas...

Izidro Gomes Xavier....
Jr Torneadora Têxtil - maquinas de dobrar compressas de gaze

Pelo que sei, a fibra de Linho foi economicamente cultivada no Sul do Brasil, com qualidade suficiente para a fabricação de Fios Grossos destinados a Estofamentos e Cortinas; a empresa ligada ao empreendimento cessou as atividades.
Pelo que sei, a fibra do Rami foi economicamente cultivada no Sul do Brasil, principalmente pelo conhecido Rei do Rami, cujas fibras eram destinadas à misturas na fiação de Juta e substituição do Linho; na fiação de Linho era conhecido como o Linho Brasileiro. No Japão era fibra nobre, com fiações fabricando fios Finíssimos. Não sei como está esta cultura. Considero uma Fibra Nobre.
Pelo que sei, o Brasil é importante exportador de Fio de Seda.
O Poliéster tem características bastante diferentes dos acima.
Atualmente há importantes Escolas Têxteis no Brasil, que poderiam e deveriam investigar melhor estes segmentos têxteis.

Julio Caetano

 


  

As Fibras Naturais estão em grande evolução nos últimos 10 anos em todo o mundo. A ONU, através da FAO em todo o mundo; a ABTT em seu Congresso e a FAO em evento ocorrido em Salvador-Bahia, trouxeram o tema para discussão. As Fibras Naturais estão "na moda" e evoluindo em todo o mundo, substituindo as artificiais e sintéticas, estando o Brasil hoje importando as Fibras e seus Produtos. As Escolas Têxteis Brasileiras deveriam tratar o tema junto com indústrias brasileiras e os Institutos Agrícolas  Brasileiros.
Julio Caetano   

O brasil não tem temperatura correta para plantação do linho em si, quanto produzir roupas de poliéster não sou contra, cada um constrói o que pode e o que quer tem, mercado pra todos, quanto a produzir lixo não penso assim, porque o lixo é produzido si concordo, si não concordo não produzo lixo.
 
francisca gomes vieira disse:

PORQUE SERÁ QUE O BRASIL NAO TEM LINHO, NAO TEM RAMI, A SEDA E VENDIDA EM FORMA DE FIO, COM BAIXO VALOR AGREGADO, DEPOIS VOLTA DO JAPAO DA ITALIA CUSTANDO UMA FORTUNA, PORQUE SERÁ QUE NOSSO EMPRESARIADO TEXTIL SO PENSA EM COMPRAR POLIESTER E FAZER LIXO QUE NINGUEM QUER MAIS?

O Brasil pode não ter clima pra produzir linho, mas com certeza tem para produzir ram e como o colega disse acima produziu muito nos anos 80 e 90, porem estas empresas não aguentaram a ganancia da lei do menor esforço, imagina, plantar, fiar, tecer, se podia simplesmente comprar poliester vagabundo da China e vender a preço de ouro, so não contavam com a China despejando milhares de toneladas de tecido pronto aqui, agora ficam gritando que estão quebrando, enquanto quem apostou nas fibras naturais tem fila na porta, exemplo? Aqui na Paraíba você não compra uma tonelada de meias malha na matesa têxtil com menos de 30 dias de espera, imaginem se eles também tivessem linho e seda, eu certamente estaria la na fila, como disse sabiamente MÁRIO QUEIROZ, o setor têxtil brasileiro esta caduco, totalmente ultrapassado, eu já digo que ele faz jus a nosso hino DEITADO ETERNAMENTE EM BERÇO ESPLÊNDIDO, quem inovou vai sobreviver, o resto não fica um.

Os Profissionais Têxteis sabem perfeitamente que cada Matéria Prima tem sua característica/especificação e atende/serve finalidades específicas.
O clima no Brasil é bastante característico e diferente do apresentado em inúmeros outros países, portanto o conforto do usuário deve sempre prevalecer.
A mistura das Fibras Naturais com as Artificiais e Sintéticas segue inevitavelmente o conforto pessoal.
Nas Academias Têxteis reputo como a principal cadeira, o estudo/conhecimento das FIBRAS.

Responder à discussão

RSS

© 2024   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço