Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Importações chinesas já acabaram com 250 das 300 malharias da região de Caxias do Sul

Sobre a tua nota de análise sobre as importações da China, o que posso dizer como industrial da área de malharia é que é uma vergonha o que estão fazendo com as indústrias brasileiras, principalmente do setor têxtil. 
. Se tudo fosse importado da China legalmente, pagando impostos, não temeríamos nada,  pois a importação teria um preço justo e haveria um equilíbrio saudável, mas os grandes importadores têm um a associação em São Paulo, chamada de ABEIM, e eles importam da China através de outros países(Bangladech é um  deles) para burlar as cotas e preços. Com isto as malharias estão sumindo ou passando muitas dificuldades. As que sobrevivem, utilizam a mesma importação ou fabricam  um produto de alta qualidade para sobreviver.  Veja o caso da Hering, Sulfabril e outras de Santa Catarina. Um companheiro nosso foi a China para ver de perto o que está acontecendo. Ele visitou uma malharia que tem mil máquinas manuais, e as maquinas trabalham 24 horas sendo 12 horas o pai, 6 horas a mulher e 6 horas o filho(menor de idade) o salário da família é de U$ 120,00 mensais as folgas são aleatórias, sem férias, sem 13º salário, sem multa de 50% do FGTS e, pior, utilizam mão de obra de menores, podemos classificar como mão-de-obra escrava.
. Tenho este conhecimento pois sou malheiro estabelecido em Gravataí e fui presidente do Comitê de Malharia Retilínea da ABIT em São Paulo, o que os grandes(Abeim) fazem é um verdadeiro desserviço para o Brasil por estar atingindo e prejudicando muitos setores sendo o têxtil por um todo, tendo este o segundo maior em utilização de mão-de-obra que tem a Construção Civil como primeiro do nosso país. 
- Desde 2003 são milhares que perderam empregos. Neste período, em Caxias do Sul, só na região, existiam 300 malharias, mas hoje não passa de 50.
Solon Raphaelli
GIO INDUSTRIA DE MALHAS E CONFECÇÕES LTDA
 

Exibições: 2001

Responder esta

Respostas a este tópico

Os Chineses fabricam e fazem chegar aqui: Porque ha compradores e usuarios. Ah o maior problema e aqui. SdM

continua o mesma lamentação.

vamos por ordem nisso,vamos para uma grerra,armas não temos muito ,mais somos em numeros maior.

vamos comesar uma manifestação.

vamos aparar o pais

em dia de clacico nos estadio de futebol,tenha um locotor e anuncia a paralisação,

convoquem os sindicatos e marcam um dia  da guerra.

derubem  e divulguem e temam provas  dos fiscai coruptos

quem tem imagem desas pessoas coruptas,que vem prejudicando de mais as empresas,devulguem as imagens delas.

onde esta o inicio de todo esse inferno que esta acontecendo,vamos divulgue o inicio disso, só o povo pode aparar,derrubem presidente de sindicatos corruptos também,se não quererem ajudar.vamos aparar de lamentação e começar uma guerra contra o governo.

Amigos

 

Acontece que muitos que reclamam são importadores também...a China está a mais de 15.000km daqui e seus produtos chegam ao Brasil porque tem gente querendo e comprando...o problema muito mais de educação e relação com o País...patriotismo e vontade efetiva de mudar as coisas...Brasilia foi eleita por nós...há 25 anos que eles estão lá por nossas vontades...se não temos competençia de escolher nosso futuro...nossos leais representantes não vote por obrigação...vote conciente...mas como exigir isso se somente 2,5milhões leem jornais?Para 200milhões de habitantes é muito pouco...daí os politicos mesmo escolhidos por nós sabem que poucos sabem o que eles estão fazendo...todo empresario deveria estimnular a leitura de jornais em suas empresas...criar o momento da leitura...mesmo se ele tiver que arcar com esses onus que se transformarão logo em benificio geral.

SOLON

Porque os produtos chineses não pagam impostos para entrar aqui?

Como pode um produto caminhar mais de 15.000km;pagando seguro;tarifas alfandegarias chegar aqui e encontrar um mercado facil de entrar?

Se as pessoas que vão a China nos dizem que lá a familia toda trabalha e 24hs/dia porque não fazemos a mesma coisa?Eu e minha familia trabalhamos nosso negocio iniciando o dia as 7:30hs e terminando quase sempre as 20:00hs...isso já de a muito e,na minha opinião,é a unica maneira de vencermos as concorrencias...

Veja que os asiaticos dominam as vagas nas grandes e melhores universidades...eles estudam sabado e domingo por um ano...com esses dias a mais que os de outras raças eles ganham pelo menos 3 meses de studo e levam a vaga.....

 

Amigos, lembro-me de ter começado a falar sobre este problema no final de 2005, quando estava para a acabar a proteção ao setor têxtil, imposta pelo FHC em 1995, quando até o prefeito da cidade de Americana levou borrachada da PM.

Por volta de 2008, de tanto reclamar, era considerado persona nom grata entre os meu amigos do setor. Falavam que eu deveria trabalhar, deixar de viver de saudosismo, parar de chorar...e coisas desse gênero.

Últimamente tenho visto alguns representantes de sindicatos, tanto patronais quanto de funcionários reclamando da situação. Mas vale lembrar que muitos desses representantes, ou não tinham conhecimento de causa (e daí creio que não servem para estar em cargo de liderança (representando um setor ou classe), pois não estavam (e não estão) defendendo ninguém - são os famosos REPONE - Representantes de PPPPP NENHUMA), ou até por pouco tempo estavam se favorecendo com a situação. Até por esses dias, muitas empresas texteis paralisaram (ou quase) suas produções e passaram a importar o seu produto da China, tornando-se um distribuidor chinês. O que ocorre é que os confeccionistas que tiveram cacife para importar, começaram a trazer sua própria matéria prima da China também, fazendo com que o lucro desses oportunistas de plantão, pessoas essas que só pensam no hoje (ganaciosos, egoistas, cafagestes, e coisas desse gênero...), caíssem assustadoramente. E isso eu estou falando em um ótica legal, sem dumping, sem contrabando, sem esse tipo de expediente ilegal...

Hoje o Brasil, falando do setor têxtil, virou terra de ninguém, ou seja, cada opera na ilegalidade com a arma que tem, tipo "conheço um fulano que está trazendo tecido via mercosul"; outro diz "e eu conheço um fulano que está trazendo da China via Bangladesh, Paquistão, Quirguistão, Jumentoquistão" e assim por diante. Todos tentando baratear ainda mais a chegada do produto em terras brasileiras.

Em 2005, nesta época do ano, vendiamos um produto (pra falarmos somente de um) que atingia uma produção de 800 mil mts/mês. Só um cliente queria programar 1 milhão de mts/mês até fevereiro (4 milhões de mts de tecido). Para ser coerente, eu distribui este produto para 6 clientes somente, mesmo sabendo que poderia obter uma rentabilidade maior, vendendo o produto fracionado para as confecções, não fazia, pois achava que tinha parceiros. Hoje, não somente estes 6 clientes, mas a maioria das confecções, estão importando da China. Hoje o meu contato com esses clientes são somente para não perder o amigo (mui amigos).

Para resumir, meus amigos, HOJE A ÁGUA BATEU NA BUNDA DE TODOS, mas ainda creio que cabe um pouco mais de piora no setor para que, então, sim, como infecção prestes a expelir o seu pus (fazendo uma colocação o mais delirante possível), os empresários, trabalhadores (os que não migraram para as montadoras e empresas ligados aos setor automobilísticos que batem recordes, ano a ano, de faturamentos em nosso país), e simpatizantes do setor saiam para as ruas (não os REPONES que elenquei acima) para cobrar uma posição do governo.

Hoje, o que me conforta nisso tudo é pensar que não estava louco quando apontava para este cenário; que eu não era chorão como meus "amigos" diziam; que, realmente, eu estava enchergando corretamente.

De 2006 a 2008 eu vendi tudo o que eu tinha para me manter no setor, sem me bandear para o lado do importado (e olha que falta de oportunidade não foi - aliás, a última que tive foi há 40 dias atrás.E essa pessoa faz-me esta proposta desde 2005). De 2008 a 2010 eu lutei para conseguir sair dos especiais nos bancos os quais tinha (e tenho conta), pagando juros abusivos (aliás Vocês tem visto os lucros auferidos pelos 3 principais bancos brasileiros?). Graças a Deus, em Agosto de 2010 consegui saldar minha última negociação de um especial com o Unibanco (hoje Itaú-Unibanco). Agora estou lutando para sair do uso do cartão de crédito (creio que estou quase vencendo esta batalha).

Vocês devem estar curiosos para saber o que eu estou fazendo no momento, não é? Errou quem pensou que virei político, ou que prestei concurso público (segurança salarial), ou que estou vendendo droga. Ainda continuo no setor têxtil. Me virando como dá.

 

Cada um tem a Sua crença, e eu não subestimo a fé de ninguém. A minha religião é a Bíblia Sagrada. E nela está escrito:""Desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que trabalhe para aquele que nele espera" (Is 64.4). É esse Deus em quem eu creio, que tenho a certeza de que tem feito suprir todas as minhas necessidades elencadas aqui e, também, meu orçamento mensal (que não é pouco).

Quero que entendam que não defendo placo de igreja como já disse antes, masi sim a Bíblia (Palavra de Deus - ou do Deus que creio).

Quanto a controvérsias de alguns dos amigos deste blog, prefiro que as façam em meu e-mail (edsonmachado1968@msn.com) diretamente, para não usarmos o espaço deste blog tão importante para o setor têxtil.

 

Um forte abraço a todos e que Deus nos ajude nesta dura jornada que empreenderemos para defender o nosso setor.

 

Edson Machado

 

 

ELEMENTAR MEU CARO SOLON!

Porque a grande mistura racial Brasileiro nos fez uma Super. Raça, ora. Também somos o Povo Escolhido de Deus, desbancado os Israelitas. Trabalhar é para etário? Estudar? Para que? Arranjar um emprego público e a melhor opção? Trabalho duas horas por dias, quando falta alguém assina o ponto e me aposento por invalides aos 40! Ganhar Salario mínimo no campo? "Ai que preguiça", diria o amigo Macunaíma: Fico trepando em casa a “cumadi” parindo filho e ganho mais do que me matando! Nossos filhos não abrem mão de um festival de rock. Trabalhar? Coisa de pobre. Sem emprego? Pai paga o cigarro; mãe a cerva suada, casa é comida ate os quarenta, quarenta e cinco anos ph garantido com os pais. Mercê de Deus eles morrem cedo e eu herdo o APT! Nós somos um povo de JOGO DE CINTURA e estetas: Apreciadores de bundas e barrigas tanquinhos... Aqui se bebe bem, tem pagode, e sendo eu loura forte possibilidade de casar com um jogador de futebol e virar “Mulher Troféu”. Trabalhar e coisa de colono... Sabemos de tudo, os Japas são quadrados, os Chinas uns bostas, o Coreanos cheiram a alho, "Negrão é p’ro pesado". A me esqueci: Ate as vadias (putas mesmos) ultimamente adquiriram um nome ate mais sofisticado: “Poh cara, to comendo uma "universitária". Ah que saudades da zona do meretrício e quando agua era agua e vinho era vinho – e puta era puta. SdM


Luiz Eduardo Mello disse:

SOLON

Porque os produtos chineses não pagam impostos para entrar aqui?

Como pode um produto caminhar mais de 15.000km;pagando seguro;tarifas alfandegarias chegar aqui e encontrar um mercado facil de entrar?

Se as pessoas que vão a China nos dizem que lá a familia toda trabalha e 24hs/dia porque não fazemos a mesma coisa?Eu e minha familia trabalhamos nosso negocio iniciando o dia as 7:30hs e terminando quase sempre as 20:00hs...isso já de a muito e,na minha opinião,é a unica maneira de vencermos as concorrencias...

Veja que os asiaticos dominam as vagas nas grandes e melhores universidades...eles estudam sabado e domingo por um ano...com esses dias a mais que os de outras raças eles ganham pelo menos 3 meses de studo e levam a vaga.....

 

Informacao ate que ha, mas via de regra nao e DISCERNIDA. Sei la, eh o que acho. Somos oba-obistas e imediatistas. Nem de pensar, nos ( nao o povo aqui, digo o pais em geral) gostamos. E o tal o que os olhos nao veem o coracao nao sente. Bem isso fumciona ate que o "pepino" se tranforme nim "gerimum". rsrsrs SdM

Luciane Braga disse:

Pela falta de informação Sam. Posso te garantir :)

Sam de Mattos disse:

Os Chineses fabricam e fazem chegar aqui: Porque ha compradores e usuarios. Ah o maior problema e aqui. SdM

UM BRIMO NO BRAS PAROU DE FABRICAR,E COMEÇOU VENDER LIXO DA XINA NA LOJA.

O COMPRADOR DELE FOI NO QUE FORNECIA O LIXO,E COMPROU DIRETO.

RESULTADO,O ESPERTO NÃO TEM MAIS MARCA, NEM MERCADORIA.

TA KEBRADO.

NA RUA ORIENTE O POVO VENDE JAQUETA TUDO IGUAL.

RESULTADO,VENDE-SE PREÇO,PQ. PRODUTO DIFERENCIADO NINGUEM TEM.

AI FICAM BRIGANDO POR 0,10 CENTAVOS.

 

 

Vou usar do espaco so para Duas rapidas e rasteiras:

(1) Voce estava MUITO lucido e "Gente Lucida em Timpos de Cholera" (tirado do titulo do livro do Gabriel) geralmente eh Crucificada.

(2) Religiao: Sou agnostico, mas nunca seja apologista de sua fe. Seguisse a humanidade pelo menos a ETICA dos livros sagrados, seria aqui um paraiso. Mantenhe a sua fe, a sua etica e tera meu apoio incontestavel

Agora Edson: Va, escrevas, clame como um Jeremias no deserto - e nao peques mais.

Hug,

Sam


Edson Machado da Silva disse:

Amigos, lembro-me de ter começado a falar sobre este problema no final de 2005, quando estava para a acabar a proteção ao setor têxtil, imposta pelo FHC em 1995, quando até o prefeito da cidade de Americana levou borrachada da PM.

Por volta de 2008, de tanto reclamar, era considerado persona nom grata entre os meu amigos do setor. Falavam que eu deveria trabalhar, deixar de viver de saudosismo, parar de chorar...e coisas desse gênero.

Últimamente tenho visto alguns representantes de sindicatos, tanto patronais quanto de funcionários reclamando da situação. Mas vale lembrar que muitos desses representantes, ou não tinham conhecimento de causa (e daí creio que não servem para estar em cargo de liderança (representando um setor ou classe), pois não estavam (e não estão) defendendo ninguém - são os famosos REPONE - Representantes de PPPPP NENHUMA), ou até por pouco tempo estavam se favorecendo com a situação. Até por esses dias, muitas empresas texteis paralisaram (ou quase) suas produções e passaram a importar o seu produto da China, tornando-se um distribuidor chinês. O que ocorre é que os confeccionistas que tiveram cacife para importar, começaram a trazer sua própria matéria prima da China também, fazendo com que o lucro desses oportunistas de plantão, pessoas essas que só pensam no hoje (ganaciosos, egoistas, cafagestes, e coisas desse gênero...), caíssem assustadoramente. E isso eu estou falando em um ótica legal, sem dumping, sem contrabando, sem esse tipo de expediente ilegal...

Hoje o Brasil, falando do setor têxtil, virou terra de ninguém, ou seja, cada opera na ilegalidade com a arma que tem, tipo "conheço um fulano que está trazendo tecido via mercosul"; outro diz "e eu conheço um fulano que está trazendo da China via Bangladesh, Paquistão, Quirguistão, Jumentoquistão" e assim por diante. Todos tentando baratear ainda mais a chegada do produto em terras brasileiras.

Em 2005, nesta época do ano, vendiamos um produto (pra falarmos somente de um) que atingia uma produção de 800 mil mts/mês. Só um cliente queria programar 1 milhão de mts/mês até fevereiro (4 milhões de mts de tecido). Para ser coerente, eu distribui este produto para 6 clientes somente, mesmo sabendo que poderia obter uma rentabilidade maior, vendendo o produto fracionado para as confecções, não fazia, pois achava que tinha parceiros. Hoje, não somente estes 6 clientes, mas a maioria das confecções, estão importando da China. Hoje o meu contato com esses clientes são somente para não perder o amigo (mui amigos).

Para resumir, meus amigos, HOJE A ÁGUA BATEU NA BUNDA DE TODOS, mas ainda creio que cabe um pouco mais de piora no setor para que, então, sim, como infecção prestes a expelir o seu pus (fazendo uma colocação o mais delirante possível), os empresários, trabalhadores (os que não migraram para as montadoras e empresas ligados aos setor automobilísticos que batem recordes, ano a ano, de faturamentos em nosso país), e simpatizantes do setor saiam para as ruas (não os REPONES que elenquei acima) para cobrar uma posição do governo.

Hoje, o que me conforta nisso tudo é pensar que não estava louco quando apontava para este cenário; que eu não era chorão como meus "amigos" diziam; que, realmente, eu estava enchergando corretamente.

De 2006 a 2008 eu vendi tudo o que eu tinha para me manter no setor, sem me bandear para o lado do importado (e olha que falta de oportunidade não foi - aliás, a última que tive foi há 40 dias atrás.E essa pessoa faz-me esta proposta desde 2005). De 2008 a 2010 eu lutei para conseguir sair dos especiais nos bancos os quais tinha (e tenho conta), pagando juros abusivos (aliás Vocês tem visto os lucros auferidos pelos 3 principais bancos brasileiros?). Graças a Deus, em Agosto de 2010 consegui saldar minha última negociação de um especial com o Unibanco (hoje Itaú-Unibanco). Agora estou lutando para sair do uso do cartão de crédito (creio que estou quase vencendo esta batalha).

Vocês devem estar curiosos para saber o que eu estou fazendo no momento, não é? Errou quem pensou que virei político, ou que prestei concurso público (segurança salarial), ou que estou vendendo droga. Ainda continuo no setor têxtil. Me virando como dá.

 

Cada um tem a Sua crença, e eu não subestimo a fé de ninguém. A minha religião é a Bíblia Sagrada. E nela está escrito:""Desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que trabalhe para aquele que nele espera" (Is 64.4). É esse Deus em quem eu creio, que tenho a certeza de que tem feito suprir todas as minhas necessidades elencadas aqui e, também, meu orçamento mensal (que não é pouco).

Quero que entendam que não defendo placo de igreja como já disse antes, masi sim a Bíblia (Palavra de Deus - ou do Deus que creio).

Quanto a controvérsias de alguns dos amigos deste blog, prefiro que as façam em meu e-mail (edsonmachado1968@msn.com) diretamente, para não usarmos o espaço deste blog tão importante para o setor têxtil.

 

Um forte abraço a todos e que Deus nos ajude nesta dura jornada que empreenderemos para defender o nosso setor.

 

Edson Machado

 

Guns: Local Praca dos Tres Poderes ou Explanada do Planalto. Estarei demonstrando com o povo da ABTT. Organize e estarei la. Nada de dia de classico. Em dia de reuniao de corruptos seria melhor. Sam



Flavio Guns disse:

continua o mesma lamentação.

vamos por ordem nisso,vamos para uma grerra,armas não temos muito ,mais somos em numeros maior.

vamos comesar uma manifestação.

vamos aparar o pais

em dia de clacico nos estadio de futebol,tenha um locotor e anuncia a paralisação,

convoquem os sindicatos e marcam um dia  da guerra.

derubem  e divulguem e temam provas  dos fiscai coruptos

quem tem imagem desas pessoas coruptas,que vem prejudicando de mais as empresas,devulguem as imagens delas.

onde esta o inicio de todo esse inferno que esta acontecendo,vamos divulgue o inicio disso, só o povo pode aparar,derrubem presidente de sindicatos corruptos também,se não quererem ajudar.vamos aparar de lamentação e começar uma guerra contra o governo.

Patricio: De ao esperto CEM ANOS DE PERDAO!

(Gostei o sotaque, mas por baixo dessa cortina de fumaca, conheco o estilo...rsrsrs)

SdM

silvio disse:

UM BRIMO NO BRAS PAROU DE FABRICAR,E COMEÇOU VENDER LIXO DA XINA NA LOJA.

O COMPRADOR DELE FOI NO QUE FORNECIA O LIXO,E COMPROU DIRETO.

RESULTADO,O ESPERTO NÃO TEM MAIS MARCA, NEM MERCADORIA.

TA KEBRADO.

NA RUA ORIENTE O POVO VENDE JAQUETA TUDO IGUAL.

RESULTADO,VENDE-SE PREÇO,PQ. PRODUTO DIFERENCIADO NINGUEM TEM.

AI FICAM BRIGANDO POR 0,10 CENTAVOS.

 

 

AMIGOS

A solução duradora e definitiva para este problema ciclico está nas urnas...se nos conseguirmos colocar lá politicos realmente comprometidos com o País,a coisas mudarão

Responder à discussão

RSS

© 2023   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço