Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

SÃO PAULO - A participação de roupas importadas no consumo dos brasileiros registrou, no ano passado, o maior crescimento desde 2007. Do total de 6,5 bilhões de peças vendidas em 2011, 9,3% foram importadas.

Para 2012, a expectativa é que 6,7 bilhões de peças sejam vendidas, e a participação do importado alcance 12%.

Os dados são de levantamento apresentado na manhã de hoje pelo Iemi Inteligência de Mercado, em parceria com a Associação Brasileira do Varejo Têxtil (Abvtex).

Em 2010, a representatividade dos importados no segmento era de 6%, (de 6,4 bilhões de peças); em 2009, de 4,4% (5,8 bilhões de roupas); em 2008, 4,2% (5,6 bilhões); e em 2007, a participação dos importados foi de 3,9%, do total de 5,2 bilhões de peças vendidas.

Essas mudanças de mercado refletem o aumento da renda do brasileiro, para Marcelo Prado, diretor do Iemi. "As marcas brasileiras começaram a ser usadas por pessoas que antes não tinham acesso a elas. E o consumidor classe alta quer exclusividade, aquilo que só o dinheiro dele pode pagar", disse.

O varejo de vestuário movimentou R$ 150 bilhões no ano passado, equivalente a 6,5 bilhões de peças de roupas.

Exibições: 311

Responder esta

Respostas a este tópico

Será que esses números são reais devido a entrada ilegal de produtos importados da chine e outros?

Será que está sendo computado o número de peças informais que entram no brasil vindas de Miami sem qualquer declaração? 

Este artigo é da ABVTEX, associação das grandes organizações como C&A, Renner, Riachuelo, Pão de Açucar, etc...

O interesse deles é importar todos os produtos de vestuário que vendem, sob alegação de que a indústria nacional é incapaz de supri-los. Absurdo do absurdo. O que realmente querem, é comprar à preços bem menores ao do que a indústria nacional pode oferecer, devido à alta carga tributária incidente, para então poderem ter margens bem maiores no momento da comercialização. Para isto pedem ao governo federal a redução e até isenção de imposto de importação, fato que seria o decreto de morte da indústria textil e vestuário do Brasil.

Os números que apresentam ao governo é muito menor do que a realidade, pois querem convencer o governo de que não seria tão prejudicial à indústria nacional.

Os números de importação por exemplo de 2007 a 2011 subiu 240% e só de 2010 à 2011 subiu 42%. Continua subindo em progressão geométrica.

A participação de produto importado é próximo de 30%.

Somente em 2012 o setor já desempregou 11.729 trabalhadores.

E tudo isto, como disse o Wiliam Newton de Souza Salvadeo, acima, sem computar o que tem entrado informalmente de compras em Miami, que pasmem, já representa mais de 70% do volume total de importação oficial.

Esta é a verdade.

12% é feita aki no brasuca..kkkkkkkkkk

Para mensurar o percentual de produtos importados é só entrar na C&A ou em qualquer outro magazine, basta ir na loja e verificar aleatoriaminte em cada seção o percentual de produtos Chineses. Acredito que se tirar o jeans que "ainda" é produzido em larga escala no Brasil, veremos que os importados passam de 50% nas araras dessas lojas, na Zara por exemplo, acredito que o made in Brasil não passa de 20%, pois lá até o jeans na maioria é importado do Paraguai, Turkia,etc. Será que não caberia uma pesquisa em loco por alguma associação, federação, sindicato etc, para verificar esses números. Abc,

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço