Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Indústria têxtil nega que há falta de tecidos para o setor de moda

Com o dólar alto, o setor têxtil brasileiro viu oportunidade de aumentar vendas em função da queda da importação. Mas há polêmica entre fabricantes de confecções e de tecidos. Enquanto produtores de tecidos planos e malhas informam que estão com capacidade ociosa em função da crise, fabricantes de confecções reclamam que há falta de tecidos planos. A Associação Brasileira do Varejo Têxtil (Abvtex), que representa grandes marcas de moda do país,informou que há pouca produção de tecidos planos no país e não há quase nada para o inverno. O empresário Armando Hess, presidente da RenauxView, indústria de tecidos planos para moda, de Brusque, afirma que quem aponta falta de produtos não conhece o setor têxtil brasileiro. – Todas as fábricas de tecidos planos do país estão com capacidade ociosa.

Tivemos,em 2015, o pior ano da história do setor. Mesmo assim, as empresas continuaram investindo em máquinas novas, tecnologias de ponta, processos e beneficiamento – informa Armando Hess. Segundo ele, o que ocorre é que muitas empresas de confecções querem comprar produtos do Brasil, com as vantagens de adquirir no país, mas com preço chinês. O industrial explica que os preços daqui são mais elevados porque a carga tributária é maior e o custo Brasil também, mas há vantagens não contabilizadas como menor custo logístico, velocidade de desenvolvimento e de entrega (que significa menor custo) e possibilidade de reposição. Ele destaca que a qualidade é semelhante porque os parques fabris são modernos em ambos os países.

Impacto da recessão

 O setor têxtil é um dos que mais sofrem com a recessão. A produção de vestuário recuou 10% ano passado no país e ficou em 5,5 bilhões de peças, informa a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Para este ano, há previsão de retração de 1,8%. O setor têxtil teve queda de 14,5% em 2015 e deve crescer 9% este ano, prevê a Abit. Em função da crise, foram fechadas no país cerca de 2 mil empresas de vestuário e dezenas de indústrias têxteis no ano passado. Em Santa Catarina, a produção de têxtil teve queda de 12,2% ano passado, segundo o IBGE. O setor de confecções, recuou 2,3%.

http://dc.clicrbs.com.br/sc/colunistas/estela-benetti/noticia/2016/...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 659

Responder esta

Respostas a este tópico

Não é de hoje que esses caras da ABVTEX falam asneiras!!! No fundo no fundo estão provando o mesmo remédio amargo que deram para a indústria local anos atrás de anos... Diversas lojas fechando, margens pequenas e falta de produtos.. E AGORA JOSÉ????

E não vamos tampar o sol com a peneira!! É claro que está faltando produto! Ainda mais nos preços chineses que vocês insistem em pagar! Vocês chegam a indústria e dizem: preciso de uma camiseta de R$4,90 (exemplo) com X, Y e Z detalhes... Vocês ainda acreditam que estão no mesmo patamar de anos atrás! Que podem balizar os preços e massacrar o empresário levanto muitos a dívidas enormes...
A coisa mudou camarada!!! Muitos aprenderam a sobreviver sem vocês e ninguém vai querer se arriscar em grandes escalas sem segurança

Fora isso em alguns produtos ficamos limitados na produção! Se o negócio pegar não existe máquinas suficientes para produzir cacharel, para produzir Jacquard! E investimentos são rápidos mais onerosos e duvido muito que num momento como este que o país está passando alguém irá se arriscar

E o rápido que eu digo são no mínimo 3 meses para máquina ser importado ou produzida mais 1 mês de amaciamento para aí começar a produção efetiva! Fora isso os fornecedores de matéria prima também tem que sentir segurança em importar mais para abastecer o local!! Veja a falta estrondosa de fios de viscose que vivemos no momento. E essa melhora sim está relacionado a queda de importação de confecção e tecidos! Já que a malharia sofreu muito com isso! Então mesmo com a queda de consumo do mercado existe uma queda muito grande de importados o que dá um refresco pra turma

Agora em tecidos planos voltados pra moda estes caras foram os primeiros a sofrer! E continuam sofrendo pois ainda sim muito que entra é importado... Lembro me das primeiras jaquetas e calças de tactel que entraram e rapidamente teares jato de água de Americana foram ficando parado um atrás do outro!
Quem conhece um pouco de têxtil sabe que as tecelagens vivem um momento completamente diferente das malharias... Mesmo um tecido Charlize que está sendo muito consumido 90% é importado! O pouco produzido aqui é feito para estampar ou maquinetado para diferenciar do importado
Outros tecidos como a Sarja também está voltado mas basicamente para estampar... Liso ainda não vale a pena... Um ponto fora da curva são os "indigueiros" que apesar dos altos estoques estão exportando muito devido ao dólar e terem a equalizar a situação
Já cama, mesa e banho não sofreram com importados e então hoje estão sofrendo com a queda de consumo
Decoração??? Que decoração?? Existe alguém ainda??? Rsrs... O Suede importado matou os caras de xenile... Como pode...

Cansei de escrever....
Se alguém quiser completar volto mais tarde pra debater...
Abraço a todos e boa páscoa
Quem está dizendo que falta algum produto do setor têxtil aqui no Brasil é mentiroso.


90% das empresas de malhas em rolo, tecidos planos e confecções de peças acabadas estão com capacidade ociosa, ou seja, tem condições de produzir muito mais do que produz atualmente. Faltam pedidos.

O que acontece é que querem comprar nossos produtos internos a preços de "banana".


Essas grandes redes de lojas trabalham com margem de lucro que variam de 100% a 300 %. E não aceitam que o proprietário da confecção ganhem nem r$ 1,00 ( hum real ) por peça. Eles deveriam é montar uma fabrica e ir fabricar o que querem para sentir na pele o que é produzir algo aqui no Brasil.


Recebem o produto com todas as exigências que fazem; demoram mais de 120 dias para pagar; pagam um valor vergonhoso pelo produto e, por final, dizem que as empresas nacionais não conseguem atendê-los por falta de competitividade ... Isso é uma vergonha ...


São verdadeiros massacradores de empresas ...


Deveriam era fabricar suas próprias peças dentro de um regime de produção igual ao brasileiro; faliam no primeiro ano !!! Pois são acostumados a lidar com coisas fáceis para ganhar dinheiro, veja: comprar produtos a preço de banana, pagar com 120 dias, vender a vista e com lucros estratosfericos. Se fossem montar uma fabrica não conseguiriam fabricar nem um par de meias. Pois como disse, são acostumados a ter tudo prontinho na mão ...


Deveriam era honrar mais os empresários brasileiros que estão suando para manter o emprego de milhões de brasileiros ... E não sair daqui e ir buscar fornecedor do outro lado do mundo.

Se os produtores de vestuário não buscar só produto importado de baixo custo, a indústria têxtil Nacional irá recuperar pois qualidades não nos falta e imposto muito menos.

Incentivo aos avanços tecnológicos é o que tem faltado.

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço