Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

A indústria têxtil deverá ter em 2012 o pior desempenho dos últimos dez anos. Em relatório enviado a clientes, a Tendências Consultoria projeta queda de 2,3% do setor no acumulado do ano, frente a 2011.

Caso o resultado se confirme, será o segundo ano seguido de queda.

Além da oscilação do preço do algodão, o principal vilão da indústria têxtil é a importação da Ásia.

Fonte:|http://colunistas.ig.com.br/poder-economico/2012/04/25/tendencias-i...

Tags: 2002, Ano, Caminha, Desde, Indústria, Para, Pior, Têxtil

Exibições: 1322

Responder esta

Respostas a este tópico

vamos dar os parabéns à todos que vão conseguir destruir a àrea têxtil no Brasil, não esqueçam dos políticos, dos maus empresários, dos chineses, enfim desse governo maravilhoso que temos......

Tudo que foi publicado até hoje, dão conta que industria do vestuario foi melhor do que a textil(exceto fibras).

O gráfico mostra o contrário. Ou é burrice minha?

amigo o que importa se a industria do vestuario foi melhor ou pior do que o setor textil, o que importa mesmo é que essa Dilma pitbull esta deixando o mercado se abarrotado de produtos chineses e a nossa carga tributaria cada vez mais alta.

Chega de produtos asiaticos!!!!!!!!!!!!!!!!!

Não quero perder meu emprego!!!!

 

Estou no Brasil ha três semanas e triste com o que vi em nossa indústria.  Poucas firmas vi funcionando no azul. Vi algumas, como por exemplo, ESTAMPARIA de Minas Gerais que estão bem, porem fortemente agregando valor ao fio/pano (Quase 95% de sua produção tem valor agregado). Algumas como a CEDRO estão fortemente na área de Uniformes, e também estao lucrativas em meio da crise. Algumas fiações no interior de São Paulo, com sorte, trocam seis por meia dúzia e esperam melhores dias, exemplo a Moderna Bercamp, funcionando redondinha e encolhida. Alias esta gente perde vendas por acreditar piamente em emissão de notas fiscais. Essa crise ira diferenciar os Fiadores de Fio e Tecelões dos especuladores industriais. Os que sobrevirem à crise, eu creio, estarão aptos a um novo tipo de Gerenciamento/ Gestão que surge no Brasil, muito eficiente.

Especuladores que se alavancam na Indústria Textil para plataformas políticas, estarão encerrando as suas atividades têxteis. Estes continuam vendendo abaixo do custo crendo que eliminado a competição, poderão aumentar preços, mais tarde, em forma de Trust. Notei que as importações Chinesas legais poderiam ser ate "peitadas". O diabo é que calculo por baixo, as cotas de contrabando Textil ainda estão em torno de 40%. A situação textil, salvo para uns poucos, anda muito delicada. Fabricas grande e moderníssimas operam praticamente com uma margem de lucro vergonhosa ou inexistente. O que vi, eu não gostei.

Sam de Mattos, do Brasil

e o pior é que temos associaçoes diversas sendo criadas....calçados( MOVE )  ...alem das texteis ( abitex e abvtex )......que tal criar associaçoes para industrializar o Brasil???

nao é apenas textil....são todos os segmentos!!! temos que ter medidas imediatas, e nao a conta gotas!!!! pois estamos morrendo desta forma...a conta gotas!!!!todos se endividam na esperança de uma recuperação( o governos apenas promete...... ) nao se esqueçam de 225 deputados ( inclusive aqui o ZECA DIRCEU......) + 35 senadores!!!!!  que vergonha Brasil!!!! gasta-se uma fortuna com este bando de barbaros que nao trazem retorno algum!!! rua para eles.....!!!!!

SINDITEC....por favor faça algo....é a única esperança que temos!!!! 40.000 trabalhadores na ind textil !!!!!!! esta região temos tudo para fazer uma mobilização realmente com resultados!!! afinal todos na cidade vivem direta ou indiretamente da ind textil!!!!

eu já pedi ao SINDITEC para fazer algo, entretanto não é facil!!!!nao existe união e sobretudo participação e comprometimento!!!!!!!!! haja visto que as ultimas manifestaçoes nao houve apoio tão necessario !!!! portanto infelizmente temos""  muitos "" empresarios de merda!!!!!

é passado da hora do sindicato dos trabalhadores , movimentar e de porta em porta , marcar u8ma greve geral@!!!!!!!!!temso que fazer algo urgente!!!! a qualquer custo!!!!

adalberto

19 9764 7960

Se você observar o setor do vestuario só tocou na projeção em 2002, e depois declinio tendendo a zero.
 
Antonio Silverio Paculdino Ferre disse:

Tudo que foi publicado até hoje, dão conta que industria do vestuario foi melhor do que a textil(exceto fibras).

O gráfico mostra o contrário. Ou é burrice minha?

Se observarmos o setor do vestuário só tocou na projeção em 2002, e depois declinio tendendo a zero, diferentimente do setor de transformação de fibras. Pois, tanto têxtil como vestuário precisará da doação e fortalecimento de grandes empresarios e sindicatos das modalidades em conjunto com os setores governamentais no objetivo de melhorar está crise mascarada, ponto de vista pesssoal.

Prezado amigo Adalberto,

 

não querendo defender classe sindical alguma, mas o problema é muito maior do que achávamos que poderia ser, ou seja, vai além das nossas visões. O problema é cultural; somos um povo onde, em sua maioria, aprenderam a ser "pau-mandados"; onde pedirem para ir ou faz, o fazem sem procurar saber o porque. Tinha um professor na faculdade que, quando tocava no assunto que estou colocando aqui, citava ao final de seu discurso: -"POVO MEDÍOCRE". Desculpe-me a sinceridade mas, presenciando a atual conjuntura, não somente do setor têxtil, mas de todo o país, tenho certeza de que ele estava certo. E isso ele falava há muitos anos atrás, assim como José de Alencar já pensava da mesma maneira, dizendo: "só a ignorância aceita e a indiferença tolera o reinado da mediocridade".

Por que estou dizendo isso?

Dias antes da nossa ida à ALESP em SP (alías, quem de nós, daqui do blog, esteve na "MOBILIZAÇÃO GRITO DE ALERTA" no último dia 04 em SP. Faremos uma enquete e perceberemos que muitos ladram, mas não mordem - quem lê, que entenda), assisti à uma coletiva de imprensa na ACIA, aqui em Aemricana, onde reuniu-se sindicatos patronais e de trabalhadores do setor têxtil, bem como políticos da nossa região e, também o presidente da ACIA. Deu vergonha e tristeza em ouvir, principalmente os diretores de sindicatos de trabalhadores, dizendo que patrões liberaram seus funcionários para participarem da mobilização, porém os mesmos não quiseram, pois acharam que ficando na fábrica (trabalhando) despenderiam menas horas do seu precioso tempo  do que se fossem à mobização. Outros disseram que iriam se o patrão pagasse hora-extra pelo tempo à maior que dispenderiam participando da mobilização.

Tudo bem que teve muitos patrões, também, que não quiseram ir, colocando um monte de desculpas para tal decisão, mas isso já era esperado do lado patronal, pois já ocorrera em outras mobilizações. Assim como tem muitos que estão participando agora porque a água "bateu na bunda" (desculpe-me o termo).

Essa é a cultura do nosso povo, amigo Adalberto, ou seja, "vamos deixar como está para ver como é que fica".

A questão não dos sindicatos. Tenho presenciado, in-loco, a vontade dos mesmos em que se faça algo (tanto patrões quanto de empregados), porém, quando vontade dos seus representados inexiste, não há o que fazer. É por essa questão cultural é que o nosso país chegou onde está (não vou dizer onde para não soltar mais uma pérola aqui. rsrsrs). A situação do nosso setor, e de tantos outros, e dos que irão, ainda, de passar pelo que estamos passando, pois é inevitável, é o efeito de uma causa passada. Somos reféns de uma sociedade política desestruturada, sem conhecimento de causa e o pior, corrupta. Somos ovelhas pastoreadas por lobos.

E o mais pior ainda é que poucos estão enchergando isso. E esse pouco são os que sofrem.

 

Não revisarei o que escrevi porque estou com pressa...atrasado para um compromisso... 

 

Abraços e um ótimo dia à todos!!!

 

Edson Machado

 

 

 

adalberto oliveira martins filho disse:

e o pior é que temos associaçoes diversas sendo criadas....calçados( MOVE )  ...alem das texteis ( abitex e abvtex )......que tal criar associaçoes para industrializar o Brasil???

nao é apenas textil....são todos os segmentos!!! temos que ter medidas imediatas, e nao a conta gotas!!!! pois estamos morrendo desta forma...a conta gotas!!!!todos se endividam na esperança de uma recuperação( o governos apenas promete...... ) nao se esqueçam de 225 deputados ( inclusive aqui o ZECA DIRCEU......) + 35 senadores!!!!!  que vergonha Brasil!!!! gasta-se uma fortuna com este bando de barbaros que nao trazem retorno algum!!! rua para eles.....!!!!!

SINDITEC....por favor faça algo....é a única esperança que temos!!!! 40.000 trabalhadores na ind textil !!!!!!! esta região temos tudo para fazer uma mobilização realmente com resultados!!! afinal todos na cidade vivem direta ou indiretamente da ind textil!!!!

eu já pedi ao SINDITEC para fazer algo, entretanto não é facil!!!!nao existe união e sobretudo participação e comprometimento!!!!!!!!! haja visto que as ultimas manifestaçoes nao houve apoio tão necessario !!!! portanto infelizmente temos""  muitos "" empresarios de merda!!!!!

é passado da hora do sindicato dos trabalhadores , movimentar e de porta em porta , marcar u8ma greve geral@!!!!!!!!!temso que fazer algo urgente!!!! a qualquer custo!!!!

adalberto

19 9764 7960

Bom  comentário, Sam. As medidas paliativas  tomadas  até  agora não reverterão esse quadro, que afeta  todos os  setores  industriais, e que resulta de  políticas auto-destrutivas, progredindo nos  governos  Collor, FHC, e  Lula. A desindustrialização resultou também  no desmanche da capacidade  do Brasil de gerar  tecnologia  autóctone,  em vários  setores  industriais  - por exemplo, o que resultou de aceitarpassivamente  o tal de  Consenso  de  Washington, um tipo de receita  da qual podemos associado aos  efeitos  economicamente destrutivos nos  EUA e  UE.  Se  EUA e  UE  foram afetados  imagina  o Brasil, que é um País  semi-soberano.

Sam de Mattos disse:

Estou no Brasil ha três semanas e triste com o que vi em nossa indústria.  Poucas firmas vi funcionando no azul. Vi algumas, como por exemplo, ESTAMPARIA de Minas Gerais que estão bem, porem fortemente agregando valor ao fio/pano (Quase 95% de sua produção tem valor agregado). Algumas como a CEDRO estão fortemente na área de Uniformes, e também estao lucrativas em meio da crise. Algumas fiações no interior de São Paulo, com sorte, trocam seis por meia dúzia e esperam melhores dias, exemplo a Moderna Bercamp, funcionando redondinha e encolhida. Alias esta gente perde vendas por acreditar piamente em emissão de notas fiscais. Essa crise ira diferenciar os Fiadores de Fio e Tecelões dos especuladores industriais. Os que sobrevirem à crise, eu creio, estarão aptos a um novo tipo de Gerenciamento/ Gestão que surge no Brasil, muito eficiente.

Especuladores que se alavancam na Indústria Textil para plataformas políticas, estarão encerrando as suas atividades têxteis. Estes continuam vendendo abaixo do custo crendo que eliminado a competição, poderão aumentar preços, mais tarde, em forma de Trust. Notei que as importações Chinesas legais poderiam ser ate "peitadas". O diabo é que calculo por baixo, as cotas de contrabando Textil ainda estão em torno de 40%. A situação textil, salvo para uns poucos, anda muito delicada. Fabricas grande e moderníssimas operam praticamente com uma margem de lucro vergonhosa ou inexistente. O que vi, eu não gostei.

Sam de Mattos, do Brasil

Dª Mirage ( a foto já é uma). O problema que levantei é se devo ou não acreditar nas informações, gráficos, etc.

Queridos amigos, estou com o saco cheio de ouvir e ler sempre a mesma coisa, e ver que nenhuma medida é tomada para frear os oportunistas e entre eles muitos industriais, que não estão nem ai para o que vai acontecer com o nosso Brasil. Todos nós sabemos que qualquer iniciativa proveniente de nossos governantes leva anos até chegarem ao ponto favorável e na maioria das vezes não chega por ter o rabo prezo ou por trazer muito beneficio particulares ou para o partido.

Vamos ajudar a afundar o Brasil, as próximas gerações que se danem, pois pelo visto nunca vamos deixar de ser uma COLONIA, onde todos nós queremos continuar trocando nossas riquezas por qualquer porcaria que vem de fora, o mais importante é ter preço muito baixo.

Infelizmente nossos governantes não estão nem ai, pois o PIB é favorável e o têxtil é apenas uma agulha jogada no palheiro, este nosso seguimento nunca teve FORÇA, UNIÂO e nem vontade de fazer alguma coisa, a única coisa que fazer é reclamar.

Tenho certeza que uma comitiva de no mínimo 100 industriais em Brasília poderia por um basta em tudo o que esta acontecendo, porem para isso precisa ter UNIÃO e VONTADE de fazer. Sabemos que a grande maioria dos industriais não tem tempo para ficarem lendo todas estas baboseiras, pois o interesse maior são os números.

Esperar iniciativa dos nossos governantes ou conscientização da grande massa trabalhadora que ganha salario mínimo ou então a massa ainda maior de pessoas, famílias que recebem ajuda disso, aquilo, bolsa para qualquer tipo de necessidade, vamos perder no mínimo mais 50/100 anos.

Uma andorinha não faz verão, porem se muitas começarem a mostrar que este poderia ser o caminho mais rápido, quem sabe, e é obvio com ajuda de Deus, alguma UNIÂO poderia acontecer.

Responder à discussão

RSS

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço