Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Indústria Têxtil, Vestuário e calçado Vietnamita Teme Escalada Salarial

Os sectores têxtil, vestuário e calçado do Vietname vão provavelmente ser afectados por uma decisão do governo no sentido de aumentar o salário mínimo em até um terço a partir do dia 1 de Outubro. Os principais responsáveis sectoriais receiam que a medida prejudique a crescente afluência industrial do país nestes sectores
dummy
ITV vietnamita teme escalada salarial

Os salários vietnamitas vão ser aumentados para ajudar os trabalhadores a enfrentarem os crescentes níveis da inflação e reduzir a probabilidade de greves. De acordo com os planos anunciados no final de Agosto pelo primeiro-ministro Nguyen Tan Dung, os novos níveis salariais vão variar dependendo se forem aplicáveis a áreas rurais ou urbanas.

Para as empresas em Hanói e Ho Chi Minh, o novo salário mínimo vai subir para 2 milhões de dongs vietnamitas (97 dólares) por mês, face a 1,55 milhões de dongs vietnamitas (75 dólares) para empresas estrangeiras e 1,35 milhões de dongs vietnamitas (66 dólares) para empresas vietnamitas.

A medida representa um aumento salarial que tinha sido planeado para 1 de Janeiro de 2012, com os novos salários a vigorarem agora a partir de 1 de Outubro de 2011 até 31 de Dezembro de 2012. Isto também significa que não haverá um reajuste salarial no próximo ano.

De acordo com o Ministério do Trabalho, o novo salário mínimo traz o Vietname para os níveis de países como Laos, Indonésia e Filipinas. «Nos primeiros seis meses de 2011 registaram-se 34 greves na capital Hanói e a maioria destas estava relacionada com o salário mínimo», conta Ngo Chi Hung, gerente do concelho dos Parques Industriais e Zonas de Processamento de Exportação de Hanoi. «É necessário aumentar o salário mínimo para evitar greves cada vez maiores», afirma Chi Hung.

No entanto, os sectores de trabalho intensivo, como vestuário, têxtil e calçado, serão prejudicados pelo aumento salarial e estão a pedir um adiamento na decisão, segundo Dang Phuong Dung, secretária-geral da Associação Têxtil e Vestuário do Vietname. «Aumentar os salários no Vietname vai afectar seriamente as empresas de vestuário e calçado, que possuem níveis elevados de mão-de-obra», defende Chris Kim, vice-director geral da empresa coreana Mirae Fiber JSC. «[Os aumentos] significam que o Vietname vai perder poder competitivo em relação a outros países», sublinha o responsável

Os últimos dois anos têm registado diversas empresas a deslocarem-se da China e da Indonésia para o Vietname, de forma a beneficiarem dos salários mais baixos do país. «Mas agora o sector do vestuário vietnamita enfrenta uma série de dificuldades», afirma Kim. Estas incluem a falta de locais de origem de matérias-primas, salários mais elevados do que no Myanmar ou no Bangladesh e o receio de que alguns investidores estrangeiros possam reconsiderar a opção no Vietname. «Se o governo vietnamita aumentar os salários, nenhuma empresa têxtil, de vestuário ou de calçado, conseguirá sobreviver no país», avisa Kim.

Nos primeiros sete meses de 2011, as exportações de têxteis e vestuário do Vietname aumentaram 30% em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo os 7,6 mil milhões de dólares.
Fonte:|http://www.portugaltextil.com/tabid/63/xmmid/407/xmid/39949/xmview/...

Exibições: 295

Responder esta

Respostas a este tópico

Se a proposta é de aumento de até 1/3, o que deve elevar o salário para 66 dólares (cerca de R$ 112,00), significa que o salário atual gira em torno de 50 dólares (R$ 85,00) e ainda assim a secretária-geral da Associação Têxtil e Vestuário do Vietnam acha que o momento não é oportuno para tal aumento salarial.

 

Alguém se habilita a montar uma confecção aqui para concorrer com eles?

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço