Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Loja da H&M é a primeira a apresentar máquina que recicla roupas usadas

Dentro de algumas horas, a tecnologia Looop transforma peças antigas em itens de vestuário novos, com baixo impacto ambiental.

Tecnologia Looop H&M/Divulgação

Nessa segunda-feira (12/10), a varejista de moda sueca H&M lançou, em Estocolmo (Suécia), um sistema capaz de reciclar roupas usadas e transformá-las em peças diferentes. Com a ação, batizada de Looop, os clientes levam roupas que não querem mais e pagam um valor. Dentro de algumas horas, aquele item se transformará em uma opção nova em folha. Segundo a marca, esta é a primeira vez que uma empresa do ramo oferece um serviço desse tipo em uma loja.

Vem comigo!

Giphy/@Looop/Twitter/ReproduçãoGiphy/@Looop/Twitter/Reprodução

Como funciona

A tecnologia foi desenvolvida pela Fundação H&M em parceria com duas empresas de Hong Kong: HKRITA (Instituto de Pesquisa Têxtil e Vestuário de Hong Kong) e a especialista em fiação Novetex Textiles. O sistema funciona dentro de um contêiner de vidro na loja, permitindo que todo o processo seja observado do lado de fora.

O processo completo tem oito passos e leva cerca de cinco horas para ser concluído. Primeiro, a peça é higienizada com ozônio para eliminar os microorganismos. Em seguida, é transformada em fibras, que serão trituradas e filtradas para remoção da sujeira. Nesta etapa, a máquina acrescenta material virgem extra, obtido de fontes sustentáveis, na menor quantidade possível. Isso ocorre para fortalecer as fibras, já que elas são encurtadas durante a fragmentação mecânica.

Logo depois, a mistura de fibras é preparada e fiada. Já no penúltimo passo, os fios são torcidos e trançados, dando origem a um material ainda mais resistente. Por fim, são tricotados na forma de novas peças, prontas para vestir. Para garantir o menor impacto ambiental possível, o processo não utiliza água ou produtos químicos, como corantes.

H&M/DivulgaçãoTecnologia Looop
Em uma loja de Estocolmo, capital da Suécia, a rede varejista H&M instalou um sistema que recicla roupas velhas e transforma em novas peças. A empresa diz ser a primeira varejista de moda a oferecer esse tipo de serviço

H&M/DivulgaçãoTecnologia Looop
Visão do lado de fora do galpão de vidro, em que funciona a máquina

H&M/DivulgaçãoFios feitos com a Tecnologia Looop
Todo o processo leva cerca de cinco horas e tem oito etapas. Em alguma delas, a peça antiga é transformada em fibras e, depois, em fios

H&M/DivulgaçãoSuéter feito com a Tecnologia Looop
Suéter feito com a tecnologia Looop

H&M/DivulgaçãoTecnologia Looop
A ferramenta foi desenvolvida pela Fundação H&M em parceria com duas empresas de Hong Kong

Objetivo da iniciativa

Em comunicado, a H&M afirmou que mesmo têxteis antigos têm um valor e não devem ser desperdiçados. Por isso, criou uma oportunidade para que os próprios clientes possam assistir ao processo da peça sendo transformada em um novo item. A intenção é que, no futuro, toda a produção da empresa seja circular e “positiva para o clima”.

Este é apenas um dos projetos da etiqueta voltados para esse objetivo. A marca quer mostrar que as roupas devem ser usadas durante o maior tempo possível e pretende inovar tanto no âmbito de matéria-prima quanto de processos. Para transformar uma camiseta velha em uma nova peça, por exemplo, não é necessário plantar mais algodão para isso.

Pascal Brun, chefe de sustentabilidade da H&M, afirmou que, para chegar a uma mudança real, é fundamental que as ações da marca tenham uma adesão dos clientes. “Estamos constantemente explorando novas tecnologias e inovações para ajudar a transformar a indústria da moda, pois trabalhamos para reduzir a dependência de recursos virgens.”

H&M/DivulgaçãoTecnologia Looop
Com o sistema Looop, a H&M quer mostrar que mesmo os têxteis antigos devem ser reaproveitados e não descartados

H&M/DivulgaçãoTecnologia Looop
Fibras que serão usadas no processo de reciclagem

H&M/DivulgaçãoSuéter da H&M
A H&M quer que toda sua produção seja circular

H&M/DivulgaçãoRoupas da H&M
A iniciativa do sistema Looop é apenas um dos projetos com esse objetivo

H&M/DivulgaçãoSapato, chapéu e roupa da H&M
Para a marca, é preciso inovar no uso de materiais e nos processos, além de usar as roupas pelo máximo de tempo possível

Quanto custa

Para os membros do clube de fidelidade da marca, solicitar uma nova peça com a tecnologia Looop custa 100 coroas suecas, ou aproximadamente R$ 63. Já para os não-membros, é cobrada uma taxa de 150 coroas suecas, valor que equivale a cerca de R$ 94. Os valores arrecadados com a iniciativa, sem fins lucrativos, serão revertidos para projetos que promovem a pesquisa de materiais.

Desde 2013, a companhia recolhe roupas e tecidos de qualquer label para reciclagem, por meio de um programa global. A propósito, 57% da matéria-prima utilizada pela marca em 2019 já era obtida de forma mais sustentável ou por meio da reciclagem. Até 2030, a empresa espera que todos os materiais respondam a esses requisitos.

Apesar de ter surgido como uma novidade exclusiva da H&M, o sistema Looop será licenciado pela HKRITA para outras empresas. Segundo a varejista de moda, quanto mais marcas tiverem acesso a tecnologias como essa, mais próximas estarão de uma mudança real. A empresa sueca não revelou se o modelo high-tech será disponibilizado em outras lojas da rede.


Colaborou Hebert Madeira

Ilca Maria Estevão

https://www.metropoles.com/colunas-blogs/ilca-maria-estevao/loja-da...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI




Exibições: 895

Responder esta

Respostas a este tópico

Bela iniciativa, o próximo passo seria baratear o processo oferecendo acessibilidade a outros.

Quaisquer processos de reaproveitamento de materiais oriundos de processos tão nocivos ao meio ambiente é importante e a saúde agradece.

Parabéns

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço