Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Lupo 'Foge' de Commodities, Opera em Plena Capacidade e Ergue Nova Fábrica

Quem passa por Araraquara (SP), a 155 quilômetros de Americana, desconhece os problemas do setor têxtil.

O município paulista assiste à ampliação do complexo industrial da Lupo, de peças íntimas, meias e acessórios.

Exceção em um cenário de crise generalizada no setor, a empresa opera com 100% de sua capacidade instalada e contratou, só neste ano, cerca de 200 funcionários.

Nos dois primeiros meses do ano, suas vendas cresceram 17% nas lojas da marca e 12% no varejo em geral.

Para atender à demanda, investe R$ 30 milhões na construção de uma nova unidade no complexo de Araraquara. A nova fábrica permitirá à empresa ampliar a sua produção em 20% até 2013. Hoje, são fabricados 120 milhões de peças por ano.

A concorrência chinesa atrapalha, mas Valquírio Cabral Júnior, diretor comercial da Lupo, afirma que a empresa consegue driblar os asiáticos por conta do perfil dos produtos fabricados.

"Optamos por não fazer commodities. Produzimos acessórios de moda, com fios tecnológicos e cores diferenciadas. Não concorremos diretamente com os produtos asiáticos", afirma.

A presença no varejo, com 215 lojas da marca, contribui para melhores margens do que a média do setor.

NEYMAR

A tradição da marca e as investidas em marketing também ajudam. Segundo o executivo, o crescimento das vendas é puxado pelas cuecas, que contam com Neymar como garoto-propaganda e merchandising em novela.

O baixo custo de aquisição da matéria-prima na Ásia fez a empresa se render aos produtos importados. Segundo o executivo, cerca de 30% dos tecidos usados pela Lupo são do exterior -toda a poliamida vem de fora do país.

A origem do problema, diz ele, está na carga tributária. "Antes dos impostos, temos a mesma competitividade do que os asiáticos", afirma.

Segundo ele, uma meia infantil fabricada no Brasil é 15% mais barata do que o mesmo produto chinês colocado no país (com o frete), mas sem contar pagamento de impostos e depreciação.

Depois de contabilizados esses custos e o pagamento de impostos do nacional e do importado, a meia brasileira fica 88% mais cara do que a chinesa, afirma.

Fonte:|http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/31921-lupo-foge-de-commodi...

Exibições: 965

Responder esta

Respostas a este tópico

Diante da obviedade do texto, só farei repeti-lo... "A origem do problema, diz ele, está na carga tributária. "Antes dos impostos, temos a mesma competitividade do que os asiáticos", afirma..."

Parabens Lupo. Eu sempre usei as suas meias masculinas. SdM

Governo Brasileiro  até  quando, que nos vamos ficar pagando tantos impostos  assim, ja pagamos impostos demais, governo pare de roubar pelo amor de Deus.

NÃO PRECISAMOS FALAR, NEM ESCREVER MAIS NADA....APENAS NOS RENDER, COMO A LUPO, AGUARDAR NOSSO FIM OU LUTAR CONTRA AS ERVAS DANINHAS DO CONGRESSO BRASILEIRO QUE SÃO AS PESSOAS (?) QUE REALMENTE ENGESSAM O MOTOR DO DESENVOLVIMENTO DO PAÍS.

É isso ai,Valquirio,afinal alguem de peso falou a verdade na cara do Governo, é mais barato sim produzir no Brasil,

vamos ver se a ABIT,ABRAVEST,ABVETEX e outras,vão passar pra frente,o Paulo Scaff podia aproveitar essa tirada e 

usar ela nas reuniões,(custa sim 15% mais barato,o problema é o Sóócio 88% mais caro),Parabens continue assim.

O lobo não merece a comparação, mas infelizmente os valores morais de alguns cidadãos da república bananeira estão abaixo da crítica, pois é possível que estes mesmos critiquem a corrupção e façam a mesma coisa como corruptores (em escala menor ou maior, não importando o tamanho do "presente" nem a instituição que sofre a ação do corruptor, pois o crime é o mesmo), conforme a reportagem do Fantástico em http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1679161-15605,00.html

 

ECO Osnir! Precisamos de meia duzia de amigos seus no blog. Parabens. SdM

Osnir da Silva disse:

O lobo não merece a comparação, mas infelizmente os valores morais de alguns cidadãos da república bananeira estão abaixo da crítica, pois é possível que estes mesmos critiquem a corrupção e façam a mesma coisa como corruptores (em escala menor ou maior, não importando o tamanho do "presente" nem a instituição que sofre a ação do corruptor, pois o crime é o mesmo), conforme a reportagem do Fantástico em http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1679161-15605,00.html

 

Lauro: Belo texto. Agora chame seus amigos para se juntarem a nos! SdM

LAURO ALBERTO STAMPACCHIO disse:

NÃO PRECISAMOS FALAR, NEM ESCREVER MAIS NADA....APENAS NOS RENDER, COMO A LUPO, AGUARDAR NOSSO FIM OU LUTAR CONTRA AS ERVAS DANINHAS DO CONGRESSO BRASILEIRO QUE SÃO AS PESSOAS (?) QUE REALMENTE ENGESSAM O MOTOR DO DESENVOLVIMENTO DO PAÍS.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço