Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Mão de Obra Boliviana Vale a Pena?? - Veja Comentários

Boa tarde,

             Mão de obra boliviana vale a pena??

Dê sua opinião:

.

.

.

.

.

.

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 3073

Responder esta

Respostas a este tópico

ola boa noite !!! sim a mão de obra boliviana a 15 anos passados é sim sem sombra de duvidas muito necessária para nosso setor textil,pois,sem os bolivianos nosso setor já teria entrado em colapso,não temos renovação de mão de obra de brasileiros ;os jovens perderam o interesse em tornar se profissionais de costura,ficar o dia inteiro sentados em uma maquina de costura não atrai nossos jovens,primeiro pelos salários que são pagos pela indústria textil,diga se de passagem é muito baixo.segundo;os bolivianos são altamente produtivos pois,quando eles imigram para nosso país para trabalhar eles realmente trabalham,não podemos confundir como a maioria dos bolivianos são tratados pelos seu patrícios que os colocam para trabalhar de forma insalubre.Os imigrantes fazem turnos de até 16 horas em confecções de roupas nos bairros do Brás, Pari e Bom Retiro. O ambiente de trabalho é fechado, sem janelas e com pouca luz. Os bolivianos moram nas fábricas e precisam pagar tudo para o patrão, desde a máquina de costura que trabalham até a água, luz e comida. Por isso, acabam endividados e ‘presos’ nas confecções. Para garantir que os imigrantes não fujam, além de trancarem as portas das fábricas, os patrões ameaçam chamar a Polícia Federal para deportar aqueles em situação ilegal.agora com a implantação da ABVTEX espera se que as oficinas de costura, obtenham esta certificação.mas,os fabricantes entretanto, não querem diminuir a sua margem de lucro,repassando parte deste lucro para melhoria dos preços de mão de obra, para que com isso as oficinas possam sobreviver,e dar melhores condições aos trabalhadores do setor.estão focando nos bolivianos e esquecendo dos brasileiros.eu que sou profissional da área de oficinas de costura externa, sei bem o que está acontecendo hoje com nosso setor,desculpe me por ter escrito muita coisa ,parei por aqui para não ficar cansativo valeu ...ACORDA BRASIL...

Evandro, voce não esta concordando com o trabalho dos bolivianos,aqui no Brasil!! Voce esta delatando o trabalho escravo a que eles estão submetidos em SP!! Com raras excessões, temos bolivianos em situação de imigrante puro.Quando este, não traz seu conterraneo para ser seu escravo. As firmas brasileiras nem sempre  pratrocinam este tipo de trabalho, é o irmão, o pai, o primo, estes é que vão lá na Bolivia, arrigimentar os conterraneos e traze-los com promessas, por vezes falsas. Este mundo cruel, é para o Brasil um oazis. É utopia pensarmos em alguma coisa melhor que isto. Eles são o mal necessario ao produto brasileiro.

Faltou complementar - INFELISMENTE

concordei na primeira frase sim !!!

É indiferente.Por quê indiferente? Porque a partir do momento que vc ajudá-o a legalizar-se e lhe dá um emprego com salário fixo e registro na carteira, o boliviano, o paraguaio, o escambau, nivela-se POR BAIXO à qualquer outro "profissional" nativo.

Como assim? vc deve perguntar. E eu explico: - Enquanto esse profissional recebe "por prenda", ele dá e faz o melhor de sí pelo trabalho que executa ou seja, produz uma quantidade razoável de peças por dia e as produz com qualidade, para não ter que consertá-las depois. A partir do momento que ele é registrado e vê um nativo  na máquina ao seu lado produzindo a metade do que ele faz,  no segundo dia de trabalho sua produtiividade é reduzida em 50% e a qualidade em uns 30%.

Resumindo: Ao invés dele servir de exemplo para os funcionários regulares, os maus é que servem de exemplo para ele e daí para a frente ele não trabalha mais para fazer carreira e sim para cumprir o tempo mínimo para "levantar" o seguro-desemprego.

É óbvio que existem excessões e, se vc conhecer alguma, por favor: - avise-a que estamos admitindo bons profissionais, sejam de onde forem.

Prezados Leitores

A discussão proposta não é facil e nem rapida de ser concluida mas existe um metodo eficiente  para moralizarmos  este mercado de mão de obra ilegal. E´só voltar a constar na peço o CNPJ do fabricante da mercadoria e não do varejista com isso criaremos um importante ferramenta de fiscalização vide que toda e nf hoje em dia é eletronica e seria possivel aos orgão competentes rastrear as fabricas que produzem as mercadorias como era feito no pasado.

Bom dia todos ,em especial ao Sro Oscar Silva

Sim vale a pena para muitos empresarios que visam somente lucro,lucros e mais lucros ,pois os bolivianos tem que ralar muito para atingir suas metas sem se preocupar com pagamentos de INSS FGTS e outros  ,qualquer peça que é direcionado para eles produzirem com valores muito baixo já é lucro ,e nos aqui é que pagamos o `PATO`não podemos fazer horas a mais porque a politica da moda não permite não podemos manter nenhum funcionario sem registro porque estamos sujeitos a perder tudo ,e ai a mão de obra boliviana é necessaria sim , mas para muitos fabricantes que não estão nem ai ,o que importa é que o produto esteja la para que os mesmos possam FATURAR , a realidade é que para que possamos reativar as oficinas legalizadas precisamos de preços que viabilizem a VIDA de uma oficina ajá visto que as modelagem estão cada vez mais complicadas e os preços cada vez mais baixos ,assim não da.

Claro que vale. Se não valesse não estaríamos "outsourcing" trabalho semiescravo em Cochabamba, La Paz e Santa Cruz. A pergunta e mal feita. VALE A PENA PARA QUEM? Claro, SOMENTE PARA OS DONOS DOS "SWET SHOPS" e para os “Coiotes”. Não vale a pena para o IMPOSTO DE RENDA. A maioria desses pobres diabos vive com 200 Reais/Mes sem pagar imposto. Não vale a pena para a infraestrutura hospitalar do país. Em caso de emergência, por lei eles serão atendidos, malgrado precariamente. Essa comunidade trarão mais amigos e parentes. E parentes amigos e ilegais virao em suas esteiras. Ai criar-se-á um problema social e imigratório, semelhante ao da Franca, Alemanha e USA. No Brasil não ha planejamento. Somos uma Nação Band Aid e Tapa Buracos. Considerando-se tudo, como já dito, será bom também para os "coiotes" (“nova profissão que se for sindicalizada será de utilidade ao Status Quo” de Brasília). E finalmente, considerando-se a imigração do Acre por Haitianos, creio que esse povo trabalhador Boliviano, apesar dos malefícios apontados eles sao preferíveis aos pedintes do Haiti. Mas o Carnaval em breve chegara, no Nordeste o tempo esta firme, e voltamos então AOS GRANDES problemas do Bananão: O preço do Maxixe, Jiló e tomates...

claro que vale a pena, nosso salario hoje e caro pra quem paga e pouco pro brasileiro que recebe, e a mao de obra local e muito ruim sem qualificação, o operario nao tem compromisso com as empresas em que trabalham, entao vamos contratar os bolivianos desde que sejam legalizados é uma das saidas pelo menos ate o governo acordar

Concordo 100%!! Inclusive conheço bolivianos que trabalham 8 horas por dia, por peça, e recebem em torno de r$ 3.500,00....mágica?? nãooooo......eles realmente trabalham de verdade, com vontade, dedicação e com qualidade!

 

1 boliviano = 3 brasileiras (no sentido produtivo)


 evandro menezes filho disse:

ola boa noite !!! sim a mão de obra boliviana a 15 anos passados é sim sem sombra de duvidas muito necessária para nosso setor textil,pois,sem os bolivianos nosso setor já teria entrado em colapso,não temos renovação de mão de obra de brasileiros ;os jovens perderam o interesse em tornar se profissionais de costura,ficar o dia inteiro sentados em uma maquina de costura não atrai nossos jovens,primeiro pelos salários que são pagos pela indústria textil,diga se de passagem é muito baixo.segundo;os bolivianos são altamente produtivos pois,quando eles imigram para nosso país para trabalhar eles realmente trabalham,não podemos confundir como a maioria dos bolivianos são tratados pelos seu patrícios que os colocam para trabalhar de forma insalubre.Os imigrantes fazem turnos de até 16 horas em confecções de roupas nos bairros do Brás, Pari e Bom Retiro. O ambiente de trabalho é fechado, sem janelas e com pouca luz. Os bolivianos moram nas fábricas e precisam pagar tudo para o patrão, desde a máquina de costura que trabalham até a água, luz e comida. Por isso, acabam endividados e ‘presos’ nas confecções. Para garantir que os imigrantes não fujam, além de trancarem as portas das fábricas, os patrões ameaçam chamar a Polícia Federal para deportar aqueles em situação ilegal.agora com a implantação da ABVTEX espera se que as oficinas de costura, obtenham esta certificação.mas,os fabricantes entretanto, não querem diminuir a sua margem de lucro,repassando parte deste lucro para melhoria dos preços de mão de obra, para que com isso as oficinas possam sobreviver,e dar melhores condições aos trabalhadores do setor.estão focando nos bolivianos e esquecendo dos brasileiros.eu que sou profissional da área de oficinas de costura externa, sei bem o que está acontecendo hoje com nosso setor,desculpe me por ter escrito muita coisa ,parei por aqui para não ficar cansativo valeu ...ACORDA BRASIL...

LEGALIZADOS: Palavra magica. Que tenhamos Bolivianos e qualquer cerebro produtivo, inventivo e inteligente mundo afora. Legalizados. Resalva: Eles nao ganham R% 3,000 e caqueirada/per capita nao,:MENTIRA. Ganham merda e nao tem carteiras assinadas, sao fatasmas, escravos. Falavamos tao mal da China e dada a oportunidade agimos igual. Quem aceita essa situacao social de maneira "cavalier" eh desumano e misantropo. Eh um capitalista selvagem, que provalvelmente escreveria na entrada de sua fabrica, anexo ao arame farpado:  "ARBEIT MACHT FREI"! Como em Auschwitz e Daschau.



francisca gomes vieira disse:

claro que vale a pena, nosso salario hoje e caro pra quem paga e pouco pro brasileiro que recebe, e a mao de obra local e muito ruim sem qualificação, o operario nao tem compromisso com as empresas em que trabalham, entao vamos contratar os bolivianos desde que sejam legalizados é uma das saidas pelo menos ate o governo acordar

BOM DIA!!! NÃO SEI SE AGRADO A TODOS QUE ESTÃO LENDO MINHAS POSTAGENS MAS, VAMOS PARAR COM ESSA UTOPIA...EU SOU FILHO DE UMA COSTUREIRA QUE BATALHOU MUITO PARA TER SUA PRÓPRIA OFICINA DE COSTURA...MAIS TARDE EU MESMO MONTEI A MINHA CONSEGUI SOBREVIVER ATÉ A POSSE DO PRESIDENTE FERNANDO COLOR,e a abertura do mercado nacional às importações e pelo início de um programa nacional de desestatização. Seu Plano, que no início teve uma boa aceitação, acabou por aprofundar a recessão econômica, corroborada pela extinção, em 1990, de mais de 920 mil postos de trabalho...LEMBRAM SE DISTO...

ENTÃO,QUANDO ISSO ACONTECEU FOI A NOSSA TRAGÉDIA...ISSO PARA MAIORIA DOS BRASILEIROS,MAIS AINDA PARA NOSSO SETOR...UMA CAMISA ENTRAVA NO BRASIL A CR$1,00 PRONTA...Substituição da moeda corrente, o Cruzado Novo, pelo Cruzeiro à razão de NCz$ 1,00 = Cr$ 1,00...CAMISA DE TECIDO PLANO...NA ÉPOCA O PREÇO PAGO PARA MÃO DE OBRA DE CAMISETA DE MEIA MALHA BÁSICA NO BRASIL, EM MÉDIA ERA DE CR$0,80

POIS BEM.. SE VOCÊS QUISEREM MONTO O CUSTO PARA UMA OFICINA PEQUENA E EQUILIBRADA PARA PRODUZIR CAMISETA BÁSICA ...E AI VOCÊS PODEM CHEGAR A CONCLUSÃO SE O TRABALHO SÓ DOS BOLIVIANOS É ESCRAVO...HOJE PARA OS BRASILEIROS MANTEREM UMA OFICINA DE COSTURA COM TRABALHADORES BRASILEIROS É IMPOSSÍVEL...VAMOS LÁ ...Segundo o presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo, Claudio Peron Ferraz, o custo do empregado regularizado é quase o dobro do salário. “Há custo da rescisão contratual que é muito elevado. Outros países não têm tantos encargos e pagam salários melhores. E é por isso que muitas empresas preferem não contratar mais empregados”, afirmou.

1 GALONEIRISTAS          R$ 1.000,00 = R$ 2.000,00

4 OVERLOQUISTAS        R$  1.000,00 = R$ 8.000,00------150 PÇS CADA=600PÇS DIA X R$1,20=R$ 600,00

I RETISTA                       R$ 1.000,00 = R$ 2.000,00------22DIAS X R$600,00 = R$ 13.200,00

I PONTO CORRENTE       R$ 1.000,00 = R$ 2.000,00

2 ARREMATADEIRAS      R$     650,00 = R$ 2.600,00

TOTAL                                                    R$16.600,00

FATURA. "FORÇADO" COM BRASILEIROS R$13.200,00

PREJUÍZO DE                                            R$3.400,00

AINDA TENHO QUE PAGAR :COMBÚSTIVELLUZ,ÁGUA,TELEFONE,IMPOSTOS,LINHAS,AGULHAS,MANUTENÇÃO DE MAQUINAS.E POR AI VAI...

O PROBLEMA MESMO É COM OS BOLIVIANOS ??????

VEJA ESTA REPORTAGEM DE TRABALHADORES NO INTERIOR DE SÃO PAULO ...SÃO BRASILEIROS VIU ...

Luiz Henrique relata que essas pessoas que estão entrando na atividade são, em grande parte, ex-trabalhadores e extrabalhadoras rurais. As mulheres, por sinal, formam maioria. Elas atuavam no corte da cana-de-açúcar, mas perderam espaço devido ao aumento das metas diárias de corte (em alguns casos, mais de dez toneladas) exigidas no setor. Além das confecções na capital paulista, empresas do Paraná – como Araponga, Maringá e Paranavaí – também estariam utilizando o trabalho de "facções".

Há casos inclusive de oficinas têxteis operando por meio de falsas cooperativas, conta o procurador. Em novembro do ano passado, o ofício do MPT em Bauru identificou uma situação do gênero em Avaré, onde funciona a Cooperativa dos Produtores de Confecções em Artigos de Brim de Avaré e Região (Cooperbrim). Segundo o órgão, as cerca de 70 costureiras que laboravam no local não tinham carteira assinada e não utilizavam equipamentos de segurança. De acordo com a diligência, elas recebiam salários fixos e havia subordinação a chefes, características incompatíveis com pressupostos do cooperativismo.

O MPT alega que a entidade é uma entre as chamadas "cooperativas de mão-de-obra" – organizações criadas para intermediar contrações de pessoas que prestam serviços a terceiros. Freqüentemente associadas à precarização nas relações trabalhistas, elas funcionam, na prática, como uma extensão na linha de produção das empresas beneficiárias – que se valem delas, por sua vez, para burlar o pagamento de encargos empregatícios.

SE ALGUM MAGICO ESTIVER LENDO E PODER ME AJUDAR ACEITO AJUDA.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço