Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV


imagem

A pesquisa publicada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) intitulada “Falta de Trabalhador Qualificado na Indústria”, mostra que faltam profissionais qualificados para atender à aceleração do crescimento industrial no Brasil. Não que não hajam desempregados, mas sobram vagas devido à falta de qualificação para o trabalho.

Os setores mais prejudicados são o petrolífero e informático, mas construtoras e confecções também sofrem com a carência de profissionais capacitados para impulsionar a produção onde os Programas governamentais de Aceleração do Crescimento (PAC) acentuam ainda mais a disputa por pessoas com formação técnica e tecnológica.

Em projeções do SENAI, para a indústria de confecção, há indicações que o Brasil não tem capacidade de oferta de profissionais para crescer 5% ao ano: faltam não apenas técnicos de nível médio mas também engenheiros, executivos e mesmo profissionais de alta qualificação científica e tecnológica.

Segundo o documento do SENAI, muitas dessas empresas estão com até 20% de suas máquinas paradas por falta de mão de obra especializada. Situação esta que está inserida em um contexto em que empresários se veem obrigados a importar peças que necessitem de acabamentos especiais e sofisticados.

baixa qualificação estende-se em todos os setores de produção, como costureiras, modistas, estilistas, vendedores, designers, e atinge profissionais dos setores financeiro e de recursos humanos. Especialistas em trabalho e economia consideram que é preciso investimento do governo em treinamento de professores e também que os empresários e trabalhadores se conscientizem da relevância do treinamento e da qualificação profissional.

A falta de mão de obra qualificada atinge todo o processo produtivo das confecções/ Reprodução


A pesquisa da CNI argumenta que 75% das empresas de vestuário e 32,5% das empresas têxteis necessitam de mão de obra qualificada e que as pequenas e médias empresas são as que mais sofrem com a carência de recursos humanos de boa formação técnica: as empresas de vestuário são em sua maioria pequenas, enquanto as do setor têxtil são grandes.

Pequenas e médias empresas atuam na complementação da formação profissional, oferecendo estágios e maior abertura para os profissionais iniciantes, mas perdem muitos empregados para empresas maiores que oferecem mais benefícios e maiores salários.

Portanto, nas palavras de Marcio Pochman, finalizo: “É preciso aproximar as empresas dos centros de formação. Em países como Alemanha e Japão, o governo faz pesquisas que antecipam as demandas futuras por trabalhadores. Aqui, a qualificação é feita pela oferta de cursos e não pela demanda das empresas”.


Por Ana Luiza Olivete
Designer de Moda, Professora e Consultora Empresarial

http://www.audaces.com/br/Educacao/Falando-de-Educacao/2013/7/10/ma...

Exibições: 1404

Responder esta

Respostas a este tópico

“É preciso aproximar as empresas dos centros de formação. Em países como Alemanha e Japão, o governo faz pesquisas que antecipam as demandas futuras por trabalhadores.

baixa qualificação estende-se em todos os setores de produção, como costureiras, modistas, estilistas, vendedores, designers, e atinge profissionais dos setores financeiro e de recursos humanos.

Sou professora de tecnologia do vestuário para alunos de moda. Eles acham muito difícil essa área ,por que inclui outras áreas do conhecimento e exige muita responsabilidade.

Celina Faloppa

Bom dia; as empresas precisam abrir os olhos enquanto é tempo;vejam vários postos de trabalho improdutivos/parados por ''falta de mão-de-obra'';isto é culpa total das empresas ;pois enquanto não investirem em TREINAMENTO/CAPACITAÇÃO' OPERACIONAL'',VAMOS FICAR AQUI DISCUTINDO SOBRE ESTE ASSUNTO;alguns empresários acham que treinamento/capacitação operacional é perda de tempo e custo;e os postos de trabalho parados alguém já cálculou o quanto esta se perdendo ;digo:deixando de ganhar;depois quando começam as quebradeiras de empresas ficamos aqui culpando a carga tributária do Brasil;que sabemos que é injusta e desleal;mas que não é o vilão sozinha;acima estamos vendo vários equipamentos ociosos;poderíamos esta com pessoas em treinamento  (Fiminino/Masculino)em treinamento de capacitação operacional.

hoje,um ser  consegue ficar sentado 4 horar por dia costurando ,5 dias na semana ,para receber 870 rais,qual jovem que quer trabalhar neta profissão?modelista que faz 10 provas de roupa para acertar uma, modelista de audaces,que serve para ficar brincando de modelagem,eu modelo no audaces a mais de 15 anos, só confio no molde na mão,depois coloco dentro,mais o menos a ampliação,resumo,o auceces serva para fazer mapa. e o pesemo programa  ficha técnica, que nunca conseguir usar,mais opaquei na época 8 mil.

Quem se interessa em costura, passar o dia toda na maquina

prefere ter seu próprio negocio, que lhe sai mais rentável.

Ganha em média 3.000reais, enquanto ficar  quase 10hrs

trabalhando p outros para ganhar salário minimo e comissão

Tem muita gente se formando ai e buscando muito curso

de atualização em produção do vestuário, o fato é que é

mais rentável trabalhar para si mesmo, que para outros. 

dr. Felipe. 3.000 reais e muito pouco para trabalhar por contra propiá,tampo problema de administração,qualquer um vai desistir, mas se tiver amor,vc trabalha ate de graça como eu.......ja trabalhei.....

Felipe Monteiro disse:

Quem se interessa em costura, passar o dia toda na maquina

prefere ter seu próprio negocio, que lhe sai mais rentável.

Ganha em média 3.000reais, enquanto ficar  quase 10hrs

trabalhando p outros para ganhar salário minimo e comissão

Tem muita gente se formando ai e buscando muito curso

de atualização em produção do vestuário, o fato é que é

mais rentável trabalhar para si mesmo, que para outros. 

Pequenas e médias empresas atuam na complementação da formação profissional, oferecendo estágios e maior abertura para os profissionais iniciantes, mas perdem muitos empregados para empresas maiores que oferecem mais benefícios e maiores salários.

na confecção  pequena o excelente profissional ,È valorizado com dinheiro...., já na grande e respeitado........sem dinheiro.......kkkkkkkkk

Bom dia sou mecanico de maquinas de costuras industriais e eletronicas a mais 28 anos ja trabalhei em pequenas e grandes empresas como algumas multinacionais,antigamente o profissional tinha algum valor agora acabou tem e peixada puxa sacos sem entender nada,e encarregado de mecanica se ter um curso e sem entender nada de mecanica assim como gerente de produção,lideres e outros parentes e conhecidos de alguem da empresa,ja consertei varias maquinas para o senai de Minas mais nuca tive oportunidade de trabalhar la,fiz uma visita e vi o instrutor ensinando trabalhar em um travetti eletronico completamente errado.Falta e profissional,patrão,SALARIO,governo.Querem apostar que na copa no Brasil os produtos que poderia ajudar as confcçoes vão ser importados? Assim da China na copa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço