Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Jaraguá do Sul – O Sindicato dos Trabalhadores do Vestuário de Jaraguá do Sul homologou no primeiro trimestre em sua sede, o total de 1.607 rescisões de contrato de trabalho, entre demissões sem justa causa e pedidos de demissões, o que surpreendeu negativamente o presidente Gildo Antônio Alves. Segundo ele, a maior parte desses trabalhadores está trocando de empresa devido ao baixo salário e com isso, a rotatividade é muito grande.
“Muitos estão migrando para outras categorias, simplesmente se transferindo de uma empresa para outra ou, o que é pior, saindo para trabalhar na informalidade”, critica o presidente do STIVestuário , advertindo que o trabalhador informal não vai ficar rico nunica, somente adquirir problemas de saúde.
Do total de rescisões, conforme Gildo, 1.035 referem-se a pedidos de demissão. Entre os dias 17 e 31 de janeiro foram registradas 217 demissões sem justa causa e quase o dobro (420) de pedidos de demissão em toda a base do Sindicato que é Jaraguá do Sul, Corupá, Guaramirim, Massaranduba e Schroeder.
A situação não foi diferente nos meses subsequentes. Em fevereiro foram 273 demissões e 359 pedidos e em março, 82 contra 256 pedidos de demissão, totalizando 1.607 rescisões homologadas de janeiro a março.
O STIVestuário representa hoje aproximadamente 24 mil trabalhadores com carteira assinada na microrregião.

Sindicato espera boa convenção - A categoria dos trabalhadores do vestuário está em campanha salarial. A data-base é 1º de maio. A reivindicação é aumento real de 6% nos salários, aprovada durante a assembleia geral realizada no dia 17 de março e que contou com a presença de cerca de 500 sindicalizados.
Gildo Alves diz que a reclamação é grande e que a expectativa é de uma negociação à altura das necessidades dos trabalhadores. Ela conclama a categoria a estar mobilizada. Até o fim da semana passada não estava agendada a primeira rodada de negociação com o sindicato patronal visando a renvoação da convenção coletiva de trabalho, o que deve acontecer após o dia 12 de abril.
É quando será divulgado o índice de variação da inflação (INPC) referente a março de 2012. Até então estava em 4,02%. O índice oficial sai esta semana.

Fonte:|http://www.jdv.com.br/index.php?option=com_content&task=view&am...

Exibições: 742

Responder esta

Respostas a este tópico

Ola bom dia pessoal  isso  na  verdade é ruim mas fazer o que, no texto acima é citado a seguinte frase, 


advertindo que o trabalhador informal não vai ficar rico nunca, somente adquirir problemas de saúde. 


ai eu digo, e dentro de uma fabrica onde é quase impossivel  ter um plano de carreira , e com salarios muito baixos, vai ficar rico que jeito , pelo menos trabalhando no setor como da costrução que é o que mais cresce, no País , os salarios que estão , oferecendo pra serventes e mestres de obras , são 5 vezes mais do que em fabricas de confecçaõ, eu mesmo  estou baixando as portas e estou indo pro ramo de piscinas , pois os chinesses entram no Pais com preços baixos , e nós não conseguimos conpetir, e não adianta o governo  querer barrar pois, de qualquer forma entra por outro lado sem pagar nada de impostos, aqui em minha cidade tem pessoas que vão buscar roupas no Uruguai , no Chile e dai, como que nós vamos fazer, ta ai o meu recado, desde ja agradeço, fico no aguardo.

    1) se isto está acontecendo nas confecções com os funcionários que não veêm pespectivas de melhoras e pede demissão e correm para a caonstrução civil que pagam salários muitos melhores e dão várias vantagens como : treinamento, cestas basica, alimentação e plano de saúde para os serventes que são praticamentes semi-alfabetizados.

     2) Imagine um técnico têxtil ou engenheiro têxtil em um cargo de chefia na indústria têxtil, responsável por: administração de pessoal (dependendo do cargo administrando centenas de pessoas), produção e qualidade e cobranças por parte da diretoria ou gerencia quando há alguma oscilação na produção e qualidade (PARA BAIXO lÓGICO ) e ganhando salários de miséria na faixa de  4000 a 6000 reais (será isso tudo) sem nenhum vantagem.

     3) Comparando com os salários de encarregados de fase dos gasodutos (Petrobrás e Transpetro) que administram  em média 50 funcionários, e ganham entre 6000 a 15000 reais ou mais dependendo da fase, sem contar com todas as vantagens possíveis (moradia, alimentação, cesta básica,transporte, plano de saúde extensivo a toda  família (esposa e descedentes), fardamento e horas extras e alguns "por fora" e de 6 a 10 dias de folga apos 60 dias de trabalho com passagens de ida e volta.

     4) Dá para ficar com água na bôca em Técnicos Têxteis?

     5) em tempo tambem, sou técnico têxtil

      Abraços Romildo..

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço