Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Ministério Investiga Grife Gregory por Trabalho Degradante

A empresa Gregory, grife de roupas com lojas em todo o Brasil, está sendo alvo de uma investigação do Ministério Público do Trabalho (MPT) e do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

De acordo com o MPT, operários, a maioria bolivianos, estariam trabalhando em condições degradantes, "análogas à escravidão", em fábricas terceirizadas que fornecem material à marca. Os agentes dos dois Ministérios foram a uma destas oficinas acompanhados da Polícia Federal.

Após a investigação, a Gregory foi convidada pelo MPT a assumir a responsabilidade por sua cadeia produtiva. A empresa, entretanto, se recusou a assinar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) proposto pelo órgão. De acordo com o MPT, a procuradora do trabalho Andréa Tertuliano de Oliveira deve ajuizar uma ação civil pública para obrigar a Gregory a se responsabilizar por todos os funcionários de sua produção.

Em dezembro de 2011, a Zara Brasil, empresa do Grupo Inditex, assinou um TAC junto ao MPT e ao TEM para melhorar o controle sobre confecções da indústria têxtil, eliminar a precarização e garantir melhor qualidade de vida aos empregados. Em junho do mesmo ano, fiscais descobriram 51 pessoas (46 delas bolivianas) trabalhando em condições precárias em uma confecção contratada pela empresa em Americana, no interior paulista.

Fonte:|http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5782164-EI5030,00...

Exibições: 511

Responder esta

Respostas a este tópico

A TERCEIRIZAÇÃO é uma forma "esperta" que alguns empresarios usam para "reduzir o custo com mão de obra".

Mas há problemas fundamentais que precisam ser obaservados: 

1. a TERCEIRIZADA também vai querer ganhar o seu LUCRO. Afinal, em princípio, as empresas existem com este objetivo elementar (por mais socialista que o empresário diga ser...);

2. consequentemente, a TERCEIRZADA pagará um salário MENOR aos trabalhadores do que a EMPRESA pagaria diretamente. A diferença é, exatamente, o tal LUCRO aciam dito;

3. os trabalhadores, ganhando menos, ficarão menos satisfeitos e renderão menos... Para eles, não importa quem é o patrão - o que lhes interessa é o SALÁRIO (e obviamente as ciondições de trabalho);

4. as TERCEIRIZADAS, em geral, oferecem péssimas condições de trabalho, já que são meras  "intermediárias" (atravessadoras);

5. a possibilidade de a TERCEIRIZADA não cumprir a legislação trabalhista, previdenciárai e fiscal é muito grande.

Ou seja, ao contratar uma TERCEIRIZADA, a EMPRESA assume os riscos daí decorrentes, sendo responsável por tudo aquilo que a TERCEIRIZADA fizer ou deixar de fazer em termos trabalhistas.

Portanto, desculpem-me os que defendem a terceirização, esta, normalmente, é uma PÉSSIMA IDÉIA paar o empresário.

Se o empresário quer reduzir os seus custso ciom a mão de obra, ele precisa buscar medidas inteligentes, dentre as quais está o TREINAMENTO DA MÃO DE OBRA, o BOM RELACIONAMENTO COM OS EMPREGADOS (para que se sintam responsáveis pelos resultados) e a NEGOCIAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO (como, por exemplo, 3 turnos de 6h ao invés de 2 de 8h - o custo é menor e a produtividade geralmente é maior, além de se evitar horas extras). 

Não posso entrar no mpérito do que fez a GREGORY, porque não conheço os fatos, mas estas idéias de terceirização são típicas quando há um novo gestor (ou um consultor) querendo mostrar serviço.

É um barato que sai muito caro para o empresário.    

Com exceção de atividades que estejam totalmente desvinculadas da atividade fim da empresa (Ex.: Serviço de vigilância ou limpeza, etc.) a terceirização deveria ser banida e tornada ilegal.

Não há o menor sentido, quando pensamos na importância social da empresa, aceitarmos esse tipo de atitude que tem ocorrido sistematicamente com esses grandes grupos.

É triste e lamentável.

Degradante saber que se compra algo com qualidade mas com trabalho escravo , não estamos na China, Coréia ou Vietnã, mas no Brasil onde as pessoas não estão acostumadas a isso. Pobres trabalhadores destes países, e pobres os daqui que estão nestas condições.

O trabalhador que presta serviços terceirizados ,presta um trabalho acumulativo.

e CRIMINOSO... Afinal, todo aquele que direta ou indiretamente colabora para o resultado deklituoso é co-autor do crime... E a GREGORY é REINCIDENTE, pois estava no mesmo "rolo" em que a ZARA se envolveu. A ZARA, paar não ter problemas no mercado, tratou logo de assinar um Termo de Conduta com o MPT. E a GREGORY, ao invés de assumir o erro e a sua responsabilidade, reperte o discurso de que não sabia... POIS DEVERIA SABER!

Concordo com vc Edson, a terceirização é uma prática que deveria ser banida na maioria dos casos... 

Edson Baron disse:

Com exceção de atividades que estejam totalmente desvinculadas da atividade fim da empresa (Ex.: Serviço de vigilância ou limpeza, etc.) a terceirização deveria ser banida e tornada ilegal.

Não há o menor sentido, quando pensamos na importância social da empresa, aceitarmos esse tipo de atitude que tem ocorrido sistematicamente com esses grandes grupos.

É triste e lamentável.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço