Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

SÃO PAULO - O diretor financeiro da Guararapes, Tulio Queiroz, afirmou hoje, em teleconferência da companhia sobre os resultados do terceiro trimestre, que os departamentos de produtos para o lar, calçados e a área infantil das Lojas Riachuelo tiveram desempenho fraco no período.

O segmento de moda feminina puxou o resultado com aumento acima de 10% nas vendas em lojas comparáveis, abertas há pelo menos um ano. O crescimento geral das vendas em mesmas lojas da empresa ficou em 5,6% no trimestre. O departamento de moda masculina também teve bom desempenho. É justamente nessas duas áreas que a companhia tem direcionado esforços de marketing e logística.

Para o quarto trimestre a Guararapes não divulga números, mas pondera que está rigorosamente dentro do planejado. “Estamos trabalhando para extrair mais performance dos segmentos feminino e masculino e olhando com cuidado para detectar o que está acontecendo com os departamentos de lar, calçados e infantil”, afirmou Queiroz.

Margem

Questionado por um analista, Queiroz afirmou que a tendência é que, daqui para frente, o grupo continue com um “desempenho positivo importante” de margem, e que essa é uma das principais áreas de atuação da companhia.

No primeiro semestre deste ano, a companhia sofreu uma maior pressão da concorrência e foi mais difícil manter as margens. Mas no terceiro trimestre a margem voltou a crescer, com avanço de 1,2 ponto percentual em relação a um ano antes, para 57,6%.

O executivo disse que, desde o fim do ano passado, a empresa tem diversas ações para elevar a margem. Entre elas, um maior controle dos custos de produção, ajustes no quadro de colaboradores e de consumo de matéria-prima, trabalho com fornecedores e maior concentração de produção na Guararapes de produtos de maior valor agregado. Ele salientou que o resultado dessa readequação industrial leva um tempo para aparecer na contabilidade.

Queiroz disse que o grupo ainda tem muito o que fazer no processo de ganho de margens. A meta de médio-longo prazo da Guararapes é se aproximar da margem bruta de seus pares internacionais, em torno de 60%.

Juros ao consumidor

Queiroz disse que a tendência natural é que o patamar de juro máximo das operações de empréstimo pessoal e refinanciamento de atraso migre para um dígito em todo o varejo. “Estamos esperando como vai ser a dinâmica da área de venda para definir o ‘timing’ disso”, afirmou.

Hoje a taxa máxima cobrada pela companhia é de 13,5% e a mínima, de 8,5%, dependendo do relacionamento do cliente com a companhia e de sua pontuação de crédito.

Fonte:|http://www.valor.com.br/empresas/2904442/moda-feminina-puxou-result...

Exibições: 216

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço