Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Marco Franzato, fundador do grupo Morena Rosa: "Fomos procurados por grandes grupos, como o Boticário, que veio aqui discutir projetos de junção"

Desde o anúncio da venda de 60% das ações para o fundo Tarpon, por R$ 240 milhões, há duas semanas, a já agitada rotina do empresário Marco Franzato, fundador do grupo de confecções Morena Rosa, ficou mais intensa. Ele está tocando um plano ousado que prevê duas ou três aquisições no curto prazo e quer triplicar o faturamento, que foi de R$ 300 milhões em 2011, em até três anos.

A meta de ser a número um em moda no Brasil foi antecipada de 2020 para até 2016 e, o sonho de Franzato de ser prefeito foi adiado para 2020. Até lá, o ex-contador, que começou a trabalhar com sete anos na lavoura, planeja tocar a sucessão, a abertura de 150 lojas e o lançamento de ações em bolsa.

Mesmo com a venda do controle, Franzato ficou na administração do negócio. O empresário tem 20% das ações e dois cunhados, que já eram sócios, são donos de 10% cada. Em 1993, os três investiram US$ 8 mil cada na criação da empresa, que fazia moletons para venda no atacado. Dias atrás, em entrevista em uma rádio de sua propriedade, em Cianorte, interior do Paraná, onde fica a sede da empresa, o empresário contou que as negociações com o Tarpon duraram nove meses. Antes, segundo ele, o grupo foi procurado por outros interessados em aquisição ou parceria, entre eles o Boticário, que no ano passado comprou uma fatia da fabricante de roupa íntima Scalina. "Fomos procurados por grandes grupos do Brasil, como Boticário, que veio aqui discutir projetos de junção", disse. Procurado pelo Valor, o Boticário não se pronunciou.

Questionado sobre o que pretende fazer com o dinheiro da venda, Franzato afirmou que vai investir na expansão do grupo. "É pra fazer grandes investimentos." Por enquanto, a ideia é abrir 150 lojas da grife Morena Rosa em shoppings espalhados pelo país, sendo 80 próprias e 70 franqueadas. A primeira loja foi aberta em Balneário Camboriú, em 2008, e hoje há quatro unidades. Também há estudos para inauguração de pontos de venda das outras confecções do grupo. Para a Joy, o plano é ter cerca de 100 unidades, mais 50 para Maria, Valentina e Zinco.

Na semana passada, foi inaugurado um showroom da Morena Rosa na Avenida Brasil, em São Paulo, e um dos filhos de Franzato, Lucas, está negociando a abertura de duas lojas na capital paulista e duas no Rio de Janeiro. Em agosto, uma loja será aberta em Manaus (AM). Lucas, de 22 anos, está sendo preparado para ser o sucessor do pai. Mas Franzato quer contar também com a experiência do Tarpon, que já investiu em empresas como Arezzo e Hering, para atingir a meta de obter recursos na bolsa em breve e concretizar os planos. "Estamos aprendendo a mexer com o varejo, mas em 2013 o acelerador vai estar a 200 por hora" disse o empresário. "Sozinho, demoraria mais para chegar onde queremos."

Para 2012, o grupo, que conta com 2,2 mil empregados, espera faturamento de cerca de R$ 400 milhões e deve produzir 3 milhões de peças de roupas. Com a cabeça cheia de ideias e desafios, Franzato revela que sua maior preocupação é com a mão de obra. "Onde vamos arrumar costureiras em 2020?", questiona. Atualmente, a produção sai de 19 unidades espalhadas em 15 cidades, sendo uma em Sorocaba (SP) e outra em Sapiranga (RS), onde em 2011 a empresa começou a fazer sapatos. Também é urgente, disse, é encontrar um terreno de 10 mil metros quadrados perto da sede para construir um centro de distribuição de 5 mil metros quadrados, um investimento estimado em R$ 10 milhões. Em marketing, ele prevê aplicar cerca de R$ 30 milhões no ano.

Franzato, que nasceu em Catanduvas (SP), está com 53 anos e diz que trabalha 15 horas por dia. Por isso, está sem tempo para dedicar-se a uma campanha política para prefeito. "O desejo de construir uma cidade está em mim", comenta. "É um sonho de criança". Se tudo sair como planejado, ele terá 61 anos quando enfrentará as urnas. Além disso, ele tem outros negócios no Paraná, como um colégio e um centro de eventos, e prepara-se para entrar no mercado de água mineral, também no Estado.

Fonte:|http://www.valor.com.br/empresas/2583700/morena-rosa-planeja-ate-tr...

Exibições: 968

Responder esta

Respostas a este tópico

Acompanho o desenvolvimento da Morena Rosa ha varios anos. O espirito empreendedor do Sr. Marco Franzato e sua equipe fazem dessa marca um orgulho nacional.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço