Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Movimento nas lojas brasileiras chega ao pior nível em 14 anos

O movimento nas lojas brasileiras apresentou o pior resultado desde que a Serasa Experian começou a mensurar esse fluxo. Indicador da instituição divulgado hoje (06) mostrou que esse afluxo caiu 8,3% no primeiro semestre, na comparação com o mesmo período do ano anterior – o pior resultado desde 2002, período da 'crise do apagão', quando o movimento caiu 6,9% no semestre.

Indicador da Serasa Experian mostra que fluxo dos consumidores nos pontos de venda caiu 8,3% no primeiro semestre. - Foto: DR
Segundo a Serasa, "a forte retração da atividade varejista no primeiro semestre de 2016 é explicada pela continuidade da elevação da taxa de desemprego do país, pelo grau deprimido dos níveis de confiança do consumidor como também pelas condições mais restritivas do crediário".

Entre os segmentos, quem sofreu mais foi o de Veículos, motos e peças, que registrou recuo de 17%. Em seguida, aparece o segmento de Lojas de Tecidos, vestuário, calçados e acessórios, com queda de 13,9%. As lojas de Móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática apresentaram queda de 13,3% no período.

As lojas de Material de construção (-6,4%) e de Supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (-7,5%) registraram quedas menores. Apenas o segmento de Combustíveis e lubrificantes conseguiu encerrar o primeiro semestre com alta, de 4,3%, em relação ao primeiro semestre do ano passado.

Fonte: Portal NoVarejo

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 572

Responder esta

Respostas a este tópico

É uma notícia triste, pois certamente muitas pessoas perderam ou perderão o trabalho por causa dessa queda, desse recuo nas vendas. Porém, esse fato deve servir de alerta para todos os leitores no seguinte aspecto: O setor varejista de vestuário no Brasil é um dos mais relevantes da economia brasileira. Segundo dados da Euromonitor, este segmento atingiu um volume de vendas de R$93 bilhões em 2015, representando 2,54% do PIB de serviços do Brasil no mesmo ano. Com a queda de 14%, certamente restaram R$ 80 bilhões a serem "aproveitados" pelos mais competentes. Quem vai querer servir-se desse bolo de 80 bi?

   Em seguida, aparece o segmento de Lojas de Tecidos, vestuário, calçados e acessórios, com queda de 13,9%. 

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço