Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

MST coloca mulheres para invadir fábrica da Riachuelo e gráfica de ‘O Globo’

Em pleno Dia Internacional da Mulher, Movimento Sem Terra decide usar suas integrantes femininas para atacar as instalações dos grupos que consideram como adversários políticos.


Foto: Manifestação do MST queima pneus e interrompe fluxo em estrada

O Movimento Sem Terra decidiu, outra vez, partir para a violência. De forma sincronizada, em Duque de Caxias (RJ) e em Natal (RN), o grupo organizou duas invasões nesta quinta-feira (8) para prejudicar as atividades daqueles que consideram seus adversários políticos. Os alvos dessa vez foram a varejista Riachuelo e o jornal O Globo. Em ambos os ataques, foram utilizadas mulheres para compor a frente de invasão pelo fato de nesta ser comemorada o Dia Internacional da Mulher.

Em Natal, segundo o jornal Folha de S. Paulo, um grupo de mulheres ligadas ao movimento invadiu no fim da madrugada a principal fábrica do Grupo Guararapes, do qual a Riachuelo é uma das empresas pertencentes. O grupo é presidido por Flávio Rocha, idealizador do movimento Brasil 200 e nome cotado para concorrer à presidência da república. Segundo o jornal, juntaram-se as mulheres 800 manifestantes, que bloquearam o acesso dos empregados durante aproximadamente duas horas.

À Folha de S. Paulo, Flavio Rocha afirmou que isso só “aumenta a disposição de lutar para que o Brasil tenha um presidente que feche a torneira de dinheiro público” para o que chamou de “grupo terrorista”. Na página do Brasil 200 no Facebook, foi realizada uma enquete para saber se o MST pode ser considerado um grupo terrorista. 93,4% dos participantes aprovaram a ideia.

No RJ, ataque à liberdade de imprensa

O segundo ataque da madrugada foi destinado ao parque gráfico do jornal O Globo, um dos de maior circulação no país. Aproximadamente no mesmo horário da invasão à fábrica da Riachuelo, em Natal, outro grupo de mulheres invadiu a gráfica e pichou paredes, vidraças e móveis da empresa. Em conjunto, entoavam que iriam derrubar a Globo.

De acordo com o que foi divulgado na imprensa, também houve ateamento de fogo em pneus. Segundo o jornal O Globo, a invasão contou com 300 manifestantes e, segundo o MST, com 800. Para o jornal, fundado por Roberto Irineu Marinho em 1923, trata-se de um “ataque à imprensa livre, pilar da democracia” e a invasão é uma “clara tentativa de intimidação, um ato que atropela a legalidade e o Estado de Direito democrático”. [3]

Exibições: 838

Responder esta

Respostas a este tópico

E eu não entendo como tem gente que defende essa raça de Marxista. Depois vem falar em democracia. Os caras são tão burros que vão tentar impedir de produzir. Pois a fonte de renda desses vagabundos são os impostos pagos. Se não tem produto logo não tem venda, se não tem venda não tem imposto!...... E o pior é que existe empresários que defendem esses bandidos do PT. Sinceramente eu não entendo!

Quem sustenta esse vagabundos financeiramente, e sob qual Lei está garantido o direito deles de depredar a paralisar produção?

Lei, José Rosa Reis, não existe para garantir-lhes o direito de vandalismo. Mas o pior é ver um estado complacente com esse ato. Na verdade o que parece é que nossa corte é inteiramente esquerda. Ninguém faz nada!

MST ,,,pqp!!!! tem que acabar com estas guerrilhas!!!! são vadios,....nada trazem de benéfico para a nossa sociedade!!! portanto tem que ser exterminado!!! botar no paredão e ponto final!!!Nao se aceita invasão!!! é propriedade alheia...tem portanto que se defender!!! somente corja que o governo PT criou!!!!

Movimento sem qualquer objetivo a não ser tumultuar e promover a vagabundagem.

O mais importante de tudo é que as autoridades deveriam cumprir a Lei, autuando, prendendo, obrigando a pagar os estragos, reparar, punir, de nada adianta ficar falando, escrevendo, tem que obrigar a Justiça, os governos a cumprirem a legislação e punir devidamente quem causa prejuizos a qualquer um.

Melquisedeque Santana disse:

E eu não entendo como tem gente que defende essa raça de Marxista. Depois vem falar em democracia. Os caras são tão burros que vão tentar impedir de produzir. Pois a fonte de renda desses vagabundos são os impostos pagos. Se não tem produto logo não tem venda, se não tem venda não tem imposto!...... E o pior é que existe empresários que defendem esses bandidos do PT. Sinceramente eu não entendo!

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço