Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Saiba quem é o empresário Laodse de Abreu Duarte, a pessoa que mais deve para o governo federal no Brasil, um valor acima das dívidas individuais de 18 estados com a União.

 

Enrolado:Laodse de Abreu Duarte renunciou a cargo de diretor da Fiesp, por conta de dívidas da empresa Duagro
Enrolado:Laodse de Abreu Duarte renunciou a cargo de diretor da Fiesp, por conta de dívidas da empresa Duagro ( foto: Luis Ushirobira (Valor) | FELIPE GABRIEL (AG. ISTOE))

M uita coisa pode ser feita com R$ 7 bilhões. Uma Olimpíada, por exemplo. A matriz de responsabilidade da Rio 2016 tem como última estimativa o gasto de R$ 7,07 bilhões com os 47 locais para realizar os Jogos que começam no dia 5 de agosto. Um valor similar, de R$ 7,1 bilhões, é a economia que o Palácio do Planalto espera ter por ano com um pente-fino que pretende fazer em benefícios previdenciários e assistenciais, anunciado na quinta-feira 7. O número, no entanto, não é nada mágico para o empresário Laodse de Abreu Duarte. Na semana passada, revelou-se que ele é o maior devedor da União entre as pessoas físicas, com uma dívida que supera a de 18 governos estaduais individualmente. Mas quem é o empresário e como ele atingiu esse montante de débitos?

A Procuradoria-Geral da Fazenda cobra de Abreu Duarte o valor de R$ 6,9 bilhões. Outros dois de seus irmãos estão no topo do ranking com dívidas superiores a R$ 6,6 bilhões. Quase o valor total de cada uma dessas contas tem relação com a mesma dívida, cobrada deles por serem gestores da empresa Duagro, a holding da família. A Fazenda alega que a companhia realizou operações de compra e venda de títulos nos Estados Unidos e na Argentina, entre 1999 e 2002. Mas ela não pagou impostos relativos às transações, e, mais do que isso, há até dúvidas do Ministério Público sobre a existência desses títulos. Segundo o órgão, a empresa pode ter utilizado os negócios para encobrir “um esquema de sonegação ainda maior” envolvendo outras empresas maiores. Segundo Igor Mauler Santiago, advogado tributarista, sócio da Sacha Calmon – Misabel Derzi Consultores e Advogados, uma dívida pode ser repassada da empresa para a pessoa física quando há suspeita de que o empresário ou executivo realizou conscientemente uma manobra para burlar o Fisco. “Se ele age no intuito de esconder a dívida, está cometendo ato ilícito pessoalmente em favor da empresa, o que o torna corresponsável”, diz.

O caso chamou a atenção pelo fato de Laodse fazer parte do quadro de 86 diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, posição ao qual renunciou com a revelação de seu caso. “Duarte está contestando os débitos na justiça”, informou a instituição por meio de nota à imprensa. “A Fiesp reafirma seus princípios: da mesma forma como condena a excessiva carga tributária do País, é intransigente no combate à sonegação e à corrupção.” Laodse fazia parte dos quadros da federação desde 1983 e integrava o Conselho Superior do Agronegócio. Na posição, ele representava o Sindicato da Indústria de Óleos Vegetais e seus derivados em São Paulo, ao qual preside.

É nessa área que atua a empresa mais conhecida da família, a Indústrias JB Duarte, fundada em 1914, para fabricar produtos químicos para a indústria têxtil. A companhia, que tem capital aberto na Bolsa de Valores de São Paulo desde 1985, sempre figurou entre as ações de menor liquidez dos pregões. No entanto, chegou a ter algum sucesso comercial com o Óleo Maria, que foi vendido com outras 20 marcas em 1997, depois de deixar de pagar credores e funcionários e já estar em dívida com o Fisco. Mudaram as décadas e os problemas de Laodse continuaram. Em 2012, foi condenado pela Comissão de Valores Mobiliários a pagar R$ 300 mil por saber da existência de execução fiscal contra a JB Duarte, em janeiro de 2006, e não ter divulgado o fato. Também foi acusado de elaborar os balanços de 2006 e 2007 em desacordo com as regras da CVM. Mas, desta vez, com a dívida recorde com a União, ele atingiu uma marca difícil de ser batida. Procurado, Laodse não respondeu à reportagem.

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20160722/homem-qu...

Exibições: 1358

Responder esta

Respostas a este tópico

Ahh se ele fosse ligado ao PT....

Olha se não é o patrocinador do patinho da paulista / FIESP

como disse o requiao, a FIESP  nao precisa pagar o pato, so precisa pagar os impostos que seus associados devem, em resumo é uma federação de ladroes, bandidos e se cavarem mais deve ter coisa ainda pior, porem sao bandidos que continuam soltos, pense em um de nós devendo cem mil reais de impostos, estariamos todos na cadeia, um verme deste é mais danoso que o PCC, CV e outros grupos de criminosos do trafico e tudo sob a guarda do verme maior o paulo skaf, que serve rosbife e chapagne pro manifestantes que gritavam fora dilma, os idiotas nao sabiam que quem estava pagando o pato eram eles tambem e todos nós brasileiros, aliás eita pato grande e gordo o da fiesp, deviam parar uma fila de camburoes e levar até as portas, porque lá nao deve ter um somente um honesto


se fosse ligado ao PT meu amigo, até o cachorro da vizinha estaria preso
Fernando Machado disse:

Ahh se ele fosse ligado ao PT....


Só li verdades, Francisca. Mas aquela né, num pais neocolonialista como o nosso, senhor da casa grande ser punido, ta longe.
francisca gomes vieira disse:

como disse o requiao, a FIESP  nao precisa pagar o pato, so precisa pagar os impostos que seus associados devem, em resumo é uma federação de ladroes, bandidos e se cavarem mais deve ter coisa ainda pior, porem sao bandidos que continuam soltos, pense em um de nós devendo cem mil reais de impostos, estariamos todos na cadeia, um verme deste é mais danoso que o PCC, CV e outros grupos de criminosos do trafico e tudo sob a guarda do verme maior o paulo skaf, que serve rosbife e chapagne pro manifestantes que gritavam fora dilma, os idiotas nao sabiam que quem estava pagando o pato eram eles tambem e todos nós brasileiros, aliás eita pato grande e gordo o da fiesp, deviam parar uma fila de camburoes e levar até as portas, porque lá nao deve ter um somente um honesto

é amigo, agora retrocebemos para o ano de 1500, só estou esperando começar o massacre que como nao tem mais indios, acredito que vao começar exterminar pobre, nordestino, nortistas, entao o que é os 10 milhoes que temer recebeu comparado com este ai? e os 23 milhoes de serra. estes ai sao batedores de carteira perto deste ai da FIESP, isto aqui só tem uma saida, um aeroporto internacional, estou começando a ver a possibilidade de lavar prato na europa com bons olhos, acredito que lá eu terei mais direitos do que aqui

  É nessa área que atua a empresa mais conhecida da família, a Indústrias JB Duarte, fundada em 1914, para fabricar produtos químicos para a indústria têxtil.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço