Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Peças clássicas e atemporais estarão em evidência no inverno de 2020

Foto: Dari Luz, especial

Nas últimas colunas tenho falado muito em sustentabilidade, minimalismo e propósito na moda. Caminhando ao lado destas ideias as cores verde, preto e branco fizeram um retorno notável às passarelas, provavelmente, resultado do desejo de consumidores preocupados com o meio ambiente e que procuram investir em peças inspiradas no slow fashion e também atemporais. Outras tendências, clássicas da moda, voltam a estar em evidência e na coluna deste final de semana darei uma prévia do inverno que ainda nem começou por aqui.

Estilo Vitoriano

O estilo vitoriano está em voga novamente na moda. Presta atenção na camisa da Zara que usei na coluna, esta do meu acervo pessoal, e possivelmente, a mais icônica de todos os modelos da época que remota o apogeu da Rainha Vitória. Há 150 anos o estilo sofisticado e romântico dos babados, laços, golas altas engomadas, rendas preciosas, veludos finos e sedas ganham inúmeros aditivos, pense nas mangas de renda e golas da Zimmermann, desfiladas na Semana de Moda de New York recentemente.


Jaqueta Fernè, camisa Zara , saia Gucci e anel e brincos Gabriela faraco by Lise Crippa. Foto: Dari Luz, especial

Já a outra camisa que usei na produção é da Lolu. A Marca de Florianópolis surgiu da vontade de empreender e na paixão pela moda do administrador Luiz Henrique Schmit e da advogada Rafaela Lorenzi Schauffler. O nome é composto pelo nome dele e sobrenome dela, Lorenzi + Luiz. A marca segue as tendências de moda, mas a preocupação principal é deixar a mulher sempre elegante e moderna com looks que vão de camisas aos vestidos e calças.


Saia Fernè, camisa Lolu, bolsa Gucci, colete NK anel e brincos Gabriela Faraco by Lise Crippa; Foto: Dari Luz, especial

— Nós que assinamos a criação, juntamente com auxílio da nossa consultora. Nos inspiramos em viagens e lugares que gostamos e visitamos, em pessoas que admiramos, sempre mantendo a essência da marca — diz Luiz.

São duas coleções por ano, sendo primavera/verão e outono/inverno, em média 30 peças, com novidades todos os meses, garantindo a exclusividade e um número baixo de produção, sem reposição.

— Já estamos em multimarcas em São José, Balneário Camboriú, Joinville e São Paulo —  completa Schmit.

Básicas e sustentáveis

A L’essere é a marca da t-shirts usada na produção. A label produz também camisas clássicas e blusas com um propósito bem claro: sustentabilidade. O valor agregado dos produtos advém das matérias-primas naturais, orgânicas e sustentáveis, como o micromodal, o linho, o algodão orgânico e as fibras provenientes da reciclagem da garrafa PET.


Calça e botas Carmem Steffens, camiseta L’essere, jaqueta Fernè, bomsa e boné Gucci. Foto: Dari Luz, especial

Ainda, da experiência de 25 anos da diretora criativa Nancy Bortolini como modelista nas principais marcas de roupas brasileiras como TUFI DUEK, Forum, Triton, Colcci, Coca-Cola, Sommer, Malwee e Dalmar.

— São com esses diferenciais que buscamos preencher as expectativas de uma modelagem perfeita e atraente, utilizando de matéria-prima excelente e, principalmente, consciente. Esses desejos combinam com a necessidade de uma moda brasileira, já que todas as peças são construídas a partir do nosso perfil antropométrico, do estilo, do clima, do gosto brasileiro e da nossa cultura — revela Nancy.

Outro ponto importante é o significado da palavra italiana L’essere: o SER, o indivíduo:

—  São nas pessoas e no meio em que elas vivem que pensamos na hora de criar e produzir as peças. Afinal, são as pessoas que podem transformar a forma de pensar, de vestir, de consumir — finaliza.

Universo em acessórios

O ano de 2020 será regido pelo Sol. O luminar que, nestes tempos remotos, é reverenciado como o doador de vida, aquele que nos alimenta e dá energia! Pensando em tudo isso a Gabi Faraco, sob o signo de Virgem e eu, Lise Crippa, de Áries, nos unimos para criar uma coleção batizada de Universo. Os 12 signos do zodíaco, e alguns elementos do cosmos, foram desenvolvidos por nós durante os 12 meses de 2019, resultando em brincos, anéis, colares e pulseiras. As 12 peças, em dourado, fazem dobradinha com as pérolas numa coleção totalmente inspirada nos astros e viagens do “universo” fashion de Dior, Chanel e outras. Eu a a Gabi viajamos pelo nosso mundo criativo e o resultado foi uma coleção dividida em linhas de acessórios que remetem aos signos, estrelas, lua, cometas e que mostro, em primeira mão, aqui para você!


Brincos e anel Gabriela Faraco By Lise Crippa. Foto: Dari Luz, especial

Trincheira

Se você tem seguido a moda nos últimos meses, saiba que a tendência com inspiração militar estará por toda parte na próxima temporada. A estampa camuflada é apenas uma das formas populares do shape, mas não é a única.


Blazer Carmem Steffens, cinto Fernè, bota Chanel, pulseira hermès e saia de tule acervo. Foto: Dari Luz, especial

Estes looks aparecem há muito tempo. O trench coat, por exemplo, vem dos anos 1850 quando surgiu como uma alternativa leve aos casacos usados por soldados britânicos e franceses durante a Primeira Guerra Mundial. Logo depois foram vistos em homens e mulheres civis em todo o mundo. Destaque também para os bolsos de carga, dragonas, botas de combate e estampas de camuflagem são detalhes de uniformes militares que se tornaram parte do vestuário moderno.

O estilo utilitário voltou à moda na década de 1970, durante a ascensão do feminismo quando foi sinalizada uma vitória para as mulheres. A inspiração ascendeu novamente nos anos 1990 e início dos anos 2000. Atualmente, as calças cargo aparecem em tons bege com pegada minimalista.

 

Preste atenção ainda

Ilhoses: Sabe aquele pequeno orifício, geralmente dourado ou prata, projetado para receber um cordão ou usado para decoração? Chama-se ilhoses e voltou à moda. Na verdade, é um acessório que vai e volta e já vimos em coleções passadas e muito nas passarelas de Alexander McQueen. Sob a forma de vestidos e blusas, com perfurações que se assemelhavam a belos e grandes doilies, aquelas toalhinhas de crochê bem típicas da casa da vovó, há quem ame e quem odeie o detalhe.


Vestido Caos para Raquel Ávila, boné gucci, casaco Acerv. Foto: Dari Luz, especial

Soquete: O início do inverno não significa que seu calçado sofisticado precise ser guardado. Dê às suas sandálias, uma atualização de inverno e use meias ou meias-calças ou meias abaixo do joelho.

Bonés: O boné de beisebol é muito onipresente na cultura americana. Inspirados em chapéus de abas do final do século 19, foram popularizados pelas ilustrações de Sherlock Holmes. Os primeiros modelos eram feitos de lã e couro usados exclusivamente por jogadores de beisebol em meados do século XIX.

Por

 Lise Crippa

 

Participaram deste editorial:

Produção executiva, produção, styling, pesquisa de moda: Lise Crippa
Modelo: Katia Dumke/ DN Models
Fotos e tratamento de fotos: Dari Luz
Produção de cena: Larissa Maldaner
Beleza: Larissa Maldaner
Marcas e lojas participantes: Carmem Steffens, Chanel, Caos, Fernè, Gabriela Faraco By Lise Crippa, Hermès, Gucci, Lolu, L’essere, Loja Raquel Ávila, NK, Zara.

https://www.revistaversar.com.br/inverno-2020/

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 375

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço