Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Polo de indústrias de Nova Friburgo inova no descarte de resíduos sólidos

por: Marcela Leone

Empresas dão destino correto a cerca de 400 toneladas de sobras de materiais têxteis

Fabrica Lucitex no Polo de moda íntima de Nova Friburgo - Igor Luquez/ DIVULGAÇÃO

Fabrica Lucitex no Polo de moda íntima de Nova Friburgo – Igor Luquez/ DIVULGAÇÃO

Com 1,3 mil empresas e uma produção estimada em 114 milhões de peças por ano, o polo de moda íntima de Nova Friburgo busca ser referência também quando o assunto é descarte de resíduos sólidos. Por mês, de acordo com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, as empresas dão destino correto a cerca de 400 toneladas de sobras de materiais têxteis. E esse destino chega em tecnologia para evitar desperdício, contratação de empresa especializada para recolhimento do lixo ou até mesmo doação das sobras de confecção para artesãos e empresas do município.

Segundo o Fórum da Moda da Firjan, em 2020, o impacto social e ambiental com relação aos resíduos têxteis estará solucionado na região. E a tecnologia ajudará nesse processo. A Uerj, por exemplo, desenvolve uma máquina, chamada de Recicladora, que transforma em pó os resíduos do polo e, junto com outros materiais, pode ser utilizado na construção civil e movelaria.

A Lucitex, fábrica de lingerie que completa 35 anos em Nova Friburgo, utiliza um software para o corte das peças em que 80% do tecido é aproveitado. E o que ainda sobra vai para uma empresa especializada em reutilização do material, usada até na fabricação de proteção para automóveis. Para incentivar outras indústrias, a Lucitex criou, em parceria com a Firjan, um Protocolo de Gestão Responsável dos Resíduos da Indústria da Confecção.

“Queríamos ter o mínimo de descarte no final da produção. É preciso que as empresas tenham essa consciência ecológica, pois não dá para depositar esses resíduos em aterros”, destacou a diretora financeira da fábrica Nelci Layola Porto.

Muitas indústrias do polo doam aparas para o Centro de Formação Profissional e Transferência Tecnológica para a Indústria do Vestuário de Friburgo (Cevest). Os restos de tecido e aviamento se transformam em peças como tapetes, bolsas e porta-moedas. Além de reciclar, gera economia na cidade e interação social dos moradores. Na comemoração dos 200 anos de Nova Friburgo, em maio, 100 bonequinhos foram confeccionados por alunos do Cevest, sendo 70% com material doado pelas empresas.

Tecido vira acessório

De quarta-feira a domingo, Friburgo receberá a 28ª edição da Fevest. A Monthal, uma das marcas do evento, lançará uma linha de acessórios fabricadas com reaproveitamento de tecidos têxteis, em parceria com a marca Zóia. “Criamos um novo conceito de moda sustentável para disseminar ainda mais o consumo consciente”, disse Felipe de Souza, gerente da Monthal.

Reaproveitamento também é o lema da EcoModas, que produz alpargatas ecologicamente corretas com sobras de tecidos de poliamida e poliéster das confecções de moda praia e fitness. A palmilha, por exemplo, é fabricada com espumas de bojos das indústrias de Friburgo.

http://alllingerie.net/polo-de-industrias-de-nova-friburgo-inova-no...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 298

Responder esta

Respostas a este tópico

Que seja um exemplo para outros polos da área têxtil e de confecção.

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço