Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Um casaco com controle térmico, malhas high tech, telas recicláveis, membranas respiráveis e fios com gestão da umidade ou termorregulação são alguns dos têxteis inteligentes “made in Portugal” que 16 expositores nacionais irão apresentar na próxima semana, em mais uma edição da Techtextil.


Um dos expositores da Techtextil. Foto: reprodução



A próxima edição da Techtextil, a feira de têxteis técnicos e não-tecidos que tem lugar em Frankfurt vai contar com a maior presença portuguesa, com 16 expositores nacionais. E são muitas as novidades que as empresas e centros de I&D portugueses irão apresentar para setores tão variados como o vestuário, construção, a segurança ou ainda a saúde.

A Active Space Technologies, por exemplo, mostra o Gathergy, um casaco com controle térmico activo que, segundo Dina Gaspar, COO da empresa, tem «capacidade de aquecimento e arrefecimento corporal integrados na peça de vestuário, alimentada por uma bateria. Além disso, incorpora painéis solares para aumentar a autonomia do sistema e inclui um modo de funcionamento automático».

Já a Fitor apresenta os seus fios de poliéster com funcionalidades high tech para diversos nichos de mercado, nomeadamente com propriedades «termorreguladoras, gestoras da umidade, anti-bacterianas, oleofóbicas e outras», enumera António Silva Pereira, CEO da Fitor.

Por seu lado, a Cordex propõe «fibras e fios multifilamentares de polipropileno de alta tenacidade para aplicação nas indústrias da segurança, construção e cordoaria, ráfia de polipropileno para aplicação em geotêxteis e Cordsteel para reforço de cimentos», indica Nuno Oliveira, diretor comercial da empresa.

A Foot by Foot tem igualmente investido em tecnologia de ponta, o que lhe permite oferecer malhas e tecidos inovadores para vestuário com propriedades funcionais como «impermeabilidade, respirabilidade, anti-estática, resistência à chama e proteção química», revela António Pereira, sócio-gerente da Foot by Foot.

Na Gulbena, as malhas com fios funcionais Thermocool Fresh e acabamentos Nanosphere e Cold Black, da Shoeller, são a grande novidade, a somar às malhas com Coolmax e Coolmax Fresh e aos produtos com acabamento funcional como o 3XDRY. «Vamos ter também algumas novidades na área dos ignífugos», acrescenta Leonor Carvalho, directora comercial da empresa.

A Coltec, por sua vez, aposta na «conjugação da aplicação de novos materiais e de acabamentos funcionais para setores de mercado específicos», afirma Francisco Fernandes, developer do departamento de I&D da empresa, que produz artigos laminados e revestidos multifuncionais para diversas indústrias (têxteis-lar, calçado, vestuário desportivo, construção civil, entre outras).

Já na Endutex Revestimentos o destaque vai para um revestimento especial para telas de publicidade que permite, «no fim do ciclo de vida, que este produto possa ser completamente reciclado e voltado a usar», explica Carlos Magalhães, diretor de exportação da empresa.

À delegação de empresas apoiadas pela Associação Selectiva Moda, numa iniciativa financiada pelo Qren, composta pela Active Space Technologies, Artefita, Coltec, Cordex, ERT, Endutex, Fitor, Foot By Foot, Gulbena, Safina, Lankhorst Indutech/Cerfil, A. Sampaio&Filhos e Carlos Sousa Lda, junta-se o CeNTI, Citeve e Fisipe.

Para além da Techtextil, Portugal estará ainda representado na nova feira da Messe Frankfurt – a Texprocess –, que decorre em paralelo com a Techtextil e onde estão presentes na área Source It! com o apoio da Associação Selectiva Moda, as empresas Crispim Abreu, Cedite, Filobranca, Gouveia e Campos, Joaquim do Vale, Oliveira e Morais, Squarcione e Raith. Na Texprocess estará ainda, segundo a última lista de expositores divulgada pela organização, a Anivec/Apiv, a AC Costura, o Centro de Ciência e Tecnologia Têxtil (2C2T) da Universidade do Minho e a Light Wear Representações.

A Techtextil decorre de 24 a 26 de Maio e tem confirmada a presença de cerca de 1.200 expositores e 11 pavilhões nacionais, de Portugal, Bélgica, Canadá, China, República Checa, França, Itália, Espanha, Suécia, Taiwan e EUA. Já a estreia da Texprocess, o novo certame da Messe Frankfurt dedicado ao processamento de têxteis e materiais flexíveis, tem mais um dia de duração, estando agendada para 24 a 27 de Maio.

Fonte:|br.fashionmag.com|

Exibições: 150

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço