Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Produção de Tecidos para Decoração tem Queda entre 2009 e 2011

"Existe um contraponto na política econômica do país". A afirmação é do dirigente do Comitê Texbrasil Decor da ABIT, Ramiro Sanchez Palma.

Segundo ele, essa diretriz acaba por punir a produção nacional e estimular a importação:

- O que poderia representar oportunidade para as nossas empresas e gerar mais postos de trabalho e impostos, acaba sendo transferindo para outros países - lamenta Ramiro Sanchez Palma, coordenador presidente do Comitê Texbrasil Decor da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecções (Abit), ponderando que apesar deste quadro "vemos que as empresas fabricantes aprimoraram seus processos de criação, oferecendo boas opções ao consumidor, com desenhos e cores acompanhando as tendências internacionais, mas com assinatura brasileira".

Segundo ele, essa realidade já foi destacada na última pesquisa do setor, realizada pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (Iemi), com 201 empresas, divididas entre produtoras de tecidos para decoração e consumidoras de tecidos para decoração (fabricantes de móveis estofados, colchões e cortinas). Essa pesquisa revelou que a produção total de tecidos para decoração, medida em toneladas, apresentou queda de 1,8% no período entre 2009 e 2011, porém o número de empresas de tecelagens em atividade no país se manteve estável.

Diante desse cenário, o Comitê Texbrasil Decor tem buscado a união do setor para reverter o quadro negativo frente às importações crescente nos últimos anos.

- Temos feito um trabalho exaustivo, quer seja dentro da Abit, no Comitê, e até mesmo em nossas conversas com parceiros do mercado, de forma que buscamos consolidar a necessidade de união do setor e seus integrantes, pois o que vemos lá fora são ações governamentais claras e de vulto que ajudam as empresas a conquistarem mercados mundiais, e o Brasil é, certamente, um destino de desejo de qualquer produtor atualmente.

Segundo dados da pesquisa, a produção nacional de tecidos de decoração alcançou 167 mil toneladas em 2011, equivalente a 12,5% da produção brasileira de tecidos planos em geral. Apontou que além da queda na produção, as exportações brasileiras de tecidos planos em geral também vêm enfrentando dificuldades nos últimos três anos. A queda nas exportações alcançou 6,4%, ao mesmo tempo em que as importações avançaram 84,9%, em volumes. A China domina o mercado importador brasileiro de tecidos de decoração, participando com 74,6% dos valores comprados no exterior em 2011. Taiwan é o segundo nesse ranking, participando com 16,9%, seguido pela Índia, com 2,2%, e pelos EUA, com 1,3%.

- Nossas indústrias têm investido muito em produtos e serviços diferenciados, como a produção de tecidos exclusivos para conquistar novos nichos de mercado. Nosso grande objetivo é fazer frente a uma invasão de todo tipo de tecidos importados, alguns até de qualidade inferior, que acabam preenchendo espaços de tecidos completamente distintos - revela Ramiro.

Os grandes eventos esportivos que serão sediados pelo Brasil poderão gerar um aumento na produção das indústrias e aquecer o mercado, já que os investimentos em infra-estrutura turística englobam também a parte de decoração, mas Ramiro adianta que devido ao fato das decisões serem deixadas para última hora, isso poderá gerar transtornos para o setor quando os hotéis, restaurantes e outras empresas forem às compras para renovação e atualização da decoração dos ambientes.

Fonte:|http://www.monitormercantil.com.br/index.php?pagina=Noticias&No...

.

.

.

.

.

.

.

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 161

Responder esta

© 2023   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço