Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Ao contrário da crença popular de que a alta-costura foi banida dos livros de história, peças sob medida nunca foram tão populares. Vogue investiga este ressurgimento.

Kaia Gerner no desfile de alta-costura verão 2018 da Chanel (Foto: Getty Images)

"Quando as pessoas dizem que a alta-costura está morta... Talvez esteja para eles, não para nós." Assim disse Karl Lagerfeld, logo depois de supervisionar a apresentação de 68 looks do desfile de alta-costura da Chanel para o verão 2018. Gravado por Andrew Rossi para o documentário da Netflix, Reta Final, que acompanha os bastidores de grandes eventos de moda, esportes ..., o comentário do designer claramente contestou a ideia de que a alta-costura esteja morta.

De fato, a ideia que a alta-costura está em declínio em 2019 é ilusória, com grandes marcas planejando investir nesse jeito raro e artesanal de criar roupas para o indivíduo e não somente para o mercado em massa. Balmain, sob o comando de Olivier Rousteing, está retornando ao calendário de alta-costura pela primeira vez e...; Hedi Slimane, diretor criativo da Celine, planeja introduzir a alta-costura como parte de sua visão sobre a marca; e, mais do que nunca, grifes jovens – como Mary Katrantzou, Richard Quinn e Marine Serre – estão explorando uma noção de “varejo couture”.

“A alta-costura é um mercado em crescimento; as maisons de moda continuam aumentando suas vendas nessa categoria e a clientela está se expandindo e diversificando”, explica Ralph Toledano, presidente da Federação da Alta-Costura e da Câmara Sindical da Alta-Costura (Chambre Syndicale de la Haute Couture), o órgão responsável por promover a modalidade. “A alta-costura sempre foi, e continua a ser, um lugar de livre expressão para os designers, em que a criatividade une a tradição com a inovação.”

Look do desfile de verão 2019 de Mary Katrantzou, que marcou os 10 anos da sua marca homônima (Foto: Getty Images)

De acordo com ele, novas tecnologias estão ajudando a quebrar barreiras quando se trata da alta-costura, com materiais, técnicas e abordagens inovadoras que despertam o interesse de novas audiências – incluindo os millennials.

O que antes era considerado velha guarda, reservado apenas aos tapetes vermelhos e casamentos grandiosos, de repente tornou-se algo mais fresh e relevante para as necessidades emocionais dos consumidores.

“Há mais interesse [na alta-costura] porque hoje todo o resto está tentando nos colocar no mesmo molde de mercado em massa”, diz o estilista parisiense Alexis Mabille, observando especialmente o desejo de individualidade e autenticidade. Ele cita a importância da relação entre a marca e o cliente e a magia de uma experiência sob medida – que se destaca como um verdadeiro luxo em um mar de estilos muito semelhantes, que prevalecem no momento. "Sensorialidade também é fundamental", concorda Toledano. "Enquanto houver pessoas procurando pelo excepcional, haverá alta-costura."

Look do desfile da Celine (Foto: Getty Images)

A alta-costura também está deixando sua marca nas roupas de varejo. "Tornou-se ainda mais notável o fato das marcas estarem procurando expandir sua oferta de varejo com elementos de alta-costura", observa Elizabeth von der Goltz, diretora global de compras da Net-A-Porter. O e-commerce vem aumentando sua oferta de roupas para noite: em relação ao último ano, a categoria aumentou neste ano mais de 50%. “Estamos observando maior demanda de nossos EIPs (Pessoas Extremamente Importantes), que estão atrás de peças requintadas para usar em eventos.” De acordo com ela, Alexandre Vauthier e Ralph & Russo (que fazem roupas de varejo e alta-costura), tornaram-se favoritos dessas clientes.

De fato, o efeito foi forte entre as coleções verão 2019 – as passarelas estavam repletas de penas, shapes volumosos e adornos dignos de alta-costura. "É o que chamamos de 'alta-costura moderna'", diz von der Goltz. O e-commerce Matchesfashion.com também está investindo em “demi-couture” – que esteve muito presente no desfile que comemorou 10 anos da marca de Mary Katrantzou durante a última London Fashion Week.

A estilista, famosa por suas requintadas saias em formato de “abajur” e vestidos de “frascos de perfume”, investiu em técnicas de alta-costura para sua coleção, com cerca de 90% dos looks revelando um incrível nível de detalhes e habilidade. Katrantzou não é estranha a essa abordagem; por fora das roupas padronizadas, ela frequentemente trabalha com clientes particulares projetando peças sob medida para celebridades como Beyoncé e Cate Blanchett.

A extensão de alta-costura para além dos salões de maisons selecionada começou em 1997, quando o status de "membro convidado" foi criado pela Federação da Alta-Costura e da Moda. O status de membro convidado concedeu a novos nomes, menos tradicionais e não franceses, um lugar nesse line-up tão restrito, aberto somente a convidados (a alta-costura segue regras restritas sobre quem pode mostrar e quando, e o que se qualifica como “alta-costura”). A exploração de novas técnicas seguiu; a estética começou a se diversificar e se afastar dos estilos tradicionais da alta sociedade. Então surgiu a estratégia de negócios.

Jean Paul Gaultier inverno 2018 (Foto: Getty Images)

Em 2014, tanto Jean Paul Gaultier quanto Viktor & Rolf decidiram fechar suas operações de varejo e focar em alta-costura e fragrâncias – e nenhuma das marcas está pior por fazer isso. Jean Paul Gaultier faz um lucro, subindo a cada ano. E, sem dúvida, a sensibilidade conceitual da arte de Viktor & Rolf faz mais sentido no fórum criativo da alta-costura do que nas restrições comerciais das roupas padronizadas.

"A magia da alta-costura é o fato de que quase tudo é possível", diz Mabille. “É um mundo secreto, todo criado para um indivíduo especial.” É uma proposta sedutora – tão exclusiva que poucos de nós poderão experimentá-las. É como o cabeleireiro Sam McKnight observa em Reta Final: "essas roupas são algo que a grande maioria das pessoas no mundo nunca verá de perto, elas nunca tocarão, nunca estarão na mesma sala que elas. É tão inspirador que é de tirar o fôlego.” Manter as tradições artesanais de uma maneira nova e moderna? Não é de se espantar que a alta-costura tenha se encontrado na era do Instagram. 

por JESSICA BUMPUS| VOGUE INTERNACIONAL

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 223

Responder esta

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço