Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Qual o problema com o poliéster? (ponto de vista de uma blogueira de moda!!)

Num mesmo dia eu respondi esta pergunta três vezes por conta de uma foto que postei no instagram(me segue lá @blogsenhorita), de uma camisa da C&A. Acho que a minha descrição também colaborou para este tipo de pergunta: “Tava qse esquecendo, tb gostei desta camisa, mas ela é de poliester… Ai ja viu ne? Tb da @cea_brasil. Achei super válida a pergunta e vou explicar umas coisas sobre o poliéster que muita gente não sabe e é bom saber na hora de comprar e entender certas coisas que acontecem com a roupa da gente.

poliester

Na Wikipédia tem uma explicação (química) sobre o que é o poliester. Tem o sintético e o natural, mas o que está mais próximo é o sintético, como as garrafas de plastico, material isolante como os enchimentos de almofadas e as roupas. Ai que entra a nossa conversa, geralmente, nas etiquetas lindas os nomes sugeridos são chiques (tipo crepe de seda) e ai a gente passa batido na etiqueta de composição, aquela interna que incomoda pra chuchu. No final das contas, a sua roupa é de fibra natural ou sintética, ou até uma mistura entre as duas coisas.

image (5)

As fibras naturais (algodão, linho, alguns tipos de seda e lã) são agradáveis ao toque, esquentam menos, se bem cuidadas duram muito e evitam cheiros desagradáveis. Porém amassam demais, são difíceis de passar, não fixam bem as cores e podem desbotar (nada deixar de molho na água nem esturricar no sol) e são mais caros.

Os sintéticos (viscose, raion, nylon, acetato, poliester, acrílico, poliuretano, elastano, poliamida) secam com facilidade, amassam pouco, mais leves, mantem a cor por mais tempo, algumas fibras esticam e são mais baratos. Em parte, eles esquentam muito, as cores claras tendem a amarelar, podem provocar cheiros desagradáveis, são mais frágeis a movimentos bruscos e calor (nada de ferro quente!), com o atrito, podem aparecer bolinhas. A viscose é um sintético natural, obtida através da celulose, também é conhecida como seda javanesa.

image (6)

Belê! E agora José? Quando a gente vai comprar roupa, deveria ter umas perguntinhas internas antes de sacar o cartão. Além daquelas clássicas “eu preciso disso?” e “quantas produções eu consigo montar com o que já tenho?”, pensar na composição, uso, clima, custo e tendência pode ser uma boa. Se você mora num lugar super quente e vai usar a roupa num lugar sem ventilação legal, o melhor é optar por fibras naturais ou então uma mescla com sintético, mas que este seja em menor proporção. Se a sua empregada ou até mesmo você não tem tempo de passar roupa, tem que ser correndo, então o sintético é uma boa. Se você tem que manter uma apresentação impecável, vale a pena investir no sintético. O desodorante vence com facilidade? Use fibra natural, ela vai absorver o suor e evitar a umidade na pele e procriação de bactérias.
Eu tenho roupas de materiais variados, aqui em BH tá quente eu evito o que é 100 % sintético, mas procuro peças que tenham um equilíbrio entre tipos de fibra para não chegar toda amassada. Também deixo uma verba para investir em itens de qualidade. Se é de modinha, eu compro fibra artificial sem pesar na cabeça nem no bolso, mas se é algo que quero manter no meu armário por um tempo maior, procuro algo de qualidade e que usarei em todas as estações. São escolhas, mas é bom saber o que a gente tá comprando e as vantagens/desvantagens né?

Exibições: 18819

Responder esta

Respostas a este tópico

Como diz um grande amigo: - aceita que dói menos!! hehehe..

O Poliéster ainda é uma fibra nova perto das outras fibras existentes! Tem muito a evoluir ainda e a cada ano você nota que aparecem tecidos feitos com fios multifilamentados, fios finos e cada vez mais a "turma da poliamida" não consegue diferenciar um produto do outro... O Poliester não é mais a "toalha de mesa" da Vovó

Não adianta remar contra a maré! Surfa essa onda que você esta fazendo uma boa escolha...

 

>> esperando respostas da Francisca em 3, 2, 1... kkkkk

 

CARÍSSIMA BLOGUEIRA! VAMOS TROCAR ALGUMAS IDÉIAS:

1º. JÁ EXISTE NO MERCADO BRASILEIRO A MICROFIBRA DRYFIT QUE TEM FILAMENTOS MUITO

     MAIS FINOS QUE OS CONVENCIONAIS O  QUE POSSIBILITA O ESCOAMENTO DO SUOR PARA

     FORA DO TECIDO ACABANDO DE VEZ COM O INCÔMODO MAU CHEIRO E A DE POLIÉSTER

     COM TEXTURIZAÇÃO A AR NADA DEIXA A DESEJAR EM RELAÇÃO A DE POLIAMIDA, MUITO

     AO CONTRÁRIO, É MUITO MAIS BARATA PODENDO CHEGAR A METADE DO PREÇO.

2º COM O DITO ACIMA, PODEMOS AFIRMAR QUE O POLIÉSTER DRYFIT, PRINCIPALMENTE DA

     BOX OFFICE BRASIL, É O TECIDO DO MOMENTO: FUNCIONA COMO O ALGODÃO(RETIRANDO

     O SUOR QUE NOS SINTÉTICOS FICA RETIDO ENTRE OS TECIDOS E A PELE DO NOSSO CORPO),

     TEM A SEDOSIDADE DA POLIAMIDA(DEVIDO A TEXTURIZAÇÃO A AR) E, O QUE É MAIS IMPOR-

     TANTE NOS DIAS ATUAIS, É BEM MAIS BARATO. E COM A CRESCENTE DEMANDA PELA TROCA

     DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS POR ENERGIAS MENOS POLUENTES(ELÉTRICA, ETANOL, ETC...) O

     PETRÓLEO TERÁ COMO FINALIDADE A PRODUÇÃO DE RESINAS BARATEANDO-AS.

3º SÃO TRÊS OS TIPOS DE FIBRAS TÊXTEIS: NATURAIS: VEGETAIS(ALGODÃO, LINHO, CÂNHAMO(A

     MACONHA), JUTA, SISAL, ETC...); ANIMAIS(QUE ACOMPANHA O HOMEM DESDE DE QUANDO

     PASSOU A VESTIR-SE): LÃS E SEDA; AS SINTÉTICAS(QUE SÃO PRODUZIDAS A PARTIR DA TRANS-

     FORMAÇÃO NOS ESTADOS NATURAIS DE MATÉRIAS "SINTETIZADAS"(POLIÉSTER, POLIAMIDA, ETC.)

     E AS "ARTIFICIAIS"(QUE SÃO PRODUZIDAS A PARTIR MATÉRIAS NATURAIS COMO CELULOSE) VISCOSE,

     TENCEL, ETC. 

caro junior

Julio

Tudo que você falou  corresponde em parte a verdade, porem há algumas características básicas e intrinsecas ao polimero de poliester  que nunca poderão ser eliminadas totalmente, uma delas e a mais relevante é sua alta capacidade de absorção e manutenção de calor em relação a sua capacidade de dispersão deste mesmo calor.

portanto mesmo com toda tecnologia à disposição, já em uso, tais como micro-fibras, e diversos tipos de acabamento, empregados para reduzir em parte esta caracteristica, não consegue eliminar totalmente a sua mais evidente caracteristica: sua alta capacidade de absorção e retenção de calor.

Para acabar com esta duvida , basta você ficar exposto ao sol durante algum tempo, com uma peças de roupa feita com filamento de poliester com todos os beneficiamentos acima, em ambiente natural sem muita ventilação para evidenciar esta característica do polimero. em relação por exemplo em relação a uma roupa feita com filamento de poliamida, por exemplo. 

J.J. , voce traz normalmente assuntos para discusão, mas é sadia esta conversa.

Hoje temos alguns sinteticos, de alta qualidade, tão caros quanto os naturais e com inumeras vantagens, algumas voce já explicou, outras são normalmente o preço final de uma peça. O caimento é extremamente melhor, cores mais vibrantes e tambem aperfeiçou-se o problema de esquentar menos. Não podemos ficar tentando fazer comparações, é até deselegante, em vista de termos dois produtos de otima qualidade, deixemos para o gosto de cada um.

Julio, otima explicação.

Julio Cesar de Souza disse:

CARÍSSIMA BLOGUEIRA! VAMOS TROCAR ALGUMAS IDÉIAS:

1º. JÁ EXISTE NO MERCADO BRASILEIRO A MICROFIBRA DRYFIT QUE TEM FILAMENTOS MUITO

     MAIS FINOS QUE OS CONVENCIONAIS O  QUE POSSIBILITA O ESCOAMENTO DO SUOR PARA

     FORA DO TECIDO ACABANDO DE VEZ COM O INCÔMODO MAU CHEIRO E A DE POLIÉSTER

     COM TEXTURIZAÇÃO A AR NADA DEIXA A DESEJAR EM RELAÇÃO A DE POLIAMIDA, MUITO

     AO CONTRÁRIO, É MUITO MAIS BARATA PODENDO CHEGAR A METADE DO PREÇO.

2º COM O DITO ACIMA, PODEMOS AFIRMAR QUE O POLIÉSTER DRYFIT, PRINCIPALMENTE DA

     BOX OFFICE BRASIL, É O TECIDO DO MOMENTO: FUNCIONA COMO O ALGODÃO(RETIRANDO

     O SUOR QUE NOS SINTÉTICOS FICA RETIDO ENTRE OS TECIDOS E A PELE DO NOSSO CORPO),

     TEM A SEDOSIDADE DA POLIAMIDA(DEVIDO A TEXTURIZAÇÃO A AR) E, O QUE É MAIS IMPOR-

     TANTE NOS DIAS ATUAIS, É BEM MAIS BARATO. E COM A CRESCENTE DEMANDA PELA TROCA

     DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS POR ENERGIAS MENOS POLUENTES(ELÉTRICA, ETANOL, ETC...) O

     PETRÓLEO TERÁ COMO FINALIDADE A PRODUÇÃO DE RESINAS BARATEANDO-AS.

3º SÃO TRÊS OS TIPOS DE FIBRAS TÊXTEIS: NATURAIS: VEGETAIS(ALGODÃO, LINHO, CÂNHAMO(A

     MACONHA), JUTA, SISAL, ETC...); ANIMAIS(QUE ACOMPANHA O HOMEM DESDE DE QUANDO

     PASSOU A VESTIR-SE): LÃS E SEDA; AS SINTÉTICAS(QUE SÃO PRODUZIDAS A PARTIR DA TRANS-

     FORMAÇÃO NOS ESTADOS NATURAIS DE MATÉRIAS "SINTETIZADAS"(POLIÉSTER, POLIAMIDA, ETC.)

     E AS "ARTIFICIAIS"(QUE SÃO PRODUZIDAS A PARTIR MATÉRIAS NATURAIS COMO CELULOSE) VISCOSE,

     TENCEL, ETC. 

julio sua divisao, das fibras, achei pobre, nao sou formado, engenhra textil, mas os anos me ensinaram, ha ter o conceito das fibras , sao treis, natural, que se divide , na vegetal , sendo algodao e linho nobre, e ainda a juta que natural mas e primo pobre, a sub natural animal , vem da bicho da seda, e la de carneiro, e novissima pelo de cachorros . entre a fibra natural e ha sintetica, existe a fibra artificial, que enquadra ha viscose, e constituida, de celulosa com muita quimica, e ha fibra sintetica, temos o primo rico, que ha poliamida, sabendo que o tecido mais nobre no mercado fitness e do fio supplex , invista, e novissimo emana da rhodia, , e por fim o de poliester este sendo o patinho feio,  e notavel, para qualquer leigo, ao tocar em uma calca leg do bras, sente ha diferenca entre o supplex de poliamida, e o de poliester, sabendo que tecnologia textil nao para.

Meu caro Alfredo, Boa Noite!

Minha proposta neste BLOG é sempre trazer a dicussão de termos importantes para a nossa querida área têxtil! Discussão saudavel é claro! Entender o ponto de vista de cada um e o porque as vezes essa pessoa defende de forma firme um posicionamento muito as vezes se passando pelo próprio mercado que atua! Esse blog serve de união para nós "veterinários de dinossauro" que teimamos em focar esforços no têxtil.

Dizem que esta no sangue! Ou que o bichinho picou... mas vamos em frente... desistir jamais...

As vezes a sua verdade não é a minha, que não é a de beltrano nem a de ciclano! mas estamos sempre aprendendo e normalmente juntando a verdade de diversos colegas montamos sim um cenario muito mais proximo da realidade

 

Agora, voltando ao grandioso poliéster!!! hehehehe...

Confesso que não entendi a explicação do colega Jorge Giaquinto (onde fala sobre o PES quanto a sua alta capacidade de absorção e manutenção de calor em relação a sua capacidade de dispersão deste mesmo calor)

Essa abordagem até então só tinha escutado na questão das cores. Ex: A cor preta absorve todas as luzes no espectro visual criando um vácuo de luz e como resultado disso ela é a cor mais quente possivel. O oposto acontece com a cor branca

Temos sim que um pouco de calor ainda é absorvido devido a natureza do material mas ainda assim a branca é a mais fresca possivel! Agora dependendo da cor o substrato pouco interfere no calor principalmente quando compararmos tipos de substratos e cores diferentes! Isso é um pouco questionavel na minha humilde opinião.

 

Cada fibra via de regra tem vantagens e desvantagens... O colega Jorge por exemplo deve estar mais envovido no setor de algodão (fibras naturais)! Ele pegou a questão do calor e eu poderia pegar então a alta absorção de umidade do algodão que chega a 11%  e deixa a roupa de uma atleta por exemplo muito pesada pois o algodão não consegue transportar a umidade para fora do tecido rapidamente!

 

Então tudo é questão de aplicação do produto, mercado alvo

 

E amigos, vamos ser sinceros com o pobre poliéster!!! o danado tem evoluido muito nos últimos anos! Tem tecidos que não devem nada para poliamida! é muito mais preconceito do povo de moda do que a realidade do produto! E é claro que com esta evolução o coitado não esta só custando R$7,00 contra R$17,00 da poliamida! Ja temos microfibras de poliester na casa de 8, 9, 10 reais... fios estremamente finos como o texturizado 30 com 72 filamentos na casa dos 13, 14 reais...

É claro, você começa a buscar novas tecnologias e tem um custo disso...

Agora vai repassar isso ao cliente!! hehehe..

 

Temos tb a questão das tecnologias envolvidas como o já citado por colegas o processo de texturização a ar que busca justamente dar uma cara de feito com fio fiado ao produto!

Hoje tb muitos fios são mesclas de fio de poliester com algodão, linho, viscose, justamente para pegar o melhor de cada um e chegar num artigo interessante para quem produz e para que usa

 

Lembro muito e até hoje acho divertido a teoria de um professor que defendia o uso da cueca de linho devido a resistencia bactericida da materia prima! E que ele tinha varias deste modelo! Você imagina um cidadão polonês de 130 kgs que só usa cueca de linho!!! hehehe... qdo conhecemos a mulher dele entendemos muito sua opção.... kkkkk

 

 

E viva a evolução do poliéster

 

grande abraço a todos

 

J.J.

 

J.J. - Vou divagar um pouco, nos anos 90, estive trabalhando no Iraque e por lá os homens do deserto não andam de branco e sim de preto. Era raro você ver nas caravanas alguém de branco, então a tese do preto mais quente, fico em duvida. Mas realmente, o poliéster é muito atacado, mas tb. alguns colegas estilistas são culpados por não darem ao mesmo o fim melhor no vestuário. As vezes por preguiça, o outro esta mais fácil, mas muitas vezes é por não ter a capacidade de transformar.

ai j.j quando vc quer , vc e o melhor na explicacao, agora fiquei satisfeito, obrigado, por suas consideracoes.

antonio

 

Amigo Alfredo,

Parece insensato usar roupas pretas em dias quentes, o que se dizer no deserto, onde a temperatura pode chegar a 50ºC! A verdade é que há uma explicação física, além da cultural, para os beduínos usarem roupas escuras. Mas para isso precisamos entender a relação entre luz e cores (que eu citei rapidamente na ultima postagem) e compreender a convecção do ar.(o motivo da roupa ser preta)

 

Encontrei essa explicação que me parece muito didatica:

 

O que é a convecção do ar? Quando esquentamos as moléculas presente no ar, elas se tornam mais espaçadas, tornando o ar leve e menos denso, permitindo que ele suba como os balões, criando uma corrente ascendente. O ar frio, que é mais denso e, portanto, mais pesado, cai, ocupando o lugar do ar quente que subiu. A esse tipo de movimento chamamos de convecção.

 

Então, conforme a luz vai sendo absorvida pela roupa preta e larga dos beduínos, ela vai esquentando, e conseqüentemente, esquenta o ar próximo a ela, ou seja, o ar entre a roupa e o corpo do beduíno. Como as vestes do beduíno são largas, o ar quente vai subir. O ar frio que virá ocupar o lugar do ar quente criará uma espécie de vento, não permitindo que o corpo do beduíno esquente muito, como mostra a figura abaixo, explicando, assim, o fato deles usarem roupas pretas e largas.

Imagem 3: Esquema da convecção do ar na roupa do beduíno (autoria própria)

A diferença para a roupa branca é que, como o branco reflete a luz, a temperatura do ar entre a roupa e o corpo do beduíno é a mesma temperatura ambiente, assim, como não há diferença de temperatura entre o ar de dentro e o de fora da roupa, não acontecerá a convecção do ar.
Entendido?? bem didatico essa explicação hein
Por isso desde já neste verão usarei somente camiseta preta larga e de poliester! Adeus camiseta branca, justa e de algodão... hehehehe
Abraços

 

JJ, quando por estive, trabalhava tanto que não me ocorreu fazer as perguntas sobre as vestes pretas. Agora apos tanto tempo, vim a descobrir por meio de um brasileiro. PODE!!!!

Abraços.

MINHA GENTE !!!

DEPOIS QUE ESTIVE POR 40 ANOS FAZENDO FILAMENTOS DE POLIESTER, POLIPROPILENO, POLIAMIDA .....TENHO ALGUMAS INFORMAÇÕES QUE EU POSSO PASSAR... FICO A DISPOSIÇÃO DE VOCES PARA ISSO, SE DESEJAREM...

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço