Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Qualidade dos tecidos de algodão é tema de estudos na Engenharia Têxtil da FEI

Trabalhos serão apresentados na 31ª Texpo (Exposição dos Projetos de Formatura do Curso de Engenharia Têxtil) nesta terça-feria, dia 13, às 10h, em São Bernardo (SP).

É comum roupas feitas com tecido 100% algodão encolherem após o uso ou lavagem? Duas formandas do curso de Engenharia Têxtil do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana) desenvolveram estudos sobre o comportamento dimensional e a durabilidade de roupas íntimas e de tecidos de malhas 100% algodão, e concluíram que sim. Os trabalhos fazem parte da 31ª Texpo (Exposição dos Projetos de Formatura do curso de Engenharia Têxtil) e serão apresentados neste dia 13 de dezembro (terça-feira), às 10h.

“Algumas malhas que estão no mercado encolhem até 10% no comprimento após a primeira lavagem”, afirma Julina Ng Mac, 22 anos, autora do trabalho Levantamento da Estabilidade Dimensional de Tecidos de Malha. Segundo Julina, os tecidos de malha de algodão continuam perdendo as suas medidas iniciais após a primeira lavagem.

Para chegar à conclusão, Julina avaliou a estabilidade dimensional de diversos tecidos de malha 100% algodão à venda no mercado, e comparou com os limites de tolerância de normas e especificações técnicas mundiais, tendo em vista a necessidade do consumidor final. As avaliações foram realizadas por comparação após lavagens de malhas de diversos ligamentos e fornecedores, como meia malha, moleton, pique e ribana.

Roupas íntimas masculinas – No trabalho Avaliação de Roupas Íntimas Masculinas 100% Algodão, a formanda Mariana Cristina Arnosti, 22 anos, comparou diferentes marcas de cuecas 100% algodão quanto ao comportamento dimensional e durabilidade em lavagens e manutenção feitas por um consumidor.

Foram observados os aspectos de alteração de tamanho dos produtos antes e depois das lavagens, diminuição da compressibilidade no elástico das pernas e desgaste da peça, além da qualidade das matérias-primas utilizadas para a fabricação e a diferença de medida entre produtos de mesmo modelo e tamanho de diferentes marcas.

Segundo Mariana, foram muitas as marcas de cueca analisadas que encolheram após a lavagem. “Os fabricantes poderiam melhorar o processo de estabilização do tecido lavando as malhas antes da confecção das peças, para evitar que a roupa altere de tamanho na mão do consumidor”, aponta Mariana. Em relação à elasticidade, o trabalho mostrou perda de até 15%, variável de acordo com a marca. O ponto positivo ficou com o quesito desgaste da peça, o qual não apresentou muita alteração após seis lavagens.

Fonte:|http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=184594

Exibições: 244

Responder esta

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço